sábado, 30 de janeiro de 2016

O Retorno do Filho Pródigo - Rembrandt, Museu Hermitage

I - O Retorno do Filho Pródigo - Rembrandt - Museu Hermitage


  • A obra mais famosa do Museu Hermitage e uma das maiores obras primas da humanidade, o quadro "O retorno do filho pródigo" foi pintado por Rembrandt por volta de 1668. Em 1766 o quadro foi adquirido por "Catarina, a Grande" e levado para São Petersburgo onde hoje integra a coleção do Hermitage.





II - A Parábola do Retorno do Filho do Pródigo


  • A parábola do retorno do filho do pródigo está no contexto dos ensinamentos de Jesus sobre a importância do perdão. Nela temos três personagens principais com suas respectivas ações:

  • a) O filho que, mesmo com o pai ainda vivo, solicita a sua parte da herança e gasta-a toda com jogatinas, mulheres e bebidas. Então ele se vê em apuros sem ter o que vestir, comer e onde dormir. Nesse momento de desespero ele cai em si e se lembra do aconchego da casa paterna e de tudo que ele abandonou.

  • b) O pai que, no seu imenso amor, reparte os seus bens e mesmo com o coração partido deixa o seu filho ir embora. Ainda assim, não pensa duas vezes e se enche de imensa alegria quando esse retorna maltraplho e de mãos vazias. No seu abraço, o pai é a figura do perdão incomensurável de Deus, esquecendo de todos os pecados do filho e vendo que seu arrependimento é verdadeiro, não lhe exige explicações.

  • c) O irmão mais velho, que permanecendo ao lado do Pai, cumpe as suas obrigações trabalhando e não exigindo nada. Esse, quando vê o seu irmão voltar, não participa da alegria do pai e exprime em palavras tudo o que sentia ao longo de sua vida. Ele cumpria as suas tarefas mas não as fazia com amor e sim por obrigação. Não se sentia à vontade na casa do próprio pai. Esse filho também precisava do perdão e do amor do pai para que os três se entendessem e se amassem.

  • A parábola exprime a supremacia do amor e do perdão versus a ganância e também a obrigação. Alerta para a necessidade de cultivar e explicitar o amor. Não basta não ter conflito, é preciso diálogo, compreensão e amor. É uma das mais belas parábolas da Biblia.


III - Rembrandt


  • Rembrandt Harmenszoon van Rijn, nasceu em Leida, Holanda em 15 de julho de 1606 e faleceu em Amsterdam em 4 de outubro de 1669. Foi um pintor e um dos maiores nomes da história da arte europeia e o mais importante da história holandesa.

  • Filho de dono de moinho, tanto o pai (igreja reformada) como a mãe (católica) eram religiosos. Ele logo cedo demonstrou tendência para a pintura. No final de 1631 mudou-se para Amsterdã e já passou a trabalhar como pintor retratista, obtendo sucesso. Em 1634 casou-se com sua sobrinha Saskia de uma família de respeitável condição financeira. Saskia morrreu em 1646 e Rembrandt passou por um período perturbado em sua vida pois ele a amava muito.

  • Sem ser um bom administrador de seus bens, Rembrandt atolou-se em dívidas sendo forçado a vender até a casa em que morava. De acordo com o testamento de Saskia, Rembrandt para continuar a usufruir de seu dote / herança não podia casar novamente. Rembrandt passou a ter apenas romances não oficiais. Com a sua consciência religiosa, imagina-se que ao pintar o quadro do filho pródigo, Rembrandt fazia também um retrospecto de sua vida, colocando-se como os dois filhos necessitados do perdão do Pai.


IV - Quadro Retorno do Filho do Pródigo


  • O quadro é repleto de nuances que merecem ser pontuadas:

  • a) Como característica de toda obra de Rembrandt e dos pintores holandeses do seu tempo, o quadro tem pouca luminosidade. O foco é colocado no abraço do pai no filho mais novo, deixando em segundo plano o irmão mais velho e os empregados.

  • b) A figura do filho maltrapilho, sem cabelos e com um dos pés descalços, retrata a humilhação mostrando o filho despojado de toda sua dignidade.

  • c) As mãos do pai tem tamanhos diferentes e pulseiras diferentes, simbolizando as figuras paterna e materna. Por um lado o pai firme e trabalhador e ao mesmo tempo com a ternura e o carinho da mãe.

  • d) O filho mais velho é colocado na mesma cena, mas em plano diferente, demonstrando que não participa da mesma alegria do Pai.

  • e) Entretanto, é o abraço do Pai, que transmitindo todo a ternura do perdão, domina toda a cena e faz a grandiosidade do quadro.



V - Referências


  • Fontes: Texto:
  • 75 masterpieces every christian should know - Terry Glaspey
  • Wikipedia - Return of Prodigal Son
  • Wikipedia - Rembrandt 
  • Biblia Sagrada - Parábola do Filho Pródigo

  • Foto: 5QFIEhic3owZ-A at Google Cultural Institute

Um comentário:

  1. Amo esta mensagem pois Deus ainda hoje te espera o retorno a casa paterna,

    ResponderExcluir