terça-feira, 7 de junho de 2016

O Escriba Sentado - Museu do Louvre

I - A estátua


O Escriba Sentado é uma estátua egípcia de pedra calcárea pintada, medindo cerca de 50 cm de altura, em exposição no Museu do Louvre em Paris. Ele ocupa um lugar de destaque nas obras primas da arte do Egito Antigo.  


Datando provavelmente da IV th dinastia ou da  V th dinastia (cerca de 2600 - 2350 aC), ele vem de Saqqara, onde ele foi encontrado em 1850 pelo arqueólogo francês Auguste Mariette em um túmulo ao longo do corredor das esfinges em Serapeum  Ela foi adquirida pelo Louvre em 1854 .



Características principais: 

Título Original "Le scribe accroupi (O escriba sentado)
Período de Confecção: 4e ou 5e dinastia, 2600 - 2350 avant A.C.
Local de Descoberta: Saqqara (Egito)
Dimensões: Altura - 53,70 cm; Largura - 44 cm; Profundidade - 35 cm
Material: Cálcareo, alabastro e pedra.
Local de Exposição: Museu do Louvre - Arte Egípcia


                                           foto de Ivo Jansch em wikimedia commons


II - Detalhes da Escultura


- Uma postura específica


O escriba sentado está na verdade de de pernas cruzadas. A tanga, branca, estendida sobre os joelhos lhe serve de suporte. Com a mão esquerda ele segura uma papiro parcialmente desenrolado. A mão direita devia segurar o lápis, que agora desapareceu. 


O que chama mais atenção é o tratamento da face e especialmente o trabalho cuidadoso com os olhos embutidos: eles são compostos por um bloco de magnesita branco puxado para o jaspe vermelho no qual é incorporado um elemento de cristal de rocha, eunquanto a parte frontal é cuidadosamente polida.  A superfície posterior é coberta com uma camada de material orgânico, criando a cor da íris e possivelmente servindo como um adesivo. 






Mãos, dedos e unhas são esculpidos com delicadeza notável. A estátua foi objeto de uma limpeza / restauração  em 1998, limitada a um tratamento com cera na superfície. 


                                           "Le Scribe" antes da recuperação   



A estátua do escriba sentado é bastante apreciada por causa da qualidade de sua execução, pelo fato de ser bastante antiga, 2600 a 2300 a.c., e pelo seu estado de conservação.

III - Um personagem desconhecido



A base semicircular em que o escriba está sentado deveria, originalmente, se encaixar em uma base maior, que incluiria seu nome e seus títulos. Este é o exemplo de uma estátua do Infante Setka, exibida na sala  22 do Louvre. 

Esta base desapareceu, e de acordo com o contexto da descoberta não se recupera mais. De acordo com o seu descobridor, o arqueólogo Auguste Mariette,  a estátua do escriba foi encontrado em 19 de novembro de 1850 em Saqqara, ao norte do beco da esfinge no Serapeum.

O lugar tinha sido saqueado, e, portanto, não poderia fornecer qualquer pista sobre a identidade do personagem.  



Personagem da realeza ?

De qualquer forma, esta estátua de um escriba é uma figura muito importante do seu tempo: isto é, não significa um funcionário como os outros. Ser representado escriba era uma marca de pertencer à elite social no Reino Antigo: o personagem representado aqui provavelmente não era um escriba na realidade. Os filhos de faraós eram frequentemente representados desta maneira. Por isso, é bem possível que o escriba sentado do Louvre seja a representação de um filho de faraó da IV th ou V th dinastia , hipótese que justificaria a  alta qualidade da escultura.


Quando ele foi achado em 1850, ele estava colocado dentro de uma capela funerária. Na estátua eram recebidas as oferendas para o defunto. Sua função portanto era de caráter funerário.


Alto funcionário egípcio ?


Outra hipótese é que o escriba era um alto funcionário egípcio. A posição em que ele estava sentado, no chão e não em uma cadeira, poderia indicar uma função de serviço. Mas o fato de ele ter uma representação individualizada demonstra que ele era altamente reconhecido. Ser capaz de escrever era pre-requisito para uma carreira bem sucedida na administração do estado. Embora existissem escolas para esse treinamento, pouquíssimas crianças tinham essa oportunidade. A interpretação e o conhecimento das enchentes do Nilo, a organização e o aprovisionamento adequado dos milhares de trabalhadores que construíam as pirâmides dependiam de funcionários bem capacitados entre eles os escribas.


Similaridade com as outras estátuas encontradas foram procuradas e as mais próximas foram com Péhernefér o chefe dos açougueiros / armazéns. Entretanto nada definitivo foi encontrado.

Conclusão ?

Nenhuma conclusão foi atingida com relação a identidade do escriba que permanece uma incógnita.

Observação: Embora a do Museu do Louvre seja bem mais conhecida, existe uma estátua bem similar no Museu do Cairo, no Egito. Ela é aproximadamente da mesma época. 


IV - Referências


a) Vídeo - Clicando no link abaixo tem-se acesso a um video em francês do museu do louvre com vários detalhes sobre a escultura.

Vídeo estudo detalhado do escriba; http://musee.louvre.fr/oal/scribe/indexFR.html

b) Texto

- Site www.wikipedia.fr - Le Scribe Accroupi

- Museu do louvre: http://www.louvre.fr/oeuvre-notices/le-scribe-accroupi?sous_dept=1, artigo de Sophie Labbé-Toutée, Christiane Ziegler

- Egypt Art - Rose-Marie and Rainer Hagen

c) Fotos

wikimedia commons e museu do louvre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário