segunda-feira, 4 de abril de 2016

Carnaval em Veneza

I - Introdução





A primeira coisa a se fazer ao resolver apreciar um carnaval na Europa é desapegar da visão brasileira de muito samba, frevo e folia. As festas de carnaval na Europa antes de tudo, são contemplativas. Além de culturas diferentes, também não se pode beber livremente nas vias públicas, então tudo é muito educado e respeitoso. Itália e França são os países da Europa mais famosos por suas festas de Carnaval. É possivel ir à diversas festas de carnaval pois elas não ocorrem de forma simultânea. Não há 4 dias oficiais como no Brasil e elas podem ocorrer antes ou depois do “Mardi Gras”, apesar da tradição cristã.

II - Veneza  


Veneza é uma cidade italiana da região do Venêto, famosa por seus canais, museus e uma história milenar. Veneza foi capital da "Sereníssima República de Veneza" por cerca de mil anos, quando a partir do século X já era uma das maiores potências comerciais da Europa. O seu vigor econômico era devido à sua grande frota marítima e às atividades comerciais e portuárias por ela desenvolvida.  

Em 1797, Veneza foi invadida  pelas tropas napoleônicas e cedida  à Áustria, em troca da Bélgica. Esse foi o fim da Sereníssima República de Veneza. Os territórios antes dominados pela república foram divididos em partes que se tornaram províncias do Império Austríaco.

Em 1866, no processo de Unificação, a Itália adquiriu do Império Austríaco o Vêneto, após a guerra, na qual a Itália era aliada à Prússia de Bismarck. (fonte Wikipedia)



Na Itália, há festas de carnaval em diversas cidades, notadamente na Sicilia e Toscana, todas tendo os corsos e paradas como carro-chefe, bem como as fantasias. Como o estilo dos carnavais da Toscana e Sicilia se assemelha ao de Nice, a visita deu-se apenas em Veneza mesmo. 

Resgatado no início da decada de 1980, o carnaval ocorre durante o inverno europeu e é o maior evento dessa época na cidade, resgatando o turismo de inverno. O ápice do carnaval de Veneza coincide com o nosso carnaval. São 03 semanas de festa, sendo uma pré, a semana de abertura e a de encerramento que coincide com nossa terça-feira gorda.


a) A chegada: 


Tudo no carnaval de Veneza é diferente a começar pela chegada. Existem dois aeroportos por onde você pode chegar: um em Tivoli e o outro, o aeroporto Marco Polo. Nesse, você ja é recebido por um Pierrot que distribui os folders com a programação, ainda no saguão. Daí é escolher como chegar ao centro histórico. Você pode pegar um autobus e ir até a Piazzale Rome, de onde partem os barcos de navegação publica; pegar o bateau bus que parte diretamente do aeroporto e faz diversas paradas ao longo de aproximadamente um hora de trajeto, ou pegar um táxi (lanchas), por um preço médio de  80 euros. À medida que vai parando, você começa a entrar no clima do carnaval; já é possivel vislumbrar os mascarados quando vamos nos aproximando do centro histórico.




b) A programação: 


Durantes o dia, as atrações principais ocorrem na Piazza San Marco, dependendo da semana variam as atrações, sendo as mais famosas os vôos (do anjo – que abre o carnaval de Veneza e é realizado por uma colombina, a Maria eleita no ano anterior que entrega o cetro ao dodge e de Aquila - normalmente,realizado por uma celebridade), que partem do campanário da Igreja e chegam à Piazza. 


Vôo do Anjo (fonte: wikipedia)




Em uma edição do Carnaval em meados do século XVI, entre os vários eventos e shows organizados na cidade, foi feito um evento extraordinário que causou sensação: um jovem acrobata turco seguiu apenas com a ajuda de uma barra , para chegar à célula sino  da torre de São Marcos a pé, no fragor da multidão abaixo delirante, sobre uma corda comprida que começou a partir de um barco ancorado no cais da Piazzetta. Na descida, no entanto, ele chegou à varanda do Palazzo Ducale, entregando os presentes do Doge.



Depois do sucesso espectacular desta empreitada, agora chamada svolo o turco , o evento, que geralmente tinha lugar à quinta-feira antes da Quaresma, foi programada como cerimônia oficial para as edições posteriores, com técnicas semelhantes e formato que ao longo dos anos sofreu numerosas variações.



Por muitos anos o show, mantendo o mesmo nome, tinha apenas acrobatas executando o número, até que inúmeros jovens venezianos para demonstrar coragem começaram a se aventurar no movimento.



Em uma dessas vezes,  um homem com asas e decoradas com os anéis na corda, foi içado e fugiu em alta velocidade ao longo da corda. Ele  cunhou o novo jargão de Vôo do Anjo


Em 1759 , o show terminou em tragédia: em algum momento, o acrobata caiu no chão entre a multidão horrorizada. Provavelmente por causa deste acidente grave, o evento, realizado desta forma, foi proibido. Por um tempo, o programa teve lugar, substituindo o acrobata com uma grande pomba de madeira em seu caminho, sempre a partir da torre do sino, jogando flores e  confete na multidão. Atualmente é feito uma descida de um jovem escolhido, do alto da torre, mas sempre preso por cordas e cintos de segurança.

O võo do anjo e a festa de Maria são acompanhados pelo cortejo de gôndolas.


Cortejo de Gôndolas








Festa de Maria

Também tradicional, é a escolha (coroação) da Maria do carnaval. Durante o carnaval são selecionadas doze Marias. Uma delas sera coroada a Maria do carnaval. A cerimónia remete ao século IX, quando diz-se que a população de Veneza libertou 12 moças que tinham sido raptadas por piratas. 






Durante o dia ocorrem ainda, eventos paralelos em outras Piazzas, sendo alguns dedicados às crianças. 

As noites são dedicadas principalmente aos  bailes. Há uma programação noturna no Polo Arsenale, que conta com quiosques de comidas e bebidas e espataculos pirotecnicos, malabares e bandinhas de jazz, local difícil de achar por sinal; embora haja transporte publico noturno (balsas) fazendo o traslado da Piazza San Marco ao Arsenale. Se resolver ir a pé tem que encontrar o fluxo e seguir pra não se perder. Nesse polo também ocorrem alguns dos "Balls". Os bailes tentam resgatar as festividades dos séculos XII a XVII  caracterizadas por grandes festas privadas, repletas de intervenções culturais. Os bailes são realizados nos Palazzos venezianos e custam no minimo 300 euros. Os mais famosos chegam a valores superiores a 1500 euros, incluidos aí o jantar e eventualmente, o aluguel de fantasias. Sim, para ir nos bailes você precisa, obviamente estar fantasiado. Há opções mais em conta se você adquire ingresso "after-dinner", podendo ter acesso após a meia-noite.

c) Das máscaras e fantasias:




O carnaval de Veneza, como já falei é muito contemplativo. O foco e o forte da festa são os mascarados e suas fantasias a desfilar e posar para fotos durante todo o dia.  Existem máscaras e fantasias para todos os bolsos, desde máscaras / fantasia “made in china” e vendidas a 1 euro, até o capricho do artesanato local, verdadeiras obras de arte em papier maché. As fantasias podem ser vendidas ou alugadas. Em média o aluguel de uma fantasia não sai por menos de 200 euros. Geralmente são pesadas e confeccionadas com materiais nobres. Até porque há de se enfrentar uma temperatura máxima de 07 graus só com elas. 

Bauta


Um dos disfarces mais comuns no carnaval antigo, especialmente desde o século XVII, permaneceram em voga sendo também usados ​​no Carnaval moderno, é definitivamente o Bauta . Este traje, puramente veneziano e usados ​​por homens e mulheres, é feito de uma máscara branca especial chamada larva sob um chapéu tricorn preto e complementada por uma envolvente capa escura chamado tabard . O Bauta foi amplamente utilizado durante a época de Carnaval, mas extrapolou também ao teatro ,  em encontros amorosos e sempre que se queria a liberdade para atrair ou ser cortejada, garantindo mutuamente o anonimato total. Para este fim, a forma particular da máscara na face assegura  a oportunidade de beber e comer sem ter de remover.












Apesar de ser possivel encontrar fantasias mais modernas, o forte ainda são os costumes tradicionais, representando os aristocratas de séculos passados, fantasias renascentistas, as mascáras de corvo e muitos fantasmas da ópera.  É lindo ver o cuidado de cada produção. Percebe-se que cada detalhe foi pensado com muita antecedência. 





Uma alternativa são as capas venezianas vendidas em toda esquina em preços variando de 10 a 50 euros (de veludo de melhor qualidade). O importante é entrar no clima. Basta um adereço qualquer e você já começa a entrar no brincadeira e entender o verdadeiro espirito do carnaval veneziano: ver e ser visto. Se adquirir uma mascara e uma capa já pode se preparar para os flashs...todos querem te fotografar e ainda há aqueles que dirigem as poses desejadas: e você faz e aí você tem ocupção por todo o dia. 


Ainda há a opção das pinturas de rosto realizada por artistas locais que dispoem suas mesinhas nas piazzas e reproduzem as máscaras em forma de pintura.

d) Das bebidas: 




Definitivamente você não vai ao carnaval de Veneza para tomar cerveja,...; o forte são os vinhos e os aperitivos, em especial um apéro, sendo típico o spritz (drink à base de aperol – quase um capari de laranja, prosecco e água gaseificada). Eu adoro, mas não é para qualquer paladar.



e) Das Gôndolas: 


Não vi muitas em uso durante o periodo, alguns casais de turistas ou à noite, alguns que a utilizam para ir aos balls “comme il fault” (da maneira padrão antiga).

III - Para quem é o carnaval: 


Acreditava eu, que predominantemente encontraria em Veneza casais ou pessoas mais maduras. Engano, tem de tudo, casais jovens, casais maduros e muitos grupos, de todas as idades. Tem festa  e diversão pra todos. A cidade fica lotada num vai e vem frenético e controlado.

Horários


Dos horarios: O dia começa tarde em Veneza.  Em geral a programação inicia após as 10:30. As lojas permanecem abertas durante todo o fim de semana e até tarde; é possivel fazer compras às 23:00. Em contrapartida, até 1:00 da manhã é tudo fechado. Ótimo para quem chega dos bailes  pela manhã. Não perde nada da festa.



IV - Referências



O Texto desse blog foi produzido principalmente por Luciana Lopes Lucena, Engenheira Civil, Doutora em Economia e fazendo pós doutorado em Ciências dos Matériais em Toulon. Ela conheceu o carnaval de Veneza em 2016. Colaboramos com a complementação de fotos e pequenas complementações de texto consultados da Wikipedia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário