domingo, 17 de dezembro de 2017

Os Livros mais bonitos da História - "Les trés riches heures du duc de Berry"

 1. - Les trés riches heures du duc de Berry



Les très riches heures du duc de Berry ou simplesmente Les très riches heures (em português: "As riquíssimas horas do duque de Berry")  é um livro de horas ricamente ilustrado. Contém, como todo livro de horas, orações a serem ditas a cada hora canônica do dia. 

Foi encomendado por João, duque de Berry, aproximadamente em 1410. Provavelmente é o mais importante livro de horas do século XV, conhecido como o rei dos manuscritos iluminados.


Ascenção, iluminura 128

Atos 1, 9-11

"9Tendo dito isso, foi elevado às alturas enquanto eles olhavam, e uma nuvem o encobriu da vista deles. 10 E eles ficaram com os olhos fixos no céu enquanto ele subia. De repente surgiram diante deles dois homens vestidos de branco, 11 que lhes disseram: “Galileus, por que vocês estão olhando para o céu? Este mesmo Jesus, que dentre vocês foi elevado aos céus, voltará da mesma forma como o viram subir

Iluminura 128


Nessa iluminura os apóstolos estão à direita, com João e Pedro em primeiro plano, e as mulheres na esquerda com Maria na frente. Jesus está sendo elevado ao céu com um cortejo de anjos, a sua mão direita concede uma benção enquanto a esquerda segura uma fina cruz. Interessante ver que na montanha de onde ele foi elevado, o pintor mostra a marca de seus pés como era uma tradição na época fazer essa representação.


2. - Conteúdo


2.1 - Livro das horas


Livro das horas ou ainda Livro missal é um livro de devoção criado por devotos no final da Idade Média. Em geral, continha o calendário das festas e dos santos, as horas da Virgem, da Cruz, do Espírito Santo e dos mortos (Liturgia das Horas), as orações comuns e os salmos penitenciais. Geralmente eram ricamente ilustrado com iluminuras.



Origem



Esse formato de liturgia surgiu no século VIII quando um dos abades de Carlos Magno, Bento de Aniane, elaborou um complemento ao ofício canônico, a cerimônia preceituada para o culto diário da vida consagrada. O livro englobava o Pequeno Ofício da Abençoada Virgem Maria e continha uma compilação de cerimônias curtas a serem recitadas ao longo do dia em intervalos específicos.


2.2 - Livro das horas do Duc de Berry



De um total de 206 páginas , o manuscrito contém 66 grandes iluminuras e 65 pequenas. Produzido em grande parte pelos irmãos Limbourg da Holanda, e usando os pigmentos mais raros, as pinturas são fortemente influenciadas pela arte italiana e antiga. 

Após um lapso de três séculos, "Les Très Riches Heures" rapidamente ganhou grande fama durante os séculos XIX e XX, apesar de sua rara exibição pública. As iluminuras ajudaram a moldar uma imagem ideal da Idade Média na imaginação coletiva. Este é particularmente o caso das imagens de calendário, que representam cenas camponesas e aristocráticas e elementos da notável arquitetura medieval. Este é um dos manuscritos iluminados mais famosos .



Há trezentas letras maíusculas decoradas. O livro demandou quase um século de dedicação, conduzidos em três diferentes momentos pelos Irmãos Limbourg, Barthélemy van Eyck, e Jean Colombee. Atualmente encontra-se no Château de Chantilly, em França.



Entre outras destacam-se as representações dos meses do ano com os respectivos trabalhos a eles relacionados, quase sempre agrícolas.



Era comum em um livro de horas a presença de figuras representando as estações do ano. Porém, as ilustrações dos meses no Três riches heures tem algo de inovador. Muitas das representações mostram castelos do duque ao fundo  e são repletas de detalhes sobre os divertimentos e sobre os trabalhos do mês . 
m


3. - História

a) Duque de Berry e Irmãos Limbourg

Quando João, o primeiro duque de Berry, encomendou por volta de 1412, o livro "les trés riches heures" aos irmão Limbourg, ele já possuia outros  livros de horas como: "as Belas Horas", feito pelos próprios irmãos Limbourg, "Little Hours of Jean",  "As Horas de Bruxelas", "As horas muito bonitas de Nossa Senhora" de outros autores.

As condições de trabalho reservadas aos três irmãos Limbourg, Paul, Hermann e Jean,  pelo duque, para a confecção desse livro são excepcionais: um contrato exclusivo com o duque, alojamento no seu castelo de Bicêtre, ao sul de Paris, e também em uma casa luxuosa que o duque ofereceu em Bourges . 

Para Raymond Cazelles, curador do museu Condé , os irmãos Limbourg puderam trabalhar nas "riquíssimas horas"  a partir de 1410. 


O Homem Anatômico
Em 1411, um primeiro texto atesta  que os irmãos Limbourg estão a serviço do duque;  Um plano é imediatamente feito e as iluminuras  dos temas retirados do Evangelho são realizadas.

Em 1413, o primeiro plano está completo. Os irmãos então realizam as iluminuras do "ciclo da paixão", bem como quatro iluminuras do calendário e uma série de oito iluminuras excepcionais por seu tamanho e assunto, entre as quais o homem anatômico e o plano de Roma. Os seguintes ítens são dados como certo de realização pelos irmãos Limbourg: O Homem Anatômico, O Paraíso Terrestre, O Encontro dos Magos, A Adoração dos Magos, A Purificação da Virgem, A Queda dos Anjos Rebeldes, O Inferno e O Mapa de Roma.

Todos os irmãos desapareceram  em 1416, talvez como resultado de uma epidemia de peste, sem a conclusão do manuscrito e, em particular, das representações dos meses. Parte do manuscrito ainda conserva traços dessa parada súbita: fólio 26 verso mantém o design de uma íris em uma panela e um pássaro que não tinham sido colorido.



Em 15 de junho do mesmo ano de 1416, seu patrocinador desaparece. Seu inventário após a morte menciona o manuscrito em vários cadernos organizados em uma caixa: De acordo com Millard Meiss , o manuscrito permanece na posse dos reis da França após 1416.


b) Barthélemy d'Eyck

De acordo com o historiador italiano da arte Luciano Bellosi, o manuscrito é parcialmente trabalhado por um pintor que teria trabalhado nele na década de 1440.  As iluminuras de alguns meses: março, junho, setembro, outubro e dezembro - são realizadas ou concluídas neste momento. Esse trabalho é atribuído pelo seu estilo a  Barthélemy d'Eyck embora não haja concordância entre os historiadores sobre essa autoria. 

c) Jean Colombe 

Um texto de 31 de agosto de 1485 testemunha  que o duque de Sabóia chamou o pintor Jean Colombe de Berrichon para completar o manuscrito. Ele certamente o completa em Bourges , em seu estúdio. Ele entrega ao príncipe em seu castelo em Chambéry em 3 de junho de 1486 e pro isso o duque recompensa o trabalho do pintor concedendo-lhe um aluguel de 100 coroas por ano; Estima-se que o trabalho tenha sido concluído e que  Jean Colombe tenha produzido ou terminado 27 grandes iluminuras e 40 pequenas.



d) Proprietário final - Henri d'Orleans

Em 1855, Henri d'Orléans, duc d'Aumale , um dos mais importantes colecionadores de arte de sua época, ouviu falar sobre um livro medieval de horas para venda por ocasião de uma estadia na Itália. Pelo retrato de Jean de Berry no fólio de janeiro, os ursos e cisnes, as flores-de-lys, ele pôde imediatamente dizer para quem o manuscrito original tinha sido feito. No entanto, a questão não ficou clara para qual dos numerosos livros  da propriedade de Berry ele tinha sido encomendado. Somente em 1881 pôde ser claramente definido por Léopold Delisle. Aumale manteve o trabalho guardado e mostrou apenas para alguns convidados escolhidos. Ele legou sua extensa coleção de arte em 1897 ao Institut de Francena na condição de que ele seja mantido reservado. Este compromisso foi cumprido com a construção do Musée Condéem Aumales no Castle Chantilly e mantém-se lá até hoje.


4. - Cenas do Livro de Horas


O livro das horas é organizado e distribuído em doze capítulos da seguinte forma:

Calendário, Quatro perícopes dos Evangelhos, Oração à Virgem, As Horas da Virgem, Salmos Penitenciais, As grandes Ladainhas, As horas da Cruz, As horas do Espírito Santo, O Ofício dos Mortos, O Ofício da Semana, As horas da Paixão, As horas do ano litúrgico;

Desses doze capítulos vamos mostrar um exemplo de oito capítulos diferentes conforme abaixo.



a) Calendário - Meses do Ano


O calendário é provavelmente o conjunto de iluminuras mais famoso do livro, se não de todas as iluminuras da Idade Média. Presente em todos os livros de horas, a programação permite ao leitor  identificar a oração para o dia do ano e sua hora do dia.



Junho


Esta é uma ilustração do trabalho dos camponeses com uma cena da ceifa de feno . Em primeiro plano, uma mulher raspa o feno e outra a ajuda com um garfo. O feno é espalhado todas as manhãs para secar e é recolhido todas as noites em moinhos para evitar a umidade da noite. 



Esta atividade muitas vezes feminina ajuda a facilitar a secagem do feno antes de ser apanhada. Três cortadeiras estão  no fundo à direita, deixando pequenas tiras de grama. O trabalho é feito em pleno sol, e é por isso que todos protegem sua cabeça com um chapéu. As cortadeiras usam uma pequena camisa de pano com fenda nas coxas e trabalham com os pés descalços. 


A cena ocorre nas margens do Sena , num campo localizado no sítio do Nesle Hotel , residência parisiense do duque de Berry. 

De acordo com Meiss, a miniatura, atribuível a Paulo de Limbourg, foi completada por Jean Colombe; 



b) Pericopes dos Evangelhos

Um pericope designa um extrato que forma uma unidade ou um pensamento coerente. 


Seguindo o calendário, o texto apresenta o extrato dos quatro Evangelhos; Damos um exemplo do Evangelho de João, "No princípio era o Verbo";


A iluminura - Evangelho de João - São João em Patmos


Os irmão Limbourg ilustraram esse primeiro extrato com uma grande miniatura representando João na ilha de Patmos, na qual de acordo com a tradição, ele estava exilado pelo imperador Domiciano e onde ele recebeu a revelação que deu origem ao livro do Apocalipse. 


A ilha de Patmos é representada como uma ilha deserta. Três trombetas misteriosas soam aos ouvidos de João. Nas nuvens aparecem o "Filho do Homem", e nos joelhos do Senhor estão uma ovelha e um livro com os sete selos mencionados no Apocalipse. Em torno do trono de Jesus estão sentados 24 anciãos, doze de cada lado, com suas vestes brancas e coroas douradas. 








c) Orações à Virgem Maria



O livro de orações à Virgem Maria abre com uma página onde aparece a Virgem com o menino em uma lua crescente com chamas flamejantes. Na parte de baixo estão representadas uma profetisa e o imperador Augustus de joelho em oração.
Na arte medieval era comum a representação de uma profetisa anunciando o nascimento de Cristo aos pagãos. 

Os irmãos Limbourg foram os primeiros, fora da Itália, a representarem a lenda da consulta de Augusto à profetisa. Essa lenda diz que Augusto fez uma consulta à profetisa justo no dia de nascimento de Cristo. Essa então teve a visão da Virgem com uma criança no centro de um circulo de ouro irradiante ao redor do sol e uma voz que dizia "Aqui é o altar do Filho de Deus." Mostrando a aparição ao Imperador a profetisa falou "Hoje nasceu um rei que será mais poderoso que você". Após ouvir a profecia Augustus renunciou as honras divinas e caiu de joelhos para orar ao Filho de Deus.




d) As horas da Virgem Maria - Fólio 59 "A Coroação da Virgem"


O ciclo devotado a Maria termina com a magnífica Coroação da Virgem, que ilustra a última hora do dia. Nessa iluminura, contra um fundo azul do céu se espalha um arabesco de anjos com asas douradas de um lado, e uma multidão de santos, também com halos dourados, no meio dos quais a Virgem com um manto púrpura contrasta com o Manto azul de Cristo.


Nessa nova concepção da cena, Maria é mostrada de joelhos e sendo coroada por Jesus. Essa forma foi depois muitas vezes utilizada por Fra Angelico. Jesus usa uma coroa, mas acima dele cinco anjos seguram três coroas sombolizando a Trindade Santa.










e) As horas da Cruz



Nesta seção, Cristo é retratado como o Homem das Dores , exibindo feridas e cercado por instrumentos da paixão. Este é um tipo de iconografia comum nos manuscritos do século XIV. Esse fólio abaixo foi realizado por Jean Colombe já que ele inclui o Duque de Savóia.


Homem das Dores , com Duque Charles I de Sabóia e sua esposa de 1485 a 1489; folio 75r





f) Ofício da Semana - (fólio 92 - O Batismo de Cristo)

Nas tres riches heures, uma série de pequenos ofícios para cada dia  da semana seguem o Ofício da Morte.  Cada dia é devotado para um culto particular: Domingo para a Trindade, Quarte-feira para os santos, ...,. As iluminuras dessa seção foram feitas todas por Jean Colombe.


Para o Ofício do Domingo, o artista pintou o "Batismo de Cristo". Na cena o artista procurou retratar a porção do Evangelho que dizia "Eis o meu filho muito amado no qual coloco todo o meu amor". 

O artista procurou de uma maneira simples colocar Jesus no centro, com o céu se abrindo e aparacendo Deus pai, enviando o Espírito Santo na forma de uma pomba.




g) As horas da Paixão - (fólio 107 - "Cristo no Gêthsemane")

No livro, as horas da paixão seguem uma série de pequenos serviços diários. O ciclo começa pela manhã e a cena mostra o cristo no Getsemani. Essa é uma das iluminuras noturnas mais bonitas já realizada. No meio da noite escura, com os soldados caídos, sobre Cristo brilha o seu halo contra o fundo do céu estrelado. De todo o grupo, somente São Pedro está de pé, pronto para defender o Senhor. 

Essa iluminura além da descrição da cena transmite uma profunda religiosidade.





h) As horas do ano litúrgico - (fólio 124 - "Alimentando a Multidão" ) 


Seguindo as horas da paixão, uma série de celebrações dedicadas aos eventos mais importantes do ano completam o manuscrito. Abaixo mostramos o Milagre dos Peixes ou  "Alimentando a Multidão" em fólio realizado pelos irmãos Limbourg.

Na cena são apresentados a Jesus, cinco pães e dois peixes. Ele os abençoa e manda os discípulos distribuirem para todos. O resultado é que todos são alimentados e ainda sobram peixes e pães. Do céu abençoando a cena podemos ver Deus Pai, unido a Cristo pelo Espírito Santo.





5. - Referências


Texto compilado da Wikipedia  - Les Trés Riches Heures, wikipedia francesa.

Livro das horas em exemplar publicado por Longon, Caselles e Meiss e vendido pela Amazon.com. Preço em torno de US$ 54,00 o exemplar novo.



https://artrianon.com/2017/01/24/obra-de-arte-da-semana-o-manuscrito-les-tres-riches-heures-du-duc-de-berry/


sábado, 2 de dezembro de 2017

Help ! Em três Versões

1. - Help ! -  The Beatles




Help! é uma canção dos Beatles, composta por John Lennon, mas creditada à dupla Lennon-McCartney. Foi lançada em compacto, em 1965, tendo a canção "I'm Down" como lado B. Ela também integra o álbum e o filme de mesmo nome. 


Capa do Álbum Help
 
Uma das músicas mais emblemáticas do grupo, obteve bastante sucesso após o seu lançamento e atingiu inclusive o 1º lugar no Billboard Hot 100 e no Top de Singles do Reino Unido. A Rolling Stone colocou-o em 29º na sua Lista das 500 melhores canções de todos os tempos da Revista Rolling Stone. (fonte: Wikipedia)



Comentário de John sobre Help


John Lennon declarou em dezembro de 1970, que Help era das poucas músicas que ele tinha orgulho de ter escrito. Ele falou que Help e Strawberry Fields foram inscritas baseadas em sua experiência e não em uma história projetada ou criada. Ele ainda comentava que a letra de Help continuava boa desde a época que foi escrita e ainda na atualidade. Além disso ele se orgulhava de tê-la escrito em seu perfeito domínio. 
John  a escreveu depois de saber o nome que seria dado ao segundo filme dos Beatles. No ínício a canção seria um pouco mais lenta, mas depois de trabalhar um pouco com Paul ela adquiriu o ritmo atual.

John também falou: "Quando 'Help!' Saiu, eu estava chorando por ajuda. A maioria das pessoas pensa que é apenas uma música rápida de rock'n'roll. Eu não percebi na época, acabei de escrever naquele momento porque fui encarregado de escrevê-la para o filme. Mas depois, eu sabia que realmente estava pedindo ajuda. Foi o meu período de gordura Elvis. Você vê o filme, ele - eu - é muito gordo, muito inseguro, e ele se perdeu completamente. E eu estou cantando sobre quando eu era muito mais jovem e todo o resto, olhando para trás o quão fácil era. Eu estava gordo e eu estava chorando por help." (fonte: http://www.beatlesebooks.com/help!)






Paradas de Sucesso

Em termos de "singles" número um, o Beatles foi o grupo mais bem-sucedido da época, emplacando dezessete canções na primeira colocação.  O recorde de permanência de um "single" no 1° lugar foi de oito semanas, e isso ocorreu em três ocasiões: com "It's Now or Never" de Elvis Presley em 1960, com "Wonderful Land" do The Shadows em 1962, e com "Sugar, Sugar" do The Archies em 1969. A canção "She Loves You" do Beatles tornou-se o single mais vendido de todos os tempos em 1963, recorde mantido até 1977, quando o Wings, banda de Paul McCartney, superou-o com "Mull of Kintyre".

 

2. - Gravação Original


Créditos:
John Lennon: vocal, guitarra rítmica
Paul McCartney: backing vocal, contrabaixo
George Harrison: backing vocal, guitarra solo
Ringo Starr: bateria





3. Letra  (Tradução Vagalume)





Help! I need somebody
Help! Not just anybody
Help! You know I need someone
Help!

When I was younger so much younger than today I never needed anybody's help in any way
But now these days are gone
 I'm not so self assured
Now I find I've changed my mind
 I've opened up the doors


Help me if you can I'm feeling down
And I do appreciate you being 'round
Help me get my feet back on the ground
Won't you please, please, help me?


And now my life has changed in so many ways My independence seems to vanish in the haze
But every now and then I feel so insecure
 I know that
I just need you like
I've never done before



Help me if you can I'm feeling down
And I do appreciate you being 'round
Help me get my feet back on the ground
Won't you please, please, help me?



When I was younger so much younger than today
I never needed anybody's help in any way         But now these days are gone
I'm not so self assured
Now I find I've changed my mind
I've opened up the doors


Help me if you can I'm feeling down
And I do appreciate you being 'round
Help me get my feet back on the ground
Won't you please, please, help me, help me, help me? Oh



Socorro! Eu preciso de alguém
Socorro! Não de qualquer pessoa
Socorro! Você sabe que eu preciso de alguém
Socorro!

Quando eu era jovem, muito mais jovem do que hoje
Eu nunca precisei da ajuda de ninguém para nada
Mas agora esses dias se foram
E eu não estou tão seguro de mim mesmo
Agora eu decidi mudar meus pensamentos
E abri as portas

Ajude-me se você puder, estou me sentindo desanimado
Eu gostaria de ter você por perto
Ajude-me a colocar meus pés de volta ao chão
Você não vai, por favor, por favor, me ajudar?

Agora minha vida mudou de muitas maneiras
Minha independência parece desaparecer na neblina
E cada vez que isso acontece, eu me sinto muito inseguro
Só sei que eu preciso de você
Como eu nunca tinha feito antes

Ajude-me se você puder, estou me sentindo desanimado
Eu gostaria de ter você por perto
Ajude-me a colocar meus pés de volta ao chão
Você não vai, por favor, por favor, me ajudar?

Quando eu era jovem, muito mais jovem do que hoje
Eu nunca precisei da ajuda de ninguém para nada
Mas agora esses dias se foram
E eu não estou tão seguro de mim mesmo
Agora eu decidi mudar meus pensamentos
E abri as portas

Ajude-me se você puder, estou me sentindo desanimado
Eu gostaria de ter você por perto
Ajude-me a colocar meus pés de volta ao chão
Você não vai, por favor, me ajudar, me ajudar, me ajudar?

                                                               

4. - Outras versões

 

4.1 - Tina Turner





 4.2 - Noel Galagher 

Diz-se que essa era a forma original que John Lennon pretendia gravar.


 

4.3  - Caetano Veloso

Uma forma ainda mais lenta.




 

 5. - Outras versões famosas

 

Bono Vox e U2 -https://youtu.be/EQsdlbV4jms

Deep Purple - https://youtu.be/WBugcmKpO2o

 

6. - Referências 


Help - The Beatles, direitos autorais Johne Lennon e Paul McCartney, vídeos youtube

Wikipedia - Premiações e paradas de sucesso

Comentários John Lennon: http://www.beatlesebooks.com/help!

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Sarajevo, curando as feridas, buscando um futuro.

1.- Sarajevo à procura de um futuro


Sarajevo sempre esteve em um lugar especial na nossa imaginação do mundo e de seus eventos históricos.  O motivo inicial era a curiosidade sobre a história do assassinato do arquiduque Franz Ferdinand que foi o estopim para o início da primeira guerra mundial. Depois disso veio a guerra da Bósnia, o cerco de Sarajevo, e toda a história recente. Fomos lá em 2017, por muito pouco tempo, mas constatamos: É uma cidade cheia de história, com dores recentes, e procurando um futuro sustentável e coerente conforme mostrado abaixo.



Ponte em Sarajevo
Sarajevo sempre teve a convivência lado a lado de várias religiões e várias etnias. A pergunta agora é como conviver lado a lado pessoas com pensamentos tão diferentes depois de um conflito recente e longo ? Pessoas que até poucos anos atrás participaram de uma guerra, em lados opostos,  onde vários eventos foram considerados como  verdadeiros genocídios. Entretanto, existiram também pessoas de etnias diferentes que permaneceram lado a lado lutando pelo ideal de convivência mútua sem restrições.

Imaginemos como era a vida das pessoas, nessa época recente,  quando tinham de atravessar a rua principal da cidade sob a mira de atiradores escondidos nos topos de prédios (snipers) ? Como viver com a fachada de sua casa sendo alvo de tiros de fuzil, metralhadora e morteiros o tempo todo ? 

Essa realidade foi vivida por Sarajevo até poucos anos atrás. Hoje podemos dizer que a sua população procura curar as feridas e descobrir um caminho de esperança. Não é fácil.

Rezemos por Sarajevo e pela Bósnia. Vamos conhecer um pedaço bem pequeno dessa história.


2. - Resumo Histórico


2.1 - Fundação e domínio dos Otomanos (1461)


a) Fundação

Sarajevo foi fundada pelo Império Otomano na década de 1450 após a conquista da região. O ano de 1461 é considerado como data de fundação da cidade. O primeiro governador otomano da Bósnia , Isa-Beg Ishaković , transformou o conjunto de aldeias em uma cidade e capital do estado através da construção de uma série de estruturas-chave incluindo uma mesquita, um mercado fechado, um banho público , um albergue e, claro, 
um Castelo do Governador ("Saray") que deu à cidade o nome atual.

Praça dos Pombos


b) Chegada dos judeus da Espanha (final século XV)



Após a expulsão de judeus da Espanha no final do século 15 e o convite do império otomano para reassentar sua população, os judeus sefarditas chegaram a Sarajevo. Ao longo do tempo a cidade se tornaria um centro líder da cultura sefardita. Embora de tamanho relativamente pequeno, um bairro judeu se desenvolveu em vários quarteirões em Baščaršija .



c) Apogeu de Sarajevo (século XVII)



No auge do império otomano, Sarajevo foi a maior e mais importante cidade otomana nos Balcãs depois de Istambul. Em 1660, a população de Sarajevo era estimada em mais de 80.000 pessoas. Em comparação, Belgrado em 1838 tinha 12.963 habitantes, e Zagreb , até 1851, tinha 14 mil pessoas.

d) Presença Otomana em Sarajevo - Fotos Atuais


comércio 1


comércio 2


e) Destruição na grande guerra turca (1697)



Em 1697, durante a Grande Guerra Turca , uma incursão foi liderada pelo Príncipe Eugene de Sabóia da Monarquia de Habsburgo contra o Império Otomano, que conquistou Sarajevo e a deixou destruída e queimada no chão. Depois que seus homens haviam saqueado a cidade completamente, eles a incendiaram  e destruíram quase tudo em um dia. Apenas um punhado de bairros, algumas mesquitas e uma igreja ortodoxa ficaram de pé. Numerosos outros incêndios enfraqueceram a cidade, que foi posteriormente reconstruída, mas nunca se recuperou completamente da destruição. Em 1807, tinha apenas cerca de 60 mil habitantes.



2.2 - Governo pelo Império Austríaco (1878 a 1914)



A ocupação pela Áustria e  Hungria da Bósnia e Herzegovina veio em 1878 como parte do Tratado de Berlim. A anexação completa foi concluída em 1908, irritando os sérvios. Sarajevo foi industrializado pela Áustria-Hungria, que usou a cidade como uma área de teste para novas invenções, como os trens , que foram estabelecidos em 1885 antes de serem instalados em Viena . 

Como resultado, a cidade tem uma mistura única juntando os exemplos da cidade otomana com prédios de arquitetura ocidental contemporânea. 

O período austro-húngaro foi de grande desenvolvimento para a cidade, já que o poder ocidental trouxe os padrões da era vitoriana. Várias fábricas e outros edifícios foram construídos neste momento

Arquitetura do período Austríaco

Teatro Nacional


Universidade e Correios
Museu de Belas Artes

3. - O assassinato do Arquiduque Franz Ferdinand


Nesse local o herdeiro do Império Austro-Húngaro, Franz Ferdinand, e sua esposa, Sophie de Hohenberg, foram assassinados em 1914. Um primeiro atentado com bombas,  menos de uma hora antes, havia falhado. O arquiduque quis visitar o hospital onde se encontravam os feridos do atentado. Entretanto, o condutor do seu veículo errou o caminho e parou para fazer uma manobra justamente nessa esquina onde se encontrava, por acaso, aparentemente comendo um sanduíche, um dos membros envolvidos no plano de assassinato. O local mostrado era a cafeteria Moritz-Schiller. O assassino que se encontrava no local e fez o disparo foi o nacionalista sérvio-bósnio chamado Gavrilo Princip. O fato desencadeou a Primeira Guerra Mundial.

Museu em lembrança do assassinato de Franz Ferdinand. Ele foi assassinado em frente ao local.


Ponte Latina

Ponte conhecida como "Latin Bridge" onde passou a comitiva
placa no museu mostrando o local do assassinato


Fotos Antigas

Cafeteria que hoje é Museu e onde se encontrava o assassino.
Prisão do assassino Gavrilo Princip

4. - Bósnia e Sarajevo - Um Caldeirão Complexo e  Multicultural


4.1 - A Bósnia - (Federação Bósnia e República Sérvia)


A Bósnia é uma república federal dos Balcãs, cuja capital é a cidade de Sarajevo. É composta por duas entidades politicamente autônomas, a Federação da Bósnia e Herzegovina (federação croato-bosníaca) e a República Sérvia (também conhecida como República Srpska, que não deve ser confundida com a Sérvia propriamente dita).

Mapa com divisão Federação Bósnia e Republica Srpska
Os principais grupos étnicos que habitam a Bósnia e Herzegovina são majoritariamente bósnios, sérvios e croatas. A maioria dos habitantes que vivem no país são falantes do servo-croata. Metade da população segue o cristianismo (35 por cento segue a Igreja Ortodoxa Sérvia e 15 por cento segue o catolicismo) e 46 por cento é muçulmana.
A Bósnia e Herzegovina tornou-se independente em 1992. Depois de ser proclamada a independência do país, eclodiu uma guerra civil, resultando num genocídio que causou a morte de 200 mil pessoas.


O sistema político da Bósnia é o de uma república presidencialista tripartida, com um representante bósnio-muçulmano (bosníaco), um croata e um sérvio.

O cargo de presidente da Bósnia e Herzegovina é exercido em rotatividade pelos três membros da presidência da Bósnia e Herzegovina (um "bósnio" muçulmano, um sérvio e um croata), cada um ocupando o cargo durante 8 meses ao longo do seu mandato de quatro anos na presidência. Os três membros da presidência são eleitos diretamente pelo povo (votos da Federação para o bosníaco e o croata, e da República Srpska para o sérvio).



4.2 - Sarajevo - Um lugar com várias Religiões e Etnias


Na cidade velha (stari grad) de Sarajevo podemos encontrar, a muito pouca distância uma da outra, Igreja ortodoxa, Igreja católica, Mesquita muçulmana, Sinagoga judia, Museu judeu, ...,.










a) Mesquita Mulçumana Gazi Husrev

A Mesquita Gazi Husrev-bei  é a maior mesquita histórica da Bósnia e Herzegovina. Construída no século 16, é uma das estruturas otomanas mais representativas dos Balcãs. 

Sendo a mesquita central de Sarajevo desde os dias da sua construção, hoje também serve como a principal mesquita congregacional da comunidade islâmica da Bósnia e Herzegovina. Está localizada no bairro Baščaršija no Stari Grad e, é  um dos principais monumentos arquitetônicos da cidade. É visitado regularmente por turistas quando não há culto religioso.



Mesquita de Gazi Husrev-Begfoi



A  Mesquita Gazi Husrev-Begfoi construída entre  1530/1531 como elemento central de várias construções otomanas, que  incluía um maktab e uma madrassa (escolas primárias e secundárias islâmicas), um Bezistan (mercado abobadado) , um hammam (banho  público), etc. 

A Mesquita Gazi Husrev-Bey foi a primeira mesquita do mundo a receber eletricidade e iluminação elétrica em 1898 durante o período do Império Austro-Húngaro.



Mesquita de Gazi Husrev-Begfoi
Mesquita de Gazi Husrev-Begfoi



b) Igreja Ortodoxa - Catedral da Natividade da Virgem Maria

A Igreja Catedral da Natividade da Theotokos (Virgem Maria) é a maior igreja ortodoxa sérvia em Sarajevo e uma das maiores dos Balcãs .

A catedral é dedicada à natividade da Theotokos. Foi erguido a pedido da comunidade ortodoxa de Sarajevo, com a construção entre 1863 e 1868. A igreja é construída como uma basílica de três seções inscritas em um plano em forma de cruz e tem cinco cúpulas. 



Igreja Ortodoxa ao fundo
A igreja é arqueada por elementos redondos. O campanário do estilo barroco é construído em frente à entrada. As paredes interiores são decoradas com ornamentos pintados.



interior da Igreja Ortodoxa
Igreja Ortodoxa

c) Igreja Católica - Catedral do Sagrado Coração


A Catedral do Sagrado Coração é uma igreja cristã; Ela é comumente referenciada como a Catedral de Sarajevo. É a maior catedral da Bósnia e Herzegovina e a sede do arcebispado de Vrhbosna, atualmente cardeal Vinko Puljić. É centro do culto católico na cidade. A Catedral também está localizada na Cidade Velha.



Fachada da Catedral do Sagrado Coração
Estátua de São João Paulo II


O Igreja  foi construída no estilo neogótico , com elementos do Renascimento românico . O edifício foi  contratado com o premiado vienense Baron Karl Schwarz e com o arquiteto supervisor Josip Vancaš .  O trabalho começou em 25 de agosto de 1884 e foi concluído em 9 de novembro de 1887. O bispo de Dubrovnik esteve presente para a consagração em 14 de setembro de 1889.

O prédio foi danificado durante o cerco de Sarajevo, mas não foi completamente destruído. Os danos já foram todos reparados.


interior da Igreja católica Catedral do Sagrado Coração


d) Sinagoga Judia (Ashkenazi) e Museu Judeu



A sinagoga de Sarajevo é a principal e maior sinagoga da Bósnia e está localizada na margem sul do rio Miljacka . Foi construída em 1902 e continua a ser a única sinagoga em funcionamento em Sarajevo até hoje.

Uma sinagoga sefardita tinha sido construída em 1581 com a doação do turco Beylerbey Sijamush Pasha para ajudar os membros da comunidade judaica de Sarajevo que eram pobres.  O prédio foi incendiado em 1679 e 1778, e foi reconstruído a cada vez. Agora serve como um museu judeu. Ao lado está a Nova Sinagoga (Novi Hram) que serve como uma galeria de arte pertencente à comunidade judaica de Sarajevo.




sinagoga - historiacomgosto
Museu - wikimedia commons



Judeus Ashkenazi chegaram a Sarajevo durante o Império Austro-Húngaro no final do século XIX. A sinagoga de Sarajevo Ashkenazi foi desenhada por Karel Paříke construída em 1902.



5. - A Guerra da Independência e o Cerco à Sarajevo


5.1 - O cerco de Sarajevo (texto wikipedia)


Foto de Mikhail Evstafiev, wikimedia
Após a Bósnia e Herzegovina fazerem sua declaração de independência da República Socialista Federativa da Iugoslávia, os sérvios, cujo objetivo estratégico era criar um novo Estado sérvio da República Srpska, o qual incluiria parte do território da Bósnia e Herzegovina, cercaram Sarajevo com uma força de cerca de 18.000 homens. 

Baseados nas colinas circundantes, assaltaram a cidade com armamento pesado, que incluía artilharia, morteiros, tanques, canhões antiaéreos, metralhadoras pesadas, lançadores múltiplos de foguetes, mísseis lançados de aeronaves e rifles sniper. Em 2 de maio de 1992, os sérvios bloquearam a cidade. As forças de defesa do governo bósnio, que estavam muito mal equipadas, foram incapazes de romper o cerco.




O cerco de Sarajevo foi o mais longo cerco da história da guerra moderna. Durou de 5 de abril de 1992 a 29 de Fevereiro de 1996.



Estima-se que mais de 12.000 pessoas foram mortas e 50.000 feridas durante o cerco, sendo 85% das vítimas civis. Por causa dessas mortes e da migração forçada, em 1995, a população da cidade caiu para 334.663 pessoas (64% da população de antes da guerra)

5.2 - Composição da população de Sarajevo


Em 1991, antes da guerra, a população de Sarajevo era de 527.049 pessoas sendo: 49.2 % muçulmanos, 29.81 % sérvios, 6.6 % croatas, 10.7 % Iugoslavos, 3.6 % outros.


5.3 -  Miss Sarajevo

Apesar de viverem sitiados, sem água potável distribuída, sem energia elétrica e sem gás, por um período de quase 4 anos, o povo de Sarajevo foi de uma bravura intensa na sua resistência. Eles não se dobraram materialmente na luta e nem se dobraram psicologicamente no cerco e nas privações. 

Apesar de viverem cercado por atiradores escondidos, o povo fez de tudo para levar uma viada normal. Até um concurso de Miss Sarajevo foi elaborado pelos artistas locais com participação das moças da cidade. O ponto  alto foi quando no final elas ergueram uma faixa "Don't let them kill us" ("Não deixem que eles nos matem").

Música do U2

O jornalista americano Bill Carter sugeriu a Bono uma ideia de filmar um documentário baseado no movimento de resistência subterrânea de Sarajevo. Não só Bono produziu o filme, mas também forneceu os fundos necessários para apoiar o projeto. 

"A câmera segue os organizadores através dos túneis e caves da cidade, dando uma visão única sobre a vida durante uma guerra moderna, onde os civis são os alvos. O filme captura o humor sombrio dos sitiados sarajevanos, sua recusa teimosa de serem desmoralizados e sugere que o surrealismo e o dadaísmo são as respostas apropriadas ao fanatismo ".

-Bono

Letra


Is there a time for keeping your distance
A time to turn your eyes away
Is there a time for keeping your head down
For getting on with your day
Is there a time for kohl and lipstick
Is there time for cutting hair
Is there a time for high street shopping
To find the right dress to wear
Here she comes, heads turn around
Here she comes, to take her crown
Is there a time to run for cover
Is there a time for kiss and tell
Is there a time for different colours
Different names you find hard to spell
....
Existe um tempo para ficar distante
Um tempo para inverter seu olhar
Existe um tempo para baixar a cabeça
Para ir em frente com seu dia
 Existe um tempo para usar batom e maquiagem Um tempo para cortar o cabelo
Existe um tempo para compras na avenida
Para encontrar o vestido certo para se usar
Lá vem ela, os olhares se voltam
Lá vem ela, para receber a coroa
Existe um tempo para correr para os abrigos
Um tempo para beijos e confissões
Existe um tempo para cores diferentes
Nomes diferentes, você sente dificuldade em soletrá-los
....

5.4 - O Massacre de Sreblinika - Museu "Gallery" em Sarajevo

O Massacre de Srebrenica foi o assassinato, de 11 a 25 de julho de 1995 de cerca de 8.000  bósnios muçulmanos, variando em idade de adolescentes a idosos, na região de Srebrenica, pelo Exército Bósnio da Sérvia, sob o comando do General Ratko Mladić e com a participação de uma unidade paramilitar sérvia conhecida como "Escorpiões".

Considerado um dos eventos mais terríveis da história recente, o massacre de Srebrenica é o maior assassinato em massa da Europa desde a Segunda Guerra Mundial. Foi o primeiro caso legalmente reconhecido de genocídio na Europa depois do Holocausto.


foto de Srebrenika, Museu Gallery em Sarajevo

Tudo começou quando tropas sérvias invadiram Srebrenica, e a população local buscou abrigo em um complexo da ONU. Porém, dois dias depois, as forças holandesas da missão de paz da ONU, que estavam em menor número e não tiveram resposta quando pediram reforço a ONU, em Genebra, cederam às pressões das tropas de Mladic e forçaram milhares de famílias muçulmanas a deixar o local. Os invasores sérvios, então, organizaram os muçulmanos por gênero, enviando os homens para a execução. Cerca de 8 mil homens e meninos muçulmanos foram mortos. Também houve denúncias de estupros, seguidos de assassinatos, de mulheres e crianças.

Museu Gallery em Sarajevo

Em Sarajevo existem vários museus com o intuito de preservar a história dos mortos e de todos os horrores e sacrifícios decorrentes do cerco de Sarajevo, do Massacre de Srebrenica e outras batalhas como a de Mostar, ...,.

Um dos mais importantes e atuais é o Museu Gallery, dedicado ao genocídio de Srebrenica. Ele fica bem ao lado da Igreja Católica.


Cartaz mostrando a exposição do Museu Gallery que fica em algumas salas desse prédio. foto HistoriacomGosto

O Museu Gallery  11/07/95 é a primeira galeria memorial na Bósnia e Herzegovina - um espaço de exposição destinado a preservar a memória da tragédia de Srebrenica e as 8372 pessoas que morreram nos massacres. A exposição permanente fornece cenas documentais do que restou de Srebrenica na sequência deste genocídio. Através de uma ampla gama de conteúdos multimédia - imagens, mapas, materiais de áudio e vídeo, a Galeria oferece interpretação documental e artística dos eventos que ocorreram nesta pequena cidade da Bósnia-Oriental durante o mês de julho de 1995.
O objetivo geral deste museu é ser uma voz forte e decisiva contra todas as formas de violência no mundo. Srebrenica é um símbolo - não só da guerra na Bósnia e Herzegovina, mas também do sofrimento de pessoas inocentes e da indiferença dos outros.
museu1
fotos de caixões das pessoas mortas no massacre
Pessoas a procira de seus mortos

  museu2
cartazes clamando por atenção do mundo
cartazes clamando por atenção do mundo

Ratko Mladic é condenado à prisão perpétua por genocídio na Bósnia (22/11/17)


O Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia, em Haia, julgou Mladic culpado de dez das 11 acusações apresentadas contra o ex-general, incluindo o cerco a Sarajevo e o massacre de Srebrenica, dois dos maiores crimes cometidos durante a Guerra da Bósnia, entre 1992 e 1995.

(Fonte: https://g1.globo.com/mundo/noticia/ratko-mladic-e-condenado-a-prisao-perpetua-por-genocidio-na-bosnia.ghtml)

5.5 - Sniper Alley - Alameda dos Atiradores


"Sniper Alley" ( bósnio Snajperska aleja ) foi o nome informal dado principalmente para a rua "Zmaja od Bosne Street"  e sua continuação (a principal avenida em Sarajevo), que durante a Guerra da Bósnia ficou na mira dos postos dos atiradores escondidos em topos de prédios, e tornou-se o símbolo infame de uma ameaça permanente, escondida e traiçoeira para os habitantes civis da cidade atravessarem aquela rua.

Antigo Hotel Holiday Inn, onde ficavam os jornalistas estrangeiros que cobriam a guerra


A avenida liga a parte industrial da cidade (e mais adiante, o Aeroporto de Sarajevo) para os locais culturais e históricos da Cidade Velha. A avenida em si tem muitos prédios altos que dão aos atiradores de campo extensivas áreas de tiro.

Igreja ao lado de um prédio todo alvejado de tiros, foto HistoriacomGosto

As montanhas que cercam a cidade também foram usadas para as posições de atiradores furtivos, proporcionando uma distância segura e dando uma excelente visão sobre a cidade e seu trânsito. 



Embora a cidade estivesse sob constante cerco dos sérvios, as pessoas ainda tinham que se deslocar para a cidade para sobreviver, tentando levar as suas vidas  de maneira rotineira. Sinais lendo " Pazi - Snajper !" ("Olhar para fora - Sniper!") tornaram-se comuns. 



As pessoas corriam rapidamente pela rua ou aguardavam os veículos blindados das Nações Unidas e caminhavam atrás deles, usando-os como escudos. 



De acordo com dados reunidos em 1995, os atiradores feriram 1.030 pessoas e mataram 225 sendo 60 crianças.



5.6 - As marcas da Guerra



prédio residencial com marcas de tiros, foto HistoriacomGosto

marcas 1

prédio residencial com marcas de tiros
prédio residencial com marcas de tiros







Ministério da Defesa - Sarajevo, foto HistoriacomGosto



prédio residencial com marcas de tiros
prédio residencial com marcas de tiros

5.7 - Túnel de Sarajevo / Túnel da Esperança / Túnel da Vida


O túnel de Sarajevo ou túnel da esperança, foi um túnel subterrâneo construído entre março e junho de 1993 durante o cerco de Sarajevo. Foi construído pelo exército bósnio, e voluntários, para ligar a cidade de Sarajevo  com uma área controlada pelas Nações Unidas  perto ao Aeroporto. 



O túnel ligou os bairros de Dobrinja e Butmir, permitindo que comida, material de guerra e ajuda humanitária chegassem à cidade e permitindo que as pessoas pudessem sair. O túnel tornou-se a maneira principal de contornar o embargo internacional de armas e fornecer meios de defesa e subsistência aos habitantes da cidade.


No início o projeto foi difícil, pois faltava mão de obra, ferramentas e materiais qualificados para completar a tarefa. Conseqüentemente, o túnel foi escavado à mão, com pás e picaretas, e carrinhos de mão ​​para transportar 1.200 metros cúbicos de detritos. O túnel foi escavado 24 horas por dia, com trabalhadores trabalhando em turnos de 8 horas escavando de extremidades opostas. Sua construção foi financiada pelo Estado, pelo Exército e pela cidade de Sarajevo. Os trabalhadores foram pagos com um pacote de cigarros por dia, um item que estava em alta demanda. (fonte: Wikipedia)

Museu Túnel da Esperança


Após a guerra, foi construído o "Museu Túnel de Sarajevo"  na casa  privada, cuja adega serviu de entrada ao túnel. Os visitantes ainda podem caminhar por um pequeno comprimento do túnel (aproximadamente 20 metros). O museu da "casa" exibe materiais de arquivo, incluindo um filme de 18 minutos de duração, fotografias de guerra, equipamentos militares, bandeiras, uniformes militares.

Casa que era entrada do túnel, foto de Baumi, wikimedia
trecho do túnel, foto de Veronika Kovalenko

6.0 - Museu e Biblioteca de Sarajevo


O prédio mostrado na foto abaixo foi a Prefeitura de Sarajevo até 1949. Ele foi transformado em biblioteca nessa data. O prédio foi completamente destruído em 1992 em um bombardeio do exército sérvio no cerco a Sarajevo. No incendio foram perdidos cerca de 2 milhões de livros. Completamente restaurado o prédio foi reaberto em 2015 como Museu e abrigará uma nova biblioteca.

Museu e Biblioteca de Sarajevo, foto HistoriacomGosto

Museu1
Pátio do Museu / Biblioteca
Teto Museu / Biblioteca

Museu 2
teto do Museu / Biblioteca
Teto do Museu / Biblioteca



Retrato da Catástrofe


Foto de Mikhail Evstafiev, Wikimedia Commons

Comentário de Mikhail Evstafiev:  Esta imagem é uma das minhas favoritas. Ela foi tirada durante a guerra em 1992 em Sarajevo na parcialmente destruída Biblioteca Nacional. O violoncelista é um músico local, Vedran Smailovic, o qual freqüentemente tocava de graça em diferentes funerais durante o cerco, apesar do fato que funerais eram constantes alvos das forças Sérvias.  

7 - População de Sarajevo - censos de 1991, estimativa 2002 e censo 2013


Em 1991, antes da guerra, a população de Sarajevo era de 527.049 pessoas sendo: 49.2 % muçulmanos, 29.81 % sérvios, 6.6 % croatas, 10.7 % Iugoslavos, 3.6 % outros.

Estimativa de 2002, de uma população de 401,118,  79.6 %  eram bosníacos (muçulmanos),  11.2 % Servios, 6.7 % Croatas and 2.5 % outros (Jews, Romas, etc.).

Em 2013, considerando apenas 04 municípios / distritos principais de Sarajevo, população de 275.524 habitantes, 80,74 % bosníacos muçulmanos, 3,78 % sérvios, 4.94% croatas  e 10.54 % outros. 

A observação que se faz é que existe uma tendência considerável e compreensível, da população bosníaca-muçulmana e população croata se fixarem na área da Federação Bósnia e da população sérvia se fixar na República Sérvia. Isso pode aumentar cada vez a mais a pressão pela separação e divisão do país nas duas áreas.

8 - Retratos de Hoje - Novi Grad


Novi Grad, "Cidade Nova" é o mais ocidental dos quatro municípios / distritos que compõem a cidade de Sarajevo, na Bósnia e Herzegovina. Os quatro municípios são: Stari grad (cidade velha) Centar (centro), Novo Sarajevo e Novi Grad (cidade Nova)





Histórico



Durante a década de 1970 , Sarajevo estava passando por um rápido desenvolvimento econômico e cultural, com grande expansão focada na população e na indústria. Novi Grad foi o resultado direto desse período de forte crescimento, em que muitos acres de terras que não eram previamente utilizadas foram transformados em centros urbanos comunistas preenchidos com prédios de apartamentos. Quando o município de Novi Grad foi formalmente reconhecido, tinha cerca de 60 mil cidadãos, em 18 bairros.





Novi Grad, foto de BiHVolim
De acordo com o recenseamento de 1991, o município de Novi Grad tinha 136.746 cidadãos. Quatro anos de Guerra da Bósnia derrubaram esse número tremendamente. Algumas seções de Novi Grad estavam entre as primeiras a serem ocupadas pelos agressores, enquanto a cidade foi repetidamente banhada por morteiros. Dos 33.517 edifícios residenciais do município, 92% foram danificados durante o cerco de Sarajevo .



Novi Grad desde então fez uma recuperação fantástica. Embora muitos buracos de bala e impactos de morteiros sejam visíveis em todo o município, é globalmente saudável e funcionando.

9. - Referências


Wikipedia - Sarajevo, Bósnia, Cerco a Sarajevo, Atentado contra o Arquiduque da Áustria, Massacre de Srebrenika

Youtube - Miss Sarajevo

Fotos: História com Gosto

Artigo "Debate sobre a representação da diferença e o significado da guerra na Bósnia-Herzegovina", Andréa Carolina Schvartz Peres, Pós doutoranda  pela UFRGS

Mikhail Evstafiev - Foto violoncelista na Biblioteca