quarta-feira, 20 de abril de 2016

Guernica - Pablo Picasso (Museu Rainha Sofia, Madrid)

I - Guernica



Guernica é um painel pintado por Pablo Picasso em 1937 por ocasião da Exposição Internacional de Paris. Foi exposto no pavilhão da República Espanhola. Medindo 350 por 782 cm, esta tela pintada a óleo é normalmente tratada como representativa do bombardeio sofrido pela cidade espanhola de Guernica em 26 de abril de 1937, por aviões alemães apoiando o ditador Francisco Franco. Atualmente está no Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia, em Madrid na Espanha.  



         foto do quadro: site do museu http://www.museoreinasofia.es/en/collection/artwork/guernica

II - Crônica "Guernica" - (Museu La Reina Sofia)


Uma descrição precisa de uma situação cruel, dramática, Guernica foi criado para fazer parte do Pavilhão da Espanha na Exposição Internacional de Paris, na exibição de 1937. 

A motivação de Pablo Picasso para pintar esta grande obra foi a notícia do bombardeio aéreo alemão da cidade basca que dá nome ao quadro e que o artista tinha visto nas fotografias dramáticas publicadas em vários periódicos, inclusive o jornal francês L'Humanité. (Guerra civil espanhola)

Apesar disso, nem os estudos, nem a imagem acabada contém uma única alusão a um evento específico, constituindo por sua vez um apelo genérico contra a barbárie e terror da guerra. A enorme imagem é concebida como um cartaz gigante, testemunho para o horror que a guerra civil espanhola estava causando e um prenúncio do que estava por vir na Segunda Guerra Mundial. 

As cores suaves, a intensidade de cada um dos motivos e a forma como eles se articularm são essenciais para a tragédia extrema da cena, que se tornaria o emblema para todas as tragédias devastadoras da sociedade moderna. Guernica tem atraído um número de interpretações controversas, sem dúvida, devido em parte ao uso deliberado na pintura de apenas tons acinzentados. 

Analisando a iconografia na pintura, um erudito no Guernica , Anthony Blunt, divide os protagonistas da composição piramidal em dois grupos: 

- O primeiro dos quais é composto de três animais; o touro, o cavalo ferido e o pássaro alado que pode apenas ser vislumbrado em segundo plano, à esquerda. 

- O segundo grupo é composto pelos seres humanos, e que consiste de um soldado morto e um número de mulheres: a que está no canto superior direito  segurando uma lâmpada e inclinando-se através de uma janela, a mãe do lado esquerdo, lamentando enquanto segura seu filho morto, uma correndo pela direita e, finalmente, aquela que está clamando aos céus, com os braços levantados como se tivesse uma casa a arder atrás dela. 

Incidentes da vida privada de Picasso e os acontecimentos políticos que afligiam a Europa entre as guerras, fundiram-se juntos nos motivos que o pintor estava usando no momento, resultando tanto em Guernica em si mesmo como em todos os estudos e 'postscripts'.

Guernica faz parte das obras de arte mais representativas do século 20.

Escrito por: Paloma Esteban Leal
http://www.museoreinasofia.es/en/collection/artwork/guernica



III - A Guerrra Civil Espanhola  


Para uma melhor compreensão do quadro introduziremos um resumo do ambiente político da Espanha no período que iniciou com a derrubada dos Bourbons por Napoleão Bonaparte em 1808 até a conflagração da guerra civil em 1936.  

a) Precedentes


A derrubada temporária dos Bourbons absolutistas por Napoleão Bonaparte, em março de 1808, a Guerra de Independência contra a ocupação francesa, a abertura das Cortes de Cádis, em 1810, e a proclamação da Constituição liberal de 1812 assinalam o desaparecimento do Antigo Regime espanhol



Durante todo o século XIX e o início do século XX, no entanto, a Espanha não conseguiu completar, política e socialmente, a sua revolução burguesa de forma a produzir uma institucionalidade liberal-democrática estável.


O século XIX espanhol foi um período especialmente conflituoso, com lutas entre liberais e absolutistas, entre membros rivais da Casa de Bourbon (isabelinos e carlistas), e mais tarde entre monarquistas e republicanos, sobre o pano de fundo da perda das colônias americanas e filipinas.


A economia espanhola teve um crescimento rápido, desde o final do século XIX até ao início do século XX. Em especial, as indústrias mineiras e metalúrgicas lucraram e expandiram-se enormemente durante a Primeira Guerra Mundial, fornecendo insumos a ambos os lados em disputa.


Entretanto, os resultados desse crescimento não se refletiram em mudanças nas condições sociais. A agricultura, sobretudo na Andaluzia, continuou em mãos de latifundiários, que deixavam grandes extensões de terra sem cultivar. Somava-se a isto a forte presença da Igreja Católica, que se opunha às reformas sociais e se alinhava aos interesses da elite agrária. Finalmente, a monarquia espanhola apoiava-se no poder militar para manter o regime. O fim da monarquia e o advento da república, em 1931, em nada mudou esta configuração política básica, com a agravante de que Igreja e Exército se mantiveram monárquicos e as tentativas de golpe tornaram-se constantes.


Com o crescimento da economia, cresceu também o movimento operário. Após a fundação da primeira sociedade operária em Barcelona (1840), o movimento cresceu e se espalhou pelo país. Desde o início, e principalmente na Catalunha, a principal região industrial de Espanha, o anarquismo tornou-se a tendência política mais difundida entre os trabalhadores. A principal confederação sindical, a CNT (Confederación Nacional del Trabajo), sob influência anarcossindicalista, recusava-se a participar na política partidária.

O choque entre classes é frequente e violento. Desde o fim do século XIX até o início do século XX, grupos de extermínio, como o Sindicato Libre, procuram suprimir os sindicatos através do assassinato dos seus principais militantes. Do outro lado, grupos de militantes sindicalistas, como o famoso Nosotros, também assassina religiosos e industriais suspeitos de apoiar o Sindicato Libre. Insurreições armadas, tanto de direita como de esquerda, ocorrem com regularidade.



Obs: A primeira tentativa de implantar um governo republicano foi em 1873 e durou apenas onze meses, sendo sucedida por um período de restauração dos Bourbons. A segunda tentativa veio em abril de 1931 com a instalação da Segunda República e que durou até abril de 1939 com a vitória do exército do General Franco.

fonte: texto integral da wikipedia em português - guerra civil espanhola - "Precedentes"

b) Guerra Civil 


A Guerra Civil Espanhola foi o conflito social, político e militar , que mais tarde também gerou uma crise financeira - que entrou em erupção na Espanha após o fracasso parcial do golpe de Estado, em 17 e 18 de julho de 1936 realizado por uma parte o exército contra o governo da Segunda República.


A guerra durou de julho de 1936 a abril de 1939 quando Francisco Franco declarou a vitória e instalou uma ditadura que duraria até sua morte em 1975 .


A guerra teve muitas facetas, pois incluia luta de classes, guerra religiosa , choque de nacionalismos opostos, luta entre ditadura militar e democracia republicana, luta entre revolução e contra-revolução e  entre fascismo e comunismo.  


A guerra dividiu a Espanha geograficamente, intelectualmente e espiritualmente devido ao extenso mosaico de aspectos em conflito. 



As partes do conflito são muitas vezes chamado Lado Republicano e Lado Nacionalista :


O lado republicano foi construído em torno do governo democraticamente eleito, formado pela Frente Popular, que por sua vez consistia de uma coligação de vários partidos republicanos como Esquerda Republicana, União Republicana,  Partido Socialista Operário Espanhol,  Partido Comunista de Espanha, o Partido Socialista de origem anarquista e na Catalunha com Esquerda Republicana de Catalunya. Havia ainda o partido Nacionalista Basco cuja região estava  prestes a ganhar autonomia.


O lado rebelde, que se chamava o lado nacional, foi organizado em torno de parte do alto comando militar, que teve logo após um breve início a nomeação de Francisco Franco como Generalíssimo e Chefe do Governo do Estado. Politicamente, consistiu na fascista Falange Espanhola, os carlistas , imperadores monarquistas de Renovação Espanhol. Socialmente foi apoiado por classes cuja posição vitória eleitoral da Frente Popular colocou em perigo; pela Igreja Católica, assolada por perseguição religiosa desencadeada pelo  conflito; por aqueles com medo de revolução do proletariado, e também por muitas pessoas de classe baixa de fortes convicções religiosas.  

A guerra foi vencida pelos nacionalistas pela força de seu exército e também pelo maior apoio estrangeiro de Itália e Alemanha. A itália enviou tropas terrestres e a Alemanha força aérea, inclusive a que bombardeou covardemente a cidade civil de Guernica. No lado republicano, o apoio da União Soviética foi mais moderado pois Stalin naquela época não queria se envolver em um conflito no qual poderia sair derrotado desmoralizando a revolução soviética.


As consequências da guerra civil em grande parte, marcaram a história da Espanha, de forma tão excepcionalmente dramática e duradoura que várias feridas permanecem abertas até os dias atuais. Desastres de ordem tanto demográfica com a morte de pessoas eliminando gerações, como com a de perdas materiais com a destruição de cidades, desmantelamento da estrutura económica, e perda de grande parte do património artístico e cultural de uma forma geral. 


Estima-se que morreram no conflito em torno de 400.000 pessoas.

fonte: texto resumido da wikipedia em espanhol - Guerra civil espanhola

III - A Guernica em sua realidade


a) A cidade

Guernica y Luno (ou Gernika-Lumo) — é um município da Espanha na província da Biscaia, comunidade autónoma do País Basco com cerca de 17.000 habitantes em 2013.



b) O Bombardeio de Guernica

O Grande Bombardeio de Guernica em 26 de abril de 1937 foi um ataque aéreo por aviões alemães da Legião Condor durante a Guerra Civil Espanhola no País Basco.



Coordenado por Wolfram von Richthofen e com suporte do Corpo Truppe Volontarie o ataque destruiu a maior parte da localidade, na época com 5 000 - 7 000 habitantes, causando centenas de vítimas.  Estimativas modernas avaliaram o número de mortos em torno de 300 a 400, todos civis. 



O ataque, que serviu também para testar aviões de guerra alemães e ganhar experiências no combate aéreo, apoiou as forças de Francisco Franco que invadiram a cidade poucos dias depois do bombardeio. 



O painel Guernica, pintado por Pablo Picasso em 1937, é normalmente tratada como representativa do bombardeio sofrido pela cidade de Guernica.




                                           Guernica após o Bombardeio - foto: Associated Press


IV - Referências


Site do museu Reina Sofia: http://www.museoreinasofia.es/en/collection/artwork/guernica
wikipedia em português: Guernica

Wikipedia: Historia da Espanha, Guerra civil espanhola, Anarquismo, Associação Internacional dos Trabalhadores.

Historia Concisa da Espanha - William D. Phillips Jr e Carla Rahn Phillips

Nenhum comentário:

Postar um comentário