quarta-feira, 15 de junho de 2016

Van Gogh e suas releituras de Jean-François Millet

I - Jean François Millet



Jean-François Millet (4 de Outubro de 1814 – 20 de Janeiro de 1875) foi um pintor realista francês e um dos fundadores da Escola de Barbizon na França rural. É conhecido como precursor do realismo, pelas suas representações de trabalhadores rurais.

Millet Recebeu suas primeiras aulas de pintura em 1834, em Cherbourg. Mudou-se depois para Paris, em 1838, onde continuou sob a orientação do pintor Paul Delaroche, dedicando-se a estudar os grandes mestres do Louvre.



  The Gleaners, Millet (1857), Musée d'Orsay, Paris - As espigadeiras (catadoras de espigas)


Em 1840, decidiu abandonar o Academismo e ficar sob a influência de Daumier. Nessa época conseguiu se apresentar pela primeira vez no Salão de Paris e conheceu os pintores Théodore Rousseau e Constant Troyon, que o influenciaram a mudar-se para o campo. Ele acabou indo para o povoado de Barbizon. 

Em Barbizon ele viveria toda a sua vida, longe da cidade que detestava e pintando seus célebres quadros de camponeses, que tantas críticas despertaram entre os conservadores franceses. Em 1849 abdica definitivamente de Escola de Barbizon para se dedicar por inteiro às suas representações de trabalhadores rurais das mais diversas áreas.

Suas obras sobre camponeses foram consideradas sentimentais para alguns, exageradamente piegas para outros, mas a verdade é que as obras de Millet em nenhum momento suscitaram indiferença. 

Na tepidez de seus ocres e marrons, no lirismo de sua luz, na magnificência e dignidade de suas figuras humanas, o pintor manifestava a integração do homem com a natureza. No entanto, é nos pequenos gestos que se pode descobrir a capacidade de observação deste grande pintor.  



     Interpretação de Van Gogh - As catadoras de espiga (1889) Fundação Burhle, Zurique

Barbizon


Os principais pintores de Babizon integrantes da Pintura Realista, que reagiram ao formalismo do Romantismo de Delacroix, foram Jean-Baptiste Camille Corot, Jean-François Millet e Théodore Rousseau 

Millet morreu em Barbizon em 1875 com sua família e cercado pelas coisas que ele amava como Carrinhos de mão, arados, bidões, ganchos de contas e foices.

2. - Van Gogh 


Em 1875, Van Gogh já demonstrava talento para o desenho mas ainda não tinha se decidido pelo desenho / pintura. Ele começou a trabalhar na Galeria Goupil de Paris aos dezesseis anos como auxiliar de vendas.  

Em junho de 1875, alguns meses depois da morte de Millet, Van Gogh de passagem para Paris, visita no hotel Drouot  uma exposição com 95 desenhos e pastéis de Millet vindos da coleção de Emile Gavet. Van Gogh ficou entusiamado com o que viu.  

Desiludido com o trabalho na Galeria Goupil, que ele achava que tratava a arte como uma mercadoria qualquer, ele logo é desligado e passou a desenvolver o seu lado espiritual pensando em se tornar pastor evangélico. 
Em 1880 depois de alguns anos passados na Bélgica como missionário evengélico Van Gogh decidiu viver da pintura. Em agosto de 1880 ele pede a seu irmão Theo para lhe mandar algumas gravuras dos trabalhos no campo desenhados por Millet. 
Através dessas imagens, Vincent aprendeu a desenhar as  figuras humanas em  lápis. Ele aprecia em Millet o rigor e, especialmente, a ideologia do homem que ganha o pão com o suor do seu rosto. Em Millet, ele encontra os valores cristãos queridos ao seu coração, humildade e compaixão.


O Semeador


                Millet, 1850           Van Gogh, 1881            Van Gogh, 1889


La Haye e Nuenen (1881 a 1885)


Em 1881 ele tenta reproduzir o Semeador de Millet. Ele faz várias reproduções das quais somente uma sobrexistiu. Ele copia freneticamente  Les Bêcheurs, L'Angélus, Les Quatre Heures du jour e outras telas. Ele se aprofunda e melhora nos seus estudos e desenhos. 
É em 1882 que Van Gogh começa sua pintura à Óleo. Ele compartilha suas impressões sobre os pintores que ele admira como Daumier e Millet. Ele executa várias telas com diferentes técnicas. Ele envia algumas telas a seu irmão Theo das quais poucas restaram. Algumas inclusive  foram destruídas pelo próprio autor. 

            Os Comedores de Batata, Van Gogh (1885), Museu Van Gogh, Amsterdã

Anvers (1885)


Em 1885 ele escreve a seu irmão Theo:  "Para mim, não é Manet, Millet é o pintor essencialmente moderno." 

Paris (1886 a 1887)


O efeito de Millet sobre Van Gogh iria diminuir, no entanto, quando ele se juntou a Theo em Paris e começou a socializar com os membros da comunidade artística - Gauguin, Pissarro, Toulouse-Lautrec, etc. 


Arles (fev 1888 a maio 1889)


Quando Van Gogh passa seu período em Arles é com Gauguin que ele se identifica na explosão de cores e cria então o estilo chamado "Pós-Impressionismo".



Saint-Rémy-de-Provence (maio 1889 a maio de 1890)



Em 1889 Van Gogh decide se internar no asilo de deficientes mentais de Saint-Remy. Nesse período de um ano em que passou no asilo em Saint-Remy, ele fez 21 cópias de obras de Millet. Estas cópias são tanto uma homenagem a Millet, bem como uma tentativa de Vincent para expandir ainda mais o seu próprio estilo. Enquanto Van Gogh admirava muito Millet, ele sentiu que suas cópias feitas em Saint-Rémy tinham uma grande quantidade de seus próprios sentimentos únicos:





Auvers-sur-Oise (1890)


Em maio de 1890 Van Gogh decide se mudar para Auvers-sur-Oise para ficar aos cuidados do Doutor Paul GAchet, amigo de seu irmão e de vário pintores impressionistas. Lá ele passa os últimos setenta dias de sua vida em uma época de forte produção artística. 



III - Releituras / Reinterpretações de Van Gogh sobre Millet



Releituras / Cópias por Vincent van Gogh formam um grupo importante de pinturas executadas pelo artista entre 1887 e início de 1890. Enquanto ele estava no asilo em Saint-Rémy-de-Provence, ele montou um pequeno atelier para poder trabalhar. Entretanto, ele admitiu a si mesmo, que  como ele não tinha modelos, ele tinha que se esforçar para ter assuntos durante os meses frios do inverno. 

Buscando ser revigorado artisticamente, Van Gogh fez mais de 30 cópias de obras por alguns de seus artistas favoritos, 21 das quais eram de Millet. 

Em vez de replicar, Van Gogh procurou traduzir os temas e composição através de sua perspectiva, cor e técnica. Significado espiritual e conforto emocional foram expressos através do simbolismo e cor. Seu irmão Theo van Gogh chamaria as peças da série de alguns dos seus melhores trabalhos.

Van Gogh considera que o assunto / motivo do quadro não é senão um ponto de partida para a interpretação do artista. Ele exprime essa idéia dizendo: 


"Se alguém toca Beethoven, acrescenta a sua própria interpretação pessoal; na música, especialmente no canto, a interpretação também conta e o compositor não tem que ser o único a exercer as suas composições De qualquer forma, especialmente agora que eu estou doente. , eu estou tentando criar algo para me confortar, para meu próprio prazer. Eu coloquei o preto e branco de Delacroix ou Millet na minha frente para usar como um motivo. E então eu improviso nas cores [...] enquanto são pelo menos corretas no espírito, que é a minha interpretação ".

Ou dito de outra forma: "Eu estou usando uma outra língua, a de cores, para traduzir as impressões de luz e escuridão em preto e branco". 


a) Os Primeiros Passos




                            Os Primeiros Passos - Millet (1858) - Lauren Rogers Museum of Art, Mississipi


      Os Primeiros Passos - Van Gogh (1890) - Metropolitan Museum of Art, New York

b) A Siesta ou o Meridiano (Millet e Van Gogh)



A siesta foi pintado quando Van Gogh estava internado no asilo em Saint-Rémy-de-Provence. A composição é feita de um desenho de Millet para "Quatro Momentos do Dia ".



"Descanso ao meio-dia"  de Millet



                            Descanso ao meio-dia (1886)  - Museum de Fine Arts of Boston


Desenho de Millet usado por Van Gogh
















Siesta de Van Gogh


Mantendo-se fiel à composição original, Van Gogh, no entanto, impõe seu próprio estilo em cima desta cena repousante que, para Millet, simbolizava a França rural de 1860. 

Esta retranscrição altamente pessoal é alcançada principalmente por meio de uma construção cromática baseada em cores contrastantes complementares: azul-violeta, amarelo-laranja. Apesar da natureza pacífica do assunto, a fotografia irradia a intensidade artística única de Van Gogh.


                                   The Siesta, Van Gogh (1890) - Musée d'Orsay, Paris

IV - Referências


- Musée d'Orsay - Siesta - Van Gogh

- L'Express - Van Gogh et Maitre Millet - http://www.lexpress.fr/informations/van-gogh-et-maitre-millet_630257.html

- A obsessão de Van Gogh - http://pt.slideshare.net/henrychinaglia/a-obsesso-de-van-gogh

- Wikipedia em Inglês - Copies by Van Gogh - https://en.wikipedia.org/wiki/Copies_by_Vincent_van_Gogh

- Wikipedia em francês - Jean François Millet

- Wikipedia em Francês - Van Gogh - https://fr.wikipedia.org/wiki/Vincent_van_Gogh

- Coleção Grandes Mestres - Editora Abril




2 comentários: