terça-feira, 10 de maio de 2016

Os franciscanos no Brasil: O início

I - Como tudo Começou

Texto resumido  dos escritos de  Frei Basílio Röwer, ofm (*)
Quis a Providência Divina que os religiosos franciscanos, chamados pelo Seráfico Fundador com o humilde nome de Fratres Minores – Irmãos Menores – fossem os operários da primeira hora na vinha inculta do Senhor no vasto Brasil; que eles também oferecessem as primícias do sangue a fertilizar a terra para germinar cristãos e que, outrossim, fossem, durante decênios, os únicos religiosos a espalhar a semente do Evangelho.
"A Primeira Missa no Brasil" de Victor Meirelles(1858-1861), Museu de Belas Artes - Rio


Porto Seguro - 1500

Achavam-se estes em companhia de Cabral, que navegava para as Índias quando Cabral aportou nessas terras.
Frei Henrique, superior da caravana de missionários, celebrou no dia 26 de abril, domingo da Pascoela, a primeira missa no ilhéu da Coroa Vermelha, na qual fez “solene e proveitoso sermão”.
Outra missa celebrou o mesmo no dia 1° de maio; mas já foi na terra firme e com assistência de muitos índios, que todos, em atitude semelhante à dos descobridores, acompanharam o ato solene.
Nesta ocasião, Cabral e Frei Henrique ergueram uma grande Cruz, sinal da tomada de posse em nome de Cristo e do Rei. Em seguida, Cabral continuou a viagem às Índias e com ele os franciscanos.


                                     Santa Cruz de Cabrália - Homenagem à primeira Missa

São Vicente - 1532

Decorridos trinta anos, em 1532, aportaram com Martim Afonso a São Vicente dois franciscanos, onde celebraram, junto com o padre secular Gonçalo Monteiro, que ficou de vigário, o primeiro culto divino e levantaram uma capela em honra de Santo Antônio.

Bahia - 1534

Em 1534, achamos alguns franciscanos na Bahia, onde batizaram duas filhas naturais de Diogo Álvares Correia, o lendário Caramuru.
Retiraram-se com Martim Afonso de Souza para as Índias. Não consta se um deles tivesse ficado, mas certo é que uns quinze anos depois um franciscano percorria a zona da Bahia doutrinando os tupinambás. Construiu uma capela em honra de São Francisco.

São Francisco do Sul - 1538

Poucos anos depois, temos notícia de cinco franciscanos espanhóis que, em viagem ao Rio da Prata, foram acossados pela tempestade até ao porto de Dom Rodrigo, hoje São Francisco do Sul, e em seguida missionaram entre os carijós. O seu superior Frei Bernardo escreveu em 1° de maio de 1538 que mal bastavam as horas do dia para batizar a todos que pediam o sacramento.

Espírito Santo - 1558

São Frei Pedro Palácios e Frei Álvaro da Purificação. O primeiro, apesar de irmão leigo, missionou na Capitania do Espírito Santo de 1558 a 70. 


                        A Gruta do Franciscano - Benedito Calixto (1927) - Convento da Penha

Olinda - 1577

Frei Álvaro, que em 1577 foi levado por ventos contrários da ilha da Madeira para as costas do Brasil, trabalhou em Olinda tão zelosamente que era geral o pedido de ele ficar.

Fundação da Custódia de Santo Antônio - 1584

O ministro geral da Ordem, Frei Francisco Gonzaga achava-se  em visita canônica aos conventos de Portugal e quando celebrou Capítulo em Lisboa, aos 13 de março de 1584, decretou a fundação de uma Custódia no Brasil – a Custódia de Santo Antônio – e destinou para isso seis religiosos de virtude e zelo, sendo superior Frei Melquior de Santa Catarina, com, patente de custódio. Todos eles pertenciam à Província reformada de Santo Antônio chamada dos Currais, cujos religiosos o povo alcunhava de “capuchos” por causa do capuz piramidal que traziam.

Olinda - 1585 (O Primeiro Convento do Brasil)

A dita expedição chegou a Pernambuco aos 12 de abril de 1585 e foi recebida com grandes demonstrações de júbilo e veneração. O primeiro Convento que se fundou foi o de Nossa Senhora Das Neves de Olinda.
Convento de Nossa Senhora das Neves em Olinda                       
Uma generosa benfeitora, D. Maria da Rosa, havia antecedentemente construído para os frades uma casa com capela ao lado e de tudo fez doação à Ordem por escritura de 27 de setembro do mesmo ano de 1585. Oito dias depois, na festa do Seráfico Patriarca, os fundadores passaram para essa residência em solene procissão, assistida pelo donatário com seu senado, clero e muito povo.
Desde logo iniciaram os frades o seu trabalho na vila e arredores e de tal modo granjearam a estima de todos que, decorrido apenas um ano, isto é, em 1586, abriram noviciado para os candidatos à Ordem e juntamente um seminário, isto é, educandário para os filhos dos índios.
Na catequese dos indígenas, destacou-se nesses anos até 1590 Frei Francisco de São Boaventura. As suas excelentes qualidades de índole unia um conhecimento perfeito da língua brasiliense, que em pouco tempo falava tão bem que os próprios Índios se admiravam, tendo-o por grande feiticeiro. Enquanto os poucos missionários franciscanos labutavam arduamente na vinha do Senhor nas partes de Pernambuco, a fama de seu zelo e religiosa observância espalhava-se pelas outras capitanias. De diversas localidades vinham pedidos de fundação de conventos e missões.

Convento Bahia - 1588 

Em 1587, o Custódio acedeu à solicitação do bispo e do governador geral, aceitando por escritura de 8 de abril o sítio para um Convento na Baía, iniciando ele mesmo a construção. Quando, em abril de 1588, o Custódio voltou a Olinda, encontrou a recém-chegada segunda turma de seis missionários. Com isto se animou a aceitar novas fundações.


          Igreja e Convento de São Francisco em Salvador,  reconstruídos em 1713 após várias ampliações

Igaraçú, Itapessima e Ponta das Pedras - 1588 a 1594

A primeira foi a de Iguaraçú, em junho do mesmo ano. A Câmara e o povo haviam oferecido um sítio com casa, que foi transformada em Convento. Os seus melhores esforços dedicaram os franciscanos ali à catequese dos índios, doutrinando-os e arrebanhando-os em aldeias. As três missões de Itapessima, Ponta das Pedras e Itamaracá passaram para a história como obra de Frei Antônio de Campomaior, que as fundou na sua segunda estada em Iguaraçú, de 1592 a 94.

Convento na Paraíba - 1589

Em 1589 principiou-se a fundação de um Convento na vila de Paraíba, a instâncias do Cardeal Alberto, Governador do Reino de Portugal. Na mesma ocasião, o Custódio providenciou acerca das missões entre os índios daquela zona. Tal era o estado, próspero na verdade, da missão franciscana no Brasil, quatro anos depois da chegada dos fundadores da Custódia.
Convento de São Francisco em João Pessoa - Pb

Convento no Espírito Santo - Convento de São Francisco - 1589

Foi justamente em 1589 que dois religiosos vieram para a capitania do Espírito Santo encaminhar a fundação do Convento de Vitória, o primeiro convento franciscano nas partes do Sul, como também o primeiro da que mais tarde foi a Província da Imaculada Conceição.

                                 Convento de São Francisco em Vitória - ES

II - Organização Franciscana

II.1 - Ordens



Após a conversão, pouco a pouco, ao redor de Francisco se forma um grupo disposto a viver toda essa experiência de comunhão com o mistério de Deus que se lhe revelava. Jovens de Assis, na Itália, vão pelo mundo afora como andarilhos, mas vivendo a experiência de fraternidade. Tudo e todos passam a ser sentidos como irmãos e irmãs, pois o frade não é mais senhor de nada e de ninguém. 



A Ordem Franciscana foi criada como uma Ordem de Irmãos, que assumiam a missão de viver e pregar o Evangelho. Não era uma Ordem Clerical (Ordem composta por sacerdotes), como outras que já existiam. O próprio Francisco não quis ser sacerdote e os primeiros frades também não tinham esse objetivo. 



Desde o início, porém, como mostra a história de Frei Silvestre, houve o ingresso de alguns sacerdotes já formados, que desejavam ser franciscanos. Algum tempo depois, sobretudo quando Santo Antônio, professor de Teologia, ingressou na Ordem, passou a ensinar Teologia aos frades e alguns deles passaram a se ordenar sacerdotes. 



Mais tarde, devido principalmente às necessidades da Igreja, a maioria dos frades passou a se ordenar. Mas até hoje, dentro da ordem Franciscana, convivem como irmãos, em igualdade de condições, frades sacerdotes e não sacerdotes (estes chamados outrora de irmãos leigos, por não serem sacerdotes), cada um exercendo a sua função. 


Esse é, sem dúvidas, um dos aspectos mais belos da Ordem criada por São Francisco. 

Mais tarde, a Ordem se dividiu em três ramos: Ordem dos Frades Menores (OFM), Capuchinhos (OFMCap) e Conventuais (OFMConv). 

Os termos “franciscanismo” e “franciscano” não reclamam profundos conhecimentos das evoluções linguísticas para revelarem sua origem. Atrás deles, esconde-se o nome FRANCISCO, que no caso vem especificado com o topônimo de ASSIS.


Além dessas ordens, existem ainda as ordens ds Santa Clara e as Ordens Terceira que são constituídas de leigos.  A cronologia foi a seguinte:


Ordem Primeira - Em 1209, o Papa Inocêncio III aprovava a Regra de Vida escrita por São Francisco de Assis. Para os frades tem-se a denominação de "Ordem Primeira".



Ordem Segunda - Em 1212, nascia a Ordem de Santa Clara (as Clarissas) para as freiras, foi denominada então a "Ordem Segunda".



Ordem Terceira - Também em 1212, nasceu a Ordem Franciscana Secular (OFS), reunindo homens e mulheres, casados e solteiros, em meio às suas famílias, que buscavam viver o mesmo ideal que tanto atraiu São Francisco. Esta “Ordem Terceira” foi aprovada pelo Papa Honório III em 1221.



II.3 - Províncias e Custódias  Franciscanas


Normalmente a organização é dividida em fraternidades, custódias e províncias. 

- Custódia Franciscana São Benedito da Amazônia (AC, AM, AP, PA, RO, RR)
- Província de Nossa Senhora da Assunção (MA, PI)

- Província de Santo Antônio do Brasil (BA, SE, AL, PE,PB, RN, CE)  

- Província da Imaculada Conceição (ES, RJ, SP, PR, SC, Angola)
- Custódia Franciscana do Sagrado Coração de Jesus (SP e Triangulo mineiro)
- Província de Santa Cruz (MG)
- Província de São Francisco (RS)

Província da Imaculada Conceição


A Província Franciscana da Imaculada Conceição está presente no Brasil e em Angola. No Brasil, tem fraternidades nos Estados de Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo, agrupadas em 12 Regionais.

Conventos da Província da Imaculada Conceição

Os conventos da província da Imaculada em ordem cronológica de fundação são os seguintes:


1591 - São Francisco – Vitória (ES)

1608 - Santo Antônio – Rio de Janeiro (RJ)

1639 - São Francisco e São Domingos – São Paulo (foto)

1639 - Santo Antônio do Valongo – Santos (SP)

1649 - São Boaventura – Macacu (Vila de Sto. Antônio de Sá, RJ)

1650 - N. Senhora da Penha – Vila Velha (ES)

1650 - São Bernardino – Angra dos Reis (RJ)

1654 - Nossa Senhora da Conceição – Itanhaém (SP)

1658 - Senhora do Amparo – São Sebastião (SP)
1674 - Santa Clara – Taubaté (SP)
1684 - N. Senhora dos Anjos – Cabo Frio (RJ)
1691 - São Luiz – Itu (SP)
1705 - Bom Jesus da Ilha – Rio de Janeiro (RJ)


Desses conventos, estão em atividade, o de Santo Antônio, do Rio de Janeiro; o de São Francisco, de São Paulo; o de Santo Antônio, de Santos; o da Penha, de Vila Velha; e o de Nossa Senhora do Amparo, em São Sebastião.


Convento Santo Antônio - Rio (1608)



Os primeiros Frades chegaram ao Rio de Janeiro em 1592 e se domiciliaram numa ermida perto da Praia de Santa Luzia. De lá passaram ao Morro de Santo Antônio (assim chamado, porque nele havia uma capelinha dedicada ao Santo). A pedra fundamental do convento e da igreja foi posta no dia 4 de junho de 1608, na presença de todas as autoridades e de “grande multidão de povo”. A entrada dos Frades no novo Convento se deu no dia 7 de fevereiro de 1615. Esse convento, de um só piso, foi-se tornando insuficientes pelo número de Frades. Em 1748, foi substituído pelo atual, terminado em 1780.





Convento da Penha - 1650 



O convento propriamente dito teve sua pedra fundamental lançada em 1651, sendo o guardião Francisco da Madre de Deus o iniciador de suas obras. A planta original previa a construção de nove celas para os religiosos e duas para hóspedes, além de corredores e oficinas,  estando condicionada à configuração do rochedo onde o convento se situa. 



Para a realização das obras, foram essenciais a doação e a ajuda que os franciscanos receberam, notadamente da parte do governador do Rio de Janeiro, Salvador Correia de Sá e Benevides (30 novilhos), doação mantida pelos descendentes do governador até 1848 e que gerava renda para o convento. 

A partir de 1750, novas obras se acrescentaram às já existentes, que aumentaram a capacidade conventual para o recolhimento de um número maior de frades. Mais reformas ocorreram em 1770 e entre 1774 e 1777, incluindo um novo calçamento da ladeira com o levantamento dos seus muros, na forma em que ainda hoje estão. (site www.vilacapixaba.com.br)


No Convento da Penha em Vila Velha, ES atualmente se celebra a terceira maior romaria do Brasil. A Romaria dos Homens na festa de Nossa Senhora da Penha com participação de cerca de 700.000 pessoas que fazem o percurso de 13 Km entre a Catedral de Vitória e o Convento de Nossa Senhora da Penha em Vila Velha.



III - Observações


Todas as Igrejas  mostradas nesse blog terão um post individual dedicado a elas mostrando a sua parte interior.


IV- Referências:


- (*) Frei Basílio Röwer, no livro “Páginas de História Franciscana no Brasil”, da Editora Vozes, 1941.


- Texto retirado do Site da Província da Imaculada Conceição - www.franciscanos.org.br



Nenhum comentário:

Postar um comentário