sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Quiz -Manet x Monet

I. -  Quiz Manet x Monet - Baseado na Enciclopédia Britânica (8 questões)


a = Manet e b = Monet
  • 1. - Quem pintava o mesmo tema repetidas vezes ?
  • 2. - Quem foi influenciado pelo pintor espanhol Goya ?
  • 3. - Qual dos dois foi considerado um verdadeiro impressionista ?
  • 4. - Quem viveu uma parte da vida em Giverny, França.
  • 5. - Qual deles teve um relacionamento próximo com o escritor Emile Zóla ?
  • 6. - Qual deles visitou o Brasil antes de começar sua carreira ?
  • 7. - Qual deles pintou oito painéis e doou para um museu em Paris ?
  • 8. - Qual deles pintou o outro ?


                       "Claude Monet em Argenteuil", pintado por Manet

II - Fontes


Texto: Baseado em quiz de www.britannica.com 
com adaptações.


Quadro: Wikipedia - Claude Monet em Argenteuil, por Manet

Obs: Todas as respostas estão contidas nos dois posts que publicamos sobre Manet e Monet. Se quiserem coloquem suas respostas nos comentários. Depois publicaremos a solução.

Café New York, Budapeste - Um dos mais bonitos do mundo

I - As mais belas Cafeterias do Mundo: Café New York - Budapeste


O New York café é parte da história de Budapeste e da vida literária húngara. Ele é o coração pulsante do Hotel, atualmente da cadeia Boscolo. Com entrada na parte térrea, ao nível da calçada, o Café é como uma caixa valiosa de tesouros distribuídos em quatro níveis. Ele preservou as decorações originais que fizeram sua fama em todo o mundo. O teto hospeda os afrescos de Gusztáv Mannheimer e Ferenc Eisenhut, que remonta a meados dos anos 1800. Preciosos abajures venezianos difundem uma luz suave que reflete o dourado das colunas em estuque banhadas a ouro, criando uma miríade de cores.




Passear no New York Café significa dar um passo atrás no tempo: magnificência e sofisticação saúdam os visitantes envolvendo-os com o charme da Belle Époque.


Entrada do Café, foto Martchan em Shutterstock.com

Na parte externa, as estátuas de bronze recordam os muito pintores, atores e intelectuais que sempre frequentavam o Café popular. No interior é possível admirar não só a cortesia proverbial dos garçons cantores, mas também as sugestões deliciosas do barman ou chefs.



Obs: Vejam os preços na entrada. Apesar de muito bonito não é tão caro quanto aparenta. Existe opção do buffet  ou simplesmente um café ou snack em um dos salões.

Os relógios:





A parte superior



O Menu

Como já dissemos acima os preços no café não são caríssimos como pode parecer com o luxo das instalações. O café tem várias opções como: Café da manhã completo (buffet), Café com biscoitos, Snacks, Saladas, Pratos de Massa, Pratos de Carne; Vamos postar alguns exemplos obtidos no site do café:

Cafés e Snacks



Sopas e Massas

Em resumo, quem visita Budapeste não deve deixar de aproveitar para fazer uma visita ao New York Café. Faz parte da história da cidade e não é tão caro quanto parece. Tome um café ou chá, coma uma torta ou faça uma refeição. Aprecie a construção e a decoração. 

II - Casos e histórias do New York Cafe (www.malathronas.com)



O New York Café foi aberto em 1894 com o objetivo de atrair a aristocracia húngara. Entretanto, a pessoas da alta sociedade rejeitaram as esculturas na parte externa do telhado que lembravam dezesseis diabos das histórias fantásticas de Pan, e não frequentaram o Café. Ao mesmo tempo, a intelectualidade húngara elogiava as esculturas e passou a adotar o café como o seu reduto preferido.


Algumas histórias contadas sobre o Café


Chaves ao Danúbio

Muitos dizem, que no dia de abertura, o poeta Ferenc Molnár tomou as chaves do Café e atirou-as no Danúbio dizendo "Que o New York Café nunca feche as suas portas !". 


Caranguejo de uma pata

Conta-se que um cliente pediu um caranguejo que foi servido com uma pata só. O seguinte diállogo foi travado:
Garçom“, ele chamou, “por que o meu caranguejo tem apenas uma pata?”
Desculpe Senhor“, respondeu o Garçom, “ele estava em uma luta com outro caranguejo no aquário e esse arrancou-lhe a outra pata“.
Sem se perturbar, o cliente retrucou: “Nesse caso, por favor, você pode servir-me o vencedor?”

Intelectuais e famosos


O café  tornou-se o ponto de encontro literário de Budapeste. Dois grande cineastas s de Hollywood gastaram sua juventude nele: Alexander Korda ( "O Ladrão de Bagdá") e Michael Curtiz ( "Casablanca"). O Poeta Dezső Kosztolányi um dos principais tradutores de Shakespeare da Hungria comia e bebia aqui no Café . Imre Kalman escreveu muitas de suas operetas entre um e outro café.

Hoje em dia não há mais essa assiduidade. Entretanto, pessoas famosas como Paris Hilton, A equipe do grande prêmio da Ferrari, entre outras, são usuárias do Hotel Boscoli e do New York Café. O Dalai Lama também se hospedou no Hotel.

III - Referências


- Site oficial do café: http://www.newyorkcafe.hu/

- Notas e fotos de Viagem: HistoriacomGosto

- Casos e histórias do New York Cafe: 
http://www.malathronas.com/3492/tales-from-the-budapest-new-york-cafe/

Confeitaria Colombo - Uma das mais belas do mundo (III)

  • I - Fundação e Crescimento

  • A Colombo foi fundada em 1894 pelos portugueses Manoel José Lebrão e Joaquim Borges de Meireles. Em 1919 Lebrão deixou a sociedade que logo em 1920 passou a ser fornecedora dos banquetes do governo e do Itamaraty. A confeitaria tornou-se ponto de encontro dos intelectuais da cidade. Entre os clientes famosos que frequentaram a confeitaria estão Chiquinha Gonzaga, Olavo Bilac, Emílio de Meneses, Rui Barbosa, Villa-Lobos, Lima Barreto, José do Patrocínio, Getúlio Vargas e Juscelino Kubitschek, entre muitos outros. Conheçam ! É no Brasil e é linda. Fica na rua Gonçalves Dias, 32, Centro.


Salão Principal, foto HistoriacomGosto

  • II - Dificuldades



  • Em 1970 a confeitaria começou um período de dificuldades causada pela mudança de costumes e hábitos. As pessoas não tinham muito tempo para uma refeição ou café. Em 1983 a Confeitaria passa a ser parte do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.
Balcão, foto HistoriacomGosto

  • III - Recuperação



  • Em 1992 a Arisco adquiriu a empresa e saneou suas dívidas. Em 1999 os irmãos Maurício e Roberto Assis adquiriram a Confeitaria e fizeram uma ampla restauração arquitetônica, valorizaram a história e introduziram novidades adapatadas aos tempos. Tudo isso fez com que a Colombo voltasse a brilhar no coração do Rio de Janeiro.
Teto decorado, foto HistoriacomGosto
salão superior e principal, foto HistoriacomGosto




  • IV - Folclore

  • Quando surgiu, a Confeitaria Colombo era um ponto de encontro da boemia literária, onde escritores e poetas se encontravam. Conta-se que a marchinha de Carnaval “Sassaricando” foi composta nela, em 1952: “o velho, na porta da Colombo, é um assombro, sassaricando!”. Outros fatos interessantes são que a confeitaria foi a primeira loja carioca a vender CocaCola e a ter luz elétrica e elevador.

  • V - Atualidade



  • A confeitaria conta com salão de café / chá, restaurante e área de eventos. O almoço é tão bom quanto um café com bolos e tortas. Na Confeitaria Colombo, os doces e salgados tem um lugar especial : São 50 mil de cada por mês, o que totaliza 4 mil toneladas de farinha, 3 toneladas de açúcar e cerca de 25 mil ovos.

  • VI - Eventos
  • A Confeitaria Colombo funciona como Café, Restaurante, Loja de Doces e tem o seu espaço muito usado para festas de Casamento ou aniversários. Agora mesmo está na agenda uma temporada de Chá que ocorre todos os dias a partir das 17:00h. Visitem o seu site www.confeitariacolombo.com.br

Temporada de Chá, Colombo, printscreen site www.confeitariacolombo.com.br


doces e salgados, foto, facebook Confeitaria Colombo


  • VII - Referências


  • Fonte: Resumo retirado da Revista da Gol, texto de Inês Garçoni.
  • wikipedia.pt, www.mexidodeideias.com.br
  • Fotos:HistóriacomGosto

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Café Florian, Veneza - Um dos mais antigos e mais bonitos do mundo

I - História do Café Florian (Caffè Florian) - Veneza  



     Entrada do Florian, Praça São Marco - Foto de GTS Productions em Shutterstock.com


II - Fundação e frequência 


O Florian começou a funcionar em 29 de dezembro de 1720, com duas salas e decoração simples, com o nome de "Alla Venezia Trionfante" (Veneza Triunfante), mas logo se tornou conhecido como Caffè Florian, inspirado pelo nome de seu proprietário original Floriano Francesconi. 

O Caffè teve como patronos em seus primeiros dias pessoas notáveis, incluindo os dramaturgos Carlo Goldoni, Johann Wolfgang von Goethe e Giacomo Casanova, que foi sem dúvida atraído pelo fato de que o Caffè Florian era a única cafeteria que permitia a presença de mulheres. 

Mais tarde Lord Byron, Marcel Proust e Charles Dickens foram frequentadores assíduos.  Era um dos poucos lugares onde o jornal "Gazzetta Veneta" de Gasparo Gozzi podia ser comprado em meados do século XVIII, e por isso se tornou um ponto de encontro para pessoas de diferentes classes sociais. Em 1750 o Florian foi expandido para quatro salas.

O ambiente elegante atraiu muitas personalidades notáveis da época, incluindo o dramaturgo Carlo Goldoni, Goethe e Casanova. O fato relevante, sem dúvida, era que o Florian era o único café que permitia que mulheres frequentassem o local. Tempos depois, Lord Byron, Marcel Proust, e Charles Dickens seriam visitantes frequentes.

Também foi um dos poucos lugares onde o jornal Gazzetta Veneta de Gasparo Gozzi podia ser comprado. Tornava-se então um ponto de encontro para pessoas de diferentes classes sociais. Em meados do século 18 o Florian foi expandido para quatro quartos.

                  Conjunto Musical no Florian - foto de maradon 333 em Shutterstock.com

III - Revolução Francesa


Em  1773 Valentino Francesconi, neto de Floriano Francesconi, assumiu o negócio. Em 1796, em uma atmosfera europeia caracterizada pela Revolução Francesa, o Estado de Veneza temia que as ideias revolucionárias poderiam se espalhar também em Veneza. O Florian, com a sua clientela internacional, tornou-se um ponto de encontro para muitos jacobinos franceses, de modo que os inquisidores do estado obrigaram Valentino Francesconi a fechar o café. Quando os exércitos franceses entraram em Veneza em maio de 1797, Valentino Francesconi retirou a obsoleta placa "Veneza Triunfante" e a substituiu por outra simplesmente com o nome de seu tio "Florian". 

IV - Risorgimento 


No século XIX o Florian desempenhou um papel de destaque no Risorgimento, porque a "Sala do Senado" foi o ponto de encontro para um grupo de patriotas venezianos. Este grupo teve um papel fundamental na revolução veneziana de 1848, que obteve uma Veneza temporariamente independente da Áustria. Durante as horas de convulsão revolucionária o Florian abrigou os patriotas feridos, tornando-se em um hospital temporário.

V - O Florian por fora e por dentro  

Por fora, o Florian é situado na linda Praça de São Marcos em Veneza. Com cadeiras na praça e situado nas arcadas o Florian é um espetáculo no verão.

                   Florian na praça de São Marcos / Foto de S.A.C.R.A. em wikimedia


Por dentro, cada sala do Florian é dedicado a um tema de sua história:

Sala dos Homens Ilustres

A Sala degli Uomini Illustri (Sala dos Homens Ilustres ) apresenta pinturas de Giulio Carlini de dez venezianos notáveis: Entre eles, Goldoni e Marco Polo. 



Sala do Senado

Na Sala del Senato (Sala do Senado) as paredes foram decoradas com painéis retratando cenas dos mundos das artes e das ciências.






Sala Chinesa

A Sala Cinese (Sala Chinêsa) e a Sala Orientale foram inspiradas no Oriente, com pinturas de mulheres exóticas  pintadas por Pascuti. 

                                Sala Oriental - Bottond Horvath




Sala das Estações

A Sala delle Stagioni (Sala das Estações) ou Sala degli Specchi (sala dos espelhos) foi decorada com figuras de mulheres que representam as quatro estações do ano. 

Sala da Liberdade

A sala Liberty, incluída no início do século 20, foi decorada com espelhos pintados à mão e lambris de madeira suntuosa.




VI - Florian Atual


O Florian é um lugar caro. Não tem o  preço de uma cafeteria qualquer. Por exemplo, o expresso custa seis euros e veja se tem couvert artístico se houver música.Mas se você pode pagar, aprecia história e ama a arte italiana, vale cada centavo. No mínimo tome um chocolate quente e aproveite o ambiente que é maravilhoso.



VII - Referências


Todo o texto retirado da Wikipedia, https://pt.wikipedia.org/wiki/Caffé_Florian.
Fotos: Wikimedia e Shutterstock conforme referenciado



sábado, 13 de fevereiro de 2016

Monet ou Manet ? Ambos ! (Impressionismo II)

I - Claude Monet



Claude Monet nasceu em Paris, em 14 de novembro de 1840.  Seu pai, Claude - Auguste, tinha uma mercearia modesta. Aos cinco anos, sua família mudou-se para Le Havre, na Normandia. Seu pai desejava que Claude continuasse no comércio da família, mas ele desejava pintar. Foi a sua tia Marie-Jeanne Lecadre que o apoiou a seguir a carreira artística, pois ela também foi pintora.


Em 1851, Monet entrou para a escola secundária de artes e acabou se tornando conhecido na cidade pelas caricaturas que fazia. Nas praias da Normandia, Monet conheceu, por volta de 1856, Eugène Boudin, um artista que trabalhava extensivamente com pintura ao ar livre nessas mesmas praias, e que lhe ensinou algumas técnicas ao ar livre.

Em 28 de janeiro de 1857, sua mãe morreu e, aos 16 anos, Monet abandonou a escola e foi morar com sua tia Marie-Jeanne Lecadre.


Em 1857, Monet foi para Paris estudar pintura, e foi aí que conheceu a sua primeira mulher, Camille Monet, a quem retratou muitas vezes, em quadros onde ela aparecia mais do que uma vez na mesma pintura.

                 "Impressão, nascer do Sol", 1872 - Museu Marmottan - Monet, Paris


Origem da expressão "Impressionismo"

O termo impressionismo surgiu de uma crítica pejorativa, feita ao seu quadro "Impressão do Sol'' pelo pintor e escritor Louis Leroy: "Impressão, nascer do Sol” – eu bem o sabia! Pensava eu, justamente, se estou impressionado é porque há lá uma impressão. E que liberdade, que suavidade de pincel! Um papel de parede é mais elaborado que esta cena marinha...,.  A expressão foi usada originalmente de forma pejorativa, mas Monet e seus colegas adotaram o título, sabendo da revolução que estavam iniciando na pintura.



II - Características da Pintura Impressionista


O Impressionismo foi um movimento artístico que revolucionou profundamente a pintura e deu início ás grandes tendências da arte do século XX. 

Os pintores impressionistas procuraram, com base na observação direta do efeito da luz slar sobre os objetos, registrar em suas telas as constantes alterações que essa luz provoca nas cores da natureza.

Algumas características gerais da pintura impressionista:

-A pintura deve registrar a tonalidades que os objetos adquirem ao refletir a luz solar e um determinado momento, pois elas mudam constantemente de acordo com  incidência do sol. 

- As figuras não devem ter contornos nítidos poi a linha é uma abstração do ser humano para representar as imagens.

- As sombras devem ser luminosas e coloridas, tal como é a impressão visual que nos causam.


- As cores e tonalidades não devem ser obtidas pela mistura de tintas. Elas devem ser puras e dissociadas no quadro em pequenas pinceladas.

Obs : Texto do livro "História da Arte de Graça Proença". Excelente Material.


III - Primeiras Obras (~1869)


Em 1859 Monet mudou-se para Paris. Frequentava a academia suíça de Paris e principal-mente o museu do Louvre, onde copiava os grandes pintores. Em 1861 foi obrigado a servir no Exército na Argélia. Sua tia Lecadre concordou em conseguir sua dispensa do serviço caso Monet se comprometesse a cursar arte na universidade. Deixou o exército, mas não lhe agradou o tradicionalismo da pintura acadêmica.


Decepcionado com o ensino da pintura acadêmica na Universidade, em 1862 ele foi estudar artes com Charles Gleyer em Paris, onde conheceu Camille Pissarro e Gustave Courbet. Juntos desenvolveram a técnica de pintar o efeito das luzes com rápidas pinceladas, o que mais tarde seria conhecido como impressionismo.



           Os banhistas de Grenouille, 1869 -
Mulheres no Jardim - 1866, Museu d'Orsay

Mulheres no Jardim - O quadro de 1866, retrata o quotidiano burguês de quatro senhoras, que ocupam a sua manhã a colher flores no jardim, sob a sombra das árvores. Nesta cena primaveril, é notável a habilidade de Claude Monet na representação do traje feminino. No quadro o artista também explora intensamente a luz, mostrando um exímio jogo lumínico, estudo que lhe seria muito útil durante o seu percurso impressionista, iniciado poucos anos mais tarde.



O quadro foi relativamente bem recebido no Salon, ao contrário de "Impressão, nascer do sol",  apresentado ao público anos mais tarde.


Os banhistas de Grenouille - O quadro foi pintado por Claude Monet no Verão de 1869, quando da sua estadia em Bougival.


Nesse período, Monet e a sua esposa e filho fixaram-se no local, perto de La Grenouillère. Trabalhando lado a lado com Pierre-Auguste Renoir, Monet pintou preferencialmente este tipo de cenas pouco quotidianas, mas muito populares na sociedade parisiense. Hoje, a tela encontra-se na National Gallery of London, em Londres, no Reino Unido.



"O Magpie (pássaro pega)", 1869, é uma das 140 paisagens de neve produzidas por Monet. 

A tela de "O Magpie" retrata um pássaro solitário empoleirado em um portão, com a luz do sol brilhando em cima da neve recentemente caída criando sombras azuis. A pintura caracteriza um dos primeiros exemplos de uso de Monet de sombras coloridas , que mais tarde se tornariam associado ao movimento impressionista. Monet e os impressionistas usaram sombras coloridas para representar o real, mudanças nas condições de luz e sombra, como visto na natureza, desafiando a convenção acadêmica de pintar sombras pretas. Esta teoria subjetiva da percepção da cor foi introduzido ao mundo da arte através das obras de Johann Wolfgang von Goethe e Michel Eugène Chevreul no início do século.


Obs: Na época, o uso inovador de Monet de luz e cor levou à sua rejeição pelo Salão de Paris de 1869. Hoje, os historiadores da arte classificam The Magpie como um dos melhores quadros de paisagem nevada de Monet. A pintura era propriedade privada até que o Musée d ' Orsay a adquiriu em 1984; é considerada uma das pinturas mais populares em sua coleção permanente.

IV - Pinturas de 1872 e 1873 - Barcos e Campos


Monet e sua família se mudam para uma boa casa, em Argenteuil, perto do Rio Sena em dezembro de 1871. Nessa época, já em condições financeiras um pouco melhor, Monet adquire um barco-oficina, onde passa longo tempo estudando as nuances das cores e o reflexo da luz na superfície da água. Os barcos são um tema recorrente na obra de Monet. Essa tela retrata exatamente este período, que serviu de inspiração para muitas de suas obras. (http://monetimpressionista.blogspot.com.br)



                     "Regata em Argenteuil"  - 1872 - Museu d'Órsay, Paris



                     "As Papoulas em Argenteuil", 1873- Museu d'Orsay em Paris


Monet vivia em Argenteuil, e estava com 33 anos quando pintou esse quadro. Intitulado "Papoulas" ou "Papoulas, passeio", esse quadro foi apresentado no ano seguinte na primeira exposição impressionista. A reação do público não foi muito favorável, pois para a época, parecia um quadro inacabado, com pinceladas rápidas e sem feições e traços definidos. 
O quadro apresenta um vasto campo com papoulas,principalmente no lado esquerdo. O plano de fundo é composto por ma fileira de árvores com uma casa. A mãe e filha criam a estruturação oblíqua. A mulher em primeiro plano provalvemente é Camile Doncieux, esposa do artista,acompanhada elo jovem Monet, nascido em 1867, então com seis anos de idade. 

O Passeio ou Moça com Sombrinha, 1875
Galeria de Arte Nacional

Fortemente e rapidamente realizada, esta pintura provavelmente foi criado em uma única sessão. A representação por Monet do momento capturado no tempo é acentuada pela espontaneidade do projeto de lei e cores brilhantes. O céu foi pintado de forma rápida, com diferentes direções de características de tamanho e tiras largas a partir do canto inferior esquerdo visível.  A grama é pintada com golpes curtos em vários tons de verde, azul, amarelo e vermelho: as amplas passagens azul-verde são utilizados para sombra e verde mais claro em áreas ensolarada.


Obs: Monet retorna ao tema da mulher com sombrinha, em pé sobre uma colina, dez anos depois, em um par de pinturas executadas no verão de 1886 em Giverny e que estão no Museu d'Orsay. A inspiração para estas pinturas era a imagem de Suzanne, uma filha de seus amigos Alice e Ernest Hoschede.


IV - Ninféias


Lírios de água (ou Nymphéas em Francês) é uma série de aproximadamente 250 pinturas a óleo realizadas pelo francês impressionista Claude Monet (1840-1926). As pinturas de Monet retratam o jardim de flores de sua residência em Giverny e foram o foco principal da produção artística de Monet durante os últimos trinta anos de sua vida. Muitas das obras foram pintadas, enquanto Monet sofria de catarataClaude Monet, pintor e jardineiro, morou neste local, com sua esposa e 8 filhos,  por 43 anos, de 1883 até morrer em 1926.

                                   O lago de Nenufáres (Nimphéas), 1897-1899 - 




Museu Orangerie, Paris (http://www.musee-orangerie.fr)

O museu Orangerie abriga oito composições das grandes Nympheas de Monet, feitos a partir de diferentes painéis unidos uns aos outros. Estas composições têm a mesma altura (1,97 m), mas são de diferentes larguras para serem distribuídas nas paredes curvas de duas salas ovais. Nada foi deixado ao acaso pelo artista para este projeto que havia sido muito meditado e cuja instalação foi feita de acordo com a sua vontade, em conexão com o arquiteto Camille Lefèvre e com a ajuda de Clemenceau. 

O conjunto é uma das maiores realizações monumentais da pintura da primeira metade do século XX e representa uma superfície cerca de 200 m2. As dimensões e a área coberta pela pintura envolve e abrange o espectador a quase 100 metros lineares, onde se desenrola uma paisagem pontilhada com lírios de água, ramos de salgueiro e reflexões de árvores e nuvens, dando ao " ilusão de um conjunto sem fim, de uma onda sem horizonte e nenhum banco ", nas palavras de Monet.







Nimpheia - Museu Albertina em Viena







Nimpheias, Museu Albertina - Viena



V - Referências


Texto: 


Todo o texto desse post não é original, mas sim uma coletânea de vários artigos da wikipedia (francesa, inglesa, portugesa) sobre Claude Monet e também sobre alguns de seus quadros. A parte introdutória sobre impressionismo foi retirado do livro História da Arte de Graça Proença. O intuito desse post é a divulgação cultural da obra de Claude Monet. 


- História da Arte - Graça Proença

- Wikipedia Francesa

- Wikipedia - Portuguesa



 Fotos:  

Wikipedia


Locais para visitação:


- Museu d'Orsay, Paris
- Museu d'Orangerie, Paris
- Museu Marmottan, Paris
- Casa de Monet, Giverny, França


quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Manet ou Monet, eis a questão ! (Impressionismo I)

I - O Impressionismo 



                Argenteuil (1874), Edouard Manet, Museu de Belas Artes de Tounai, Bélgica


O Impressionismo foi um movimento artístico que revolucionou profundamente a pintura e deu início ás grandes tendências da arte do século XX. 

Os pintores impressionistas procuraram, com base na observação direta do efeito da luz slar sobre os objetos, registrar em suas telas as constantes alterações que essa luz provoca nas cores da natureza.

Algumas características gerais da pintura impressionista:

-A pintura deve registrar a tonalidades que os objetos adquirem ao refletir a luz solar e um determinado momento, pois elas mudam constantemente de acordo com  incidência do sol. 

- As figuras não devem ter contornos nítidos poi a linha é uma abstração do ser humano para representar as imagens.

- As sombras devem ser luminosas e coloridas, tal como é a impressão visual que nos causam.

- As cores e tonalidades não devem ser obtidas pela mistura de tintas. Elas devem ser puras e dissociadas no quadro em pequenas pinceladas.


Obs : Texto do livro "História da Arte de Graça Proença". Excelente Material.


Tela "Argenteuil"


A tela representa um velejador em companhia de uma jovem mulher ao lado do Seine em Argenteuil (atualmente no Val-d'Oise ). A aldeia de Argenteuil é visível no fundo.

Esta é, na história da arte , uma das primeiras obras de Manet que merecem plenamente o adjetivo de impressionista, tanto por causa de seu tema naturalista bem como de suas cores audaciosas, incluindo o azul berrante de rio.

II - Édouard Manet



Édouard Manet (Paris, 23 de janeiro de 1832 — Paris, 30 de abril de 1883) foi um pintor e artista gráfico francês e uma das figuras mais importantes da arte do século XIX. Ele é considerado um dos precursores do impressionismo.


Ele nasceu no bairro de Saint-Germain-des-Prés , em uma família de burguesia parisiense. Seu pai Auguste, era um alto funcionário doMinistério da Justiça 5.  A mãe de Edward, Eugénie Désirée Manet  era a filha de um diplomata enviado para Estocolmo. 

No início de sua obra Manet era criticado não apenas pelos temas, mas também por sua técnica, que escapava às convenções acadêmicas. Frequentemente inspirado pelos mestres clássicos e em particular pelos espanhóis do Século de Ouro, Manet influenciou, entretanto, certos precursores do impressionismo, em virtude da pureza de sua abordagem. 


- Infância


Embora tenha sido criado em uma família austera, o jovem Edouard logo descobre o mundo da arte através da influência de um tio monarquista excêntrico, o capitão Edward Fournier, que lhe leva a apeciar os grandes mestres, junto com seu irmão Eugene, nas galerias do Louvre , chamando  a atenção especialmente da Galeria Espanhola.  



- Viagem ao Brasil


Manet obtém bons resultados escolares, mas  os estudos tradicionais não lhe interessam. ele se recusa a entrar an faculdade de direito como era o desejo de seus pais. Ele tenta entrar no Colégio Naval após intensas discussões em família, mas não é bem sucedido nos exames. 

Em 09 de deembro de 1848 el embarca como aprendiz no Barco Escola "Le Havre e Guadolupe" com destino ao Rio de Janeiro. No regresso em 1849 ele tenta novamente entrar na escola naval e novamente não consegue. Entretanto, ele traz na bagagem uma multidão de desenhos diante dos quais seus pais se rendem a evidência que seu filho era um artista.   


- Ateliê de Thomas Couture


Após os seguidos fracassos ao tentar entrar para Escola Naval, Manet consegue apoio de seus pais para estudar no ateliê do pintor e mestre Thomas Couture, onde ficou por seis anos.

Durante esse tempo, Manet procurou aprender as bases técnicas da pintura e fez cópias de obras expostas no Louvre (cópias de obras de Ticiano, Velazquez, Tintoretto e Delacroix). Manet completou seu aprendizado viajando e conhecendo museus de outros países europeus (Itália, Holanda, Alemanha, Áustria e outros).

No ano de 1856, Manet deixou o atelier de Couture por divergências artísticas. Segundo Couture, Manet não tinha tons intermediários entre a luz a e sombra. Para Manet, esses tons intermediários debilitavam a sombra e a luz, portanto ele acabava usando cores quase puras.

A obra de Manet foi importante na medida em que inovou a pintura, dando-lhe uma luminosidade mais intensa e que jácomeça a explorar os efeitos da luz natual sobre uma cena a ser retratada.

Período Espanhol


 O bebedor de Absinto(1858 - 1859)  (Museu de Copenhague)                     O velho músico (1862) - Galeria de Arte Nacional, Washington




Em 1859, Manet envia o seu primeiro trabalho ao Salão de Paris ("O Bebedor de Absinto"), obra realista influenciada pelas obras do pintor Gustave Courbet e também pela obra Menippe de Diego Velázquez. A obra foi recusada pelo Salão. O júri não estava aberto ainda para novas ideias. A imagem do bebedor apareceria em outro quadro de Manet, "O velho músico" de 1862.



Após o abandono do ateliê de Couture, Manet tinha um certo fascínio pela arte da Península Ibérica. Entre as suas obras da época estão: "Lola de Valência" (que retrata uma dançarina em trajes espanhóis tradicionais), "O Cantor Espanhol", "Jovem Homem em costume de Majo", "Bailado Espanhol" e "Mile V. em costume de espada" (cuja modelo foi Victorine Meurent vestida de toureiro). Estes dois últimos expostos no Salão dos Recusados de 1863. Seu período hispânico era influenciado pelas obras de Diego Velázquez.


Período de Rejeição e Glória

               A música nas Tulherias (1862) - Galeria Nacional de Londres           Tocador de Pífaros (1866),                                        Museu d'Orsay


Manet era um jovem amigável e sociável. Quando começou a fazer sucesso foi prontamente aceito em círculos de intelectuais e aristocratas parisienses. Frequentava assiduamente os Jardins das Tulherias (Jardin des Tuileries em francês) com a presença constante de seu amigo, Baudelaire, local que serviu de inspiração para a obra "A música nas Tulherias" de 1862.



A obra "A música na Tulherias"  marca o seu rompimento com o realismo em sua primeira obra impressionista. Há a presença de pessoas bem próximas a Manet retratadas nesta obra, entre elas Baudelaire e Eugène Manet, seu irmão). Baudelaire e Manet já se conheciam desde 1858, mas tornaram-se grandes amigos tempos depois.

A obra "O Tocador de pífaros" foi pintada  quando o comandante da guarda imperial, Lesjosne, levou o jovem flautista ao estúdio de Manet, que não resistiu a tentação de pintá-lo. Realizado logo depois do retorno de sua viagem à Espanha, Manet tinha em sua mente os retratos em pé de Velázquez vistos no Museu do Prado. Os contornos da pintura são muito bem definidos e o contraste entre o personagem e o fundo cinza parecem combinar a arte de Velázquez com uma reflexão sobre pinturas japonesas. (Coleção Grandes Mestres Abril). 

No ano de 1867, "O tocador de Pífaro" foi recusado no Salão Oficial de Paris. Fato que fez com que Émile Zola escrevesse uma artigo no L’Événement defendendo a tela (Zola seria retratado por Manet em 1868, quadro que foi aceito no Salão do mesmo ano).



Período Impressionista - "Cafés" e "Cafés Concerto"



Os cafés e cafés concerto, representavam um papel importante na vida artística de Paris no século XIX. Ponto  de  encontro dos vários artistas, eles eram frequentemente retratados nas obras dos mais diversos artistas da época. 




                    Café Concerto do Pai Lathuille (1879) -Museu deBelsa Artes de Tournai






                 Um bar no Folie-Bérgere (1881-1882) - Instituto Courtauld, Londres





III - Claude Monet



Oscar-Claude Monet (Paris, 14 de novembro de 1840 — Giverny, 5 de dezembro de 1926) foi um pintor francês e um dos fundadores do movimento "impressionista".

O termo impressionismo surgiu de uma crítica pejorativa, feita ao seu quadro"Impressão do Sol'' pelo pintor e escritor Louis Leroy: "Impressão, nascer do Sol” – eu bem o sabia! Pensava eu, justamente, se estou impressionado é porque há lá uma impressão. E que liberdade, que suavidade de pincel! Um papel de parede é mais elaborado que esta cena marinha...,.  A expressão foi usada originalmente de forma pejorativa, mas Monet e seus colegas adotaram o título, sabendo da revolução que estavam iniciando na pintura.



        Claude Monet em seu Ateliê em Argenteuil, por Manet, 1874, Neue Pinakotheke



A Obra de Claude Monet está divulgada no post seguinte "Monet ou Manet, ambos! (Impressionismo II)." http://historiacomgosto.blogspot.com.br/2016/02/monet-ou-manet-ambos-impressionismo-ii.html


IV - Referências


- História da Arte - Graça Proença ( Texto sobre Impressionismo)

- Coleção "Grandes Mestres" - Abril Coleções

- Wikipedia Portugues - Édouard Manet / Claude Monet

- Wikipedia Francês - Édouard Manet

- Fotos: Wikipedia - The Yorck Project: 10.000 Meisterwerke der Malerei. DVD-ROM, 2002. ISBN 3936122202. Distributed by DIRECTMEDIA Publishing GmbH.

- Divulgação das Obras Consideradas de Domínio Público - Mais de 100 anos da morte do autor.