quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Museu de Arte Pré-Colombiana de Santiago, Chile

I - Introdução


Esse museu tem a finalidade de divulgar a arte e cultura dos povos que habitaram e desenvolveram o continente americano no período pré-colombiano. O Museu tem coleções de arte que são organizadas em exibições permanentes e temporárias, tem uma coleção de audio-visuais  como fotografias, vídeos, ...,. e também uma vasta biblioteca para consulta. Além de tudo isso o site do museu é excelente e se constitui uma ótima fonte para consulta. Visite em http://www.precolombino.cl/






II - Povoamento da América


Períodos de Formação


Dois períodos de formação do planeta, que os geólogos tem chamado de Pleistoceno e Holoceno, são o marco em que se desenvolve o povoamento do continente americano. O Holoceno é o período que estamos vivendo hoje, caracterizado por u clima quente em que a parte gelada se concentra grandemente nos polos. Essa situação ambiental prevalece há cerca de 11.000 anos.



                                         arte de Maurice Antón em www.plosbiology.org



Por outro lado o Pleistoceno, também conhecido como Era do Gelo, é a etapa anterior ao Holoceno e se caracteriza por um clima muito mais frio que o atual. Por essa razão enormes glaciares ocupavam parte importante da superfície terrestre. Os animais que sobreviviam eram principalmente aqueles que tinham uma maior resistência ao frio. Basicamente aqueles que podiam armazenar quantidade suficiente de gordura e que tinham pele e corpo resistente à baixas temperaturas. Por isso os animais desse período eram muito maiores que os atuais e nos referimos a eles como megafauna.


Ocupação Humana

Os arqueólogos, baseados em suas investigações, nos dizem que os grupos humanos que entraram na América, o fizeram durante os últimos períodos da glaciação, há cerca de 20.000 anos. 

A teoria mais aceita estabelece que a travessia ocorreu entre 20.000 e 15.000 anos, pela Sibéria e Alasca, quando o mar baixou seu nível e se formou um grande corredor (ponte de terra) que uniu Ásia com América do Norte. Esse corredor se denomina Beringia e hoje está submerso.






  arte de Roblespepe Poblamiento_de_America_-_Teoría_P_Tardío.png ‎

Grupos Humanos

Os grupos que chegaram nas américas eram grupos que se organizavam por laços familiares em torno de 40 a 50 pessoas que se moviam seguindo os grandes animais que emigravam da Ásia. Não existiam grandes diferenças sociais. Os homens maiores e os melhores caçadores eram os líderes que guiavam aos outros. Somente se destacavam aqueles que cumpriam as funções do Chaman, uma espécie de médico e guia espiritual.

Uma Nova Paisagem, um novo continente


A medida que os animais se recuperavam da exaustão, os grupos continuavam a se mover até chegar a um novo continente completamente desconhecido por eles. Depois de passar a área mais críticas, cercado por geleiras, eles chegaram mais ao sul onde havia uma nova paisagem. Planícies largas e espaços imensos, nova vegetação, florestas de vidoeiro, pinheiros e gramíneas, além de planícies salpicadas de lagos e lagoas. Essa viagem, a partir das costas e planícies da Sibéria para as primeiras pradarias norte-americanas, levou centenas de anos.

Nessas planícies viveram grandes herbívoros e predadores do Pleistoceno, juntamente com pequenos animais e uma grande quantidade de pássaros, coelhos e roedores, que se tornaram parte de sua dieta. Eles também acrescentaram novas espécies de ervas e frutas, expandindo e completando a sua dieta. Isso permitiu um aumento no número de pessoas, formando novos grupos que vão avançando até a Terra do Fogo em um período de duração de cerca de 20.000 anos. A esses grupos de pessoas que viveram e se adaptaram inicialmente na América são chamados de Paleoíndios.

fonte: material de professores, site precolombino.org.cl

III - Divisão em Regiões


O museu  está organizado por regiões que englobam países ou parte desses. Cada uma delas dá ênfase nas diversas culturas que a caracterizam:





     Região
     Países

    Cultura
 Mesoamérica  México, Guatemala,  Honduras, Salvador e parte  da Nicarágua
 Azteca, Chupicúaro e  Colima, Guerrero, Huetar e  Maya, Maya Pipil e Maya  Ulúa
 Caribe
 Mar do Caribe e Antilhas

 Taíno



 Intermedia


 Colômbia e Equador
 Bahía, Capuli, Chorrera e  Coclé, Cuasmal, Diquís,  Guangala, Jama-Coaque, La  Tolita, Machalilla, Manta,    Quimbaya, Tuncanhuán,  Valdívia, Veraguas
 Amazonas  Selva amazônica
 Marajoara


 Andes centrais  Perú e Bolívia
 Chancay, Chavín, Chimu, Ica-Chincha, Inka, Lambayeque, Maytas-Chiribaya, Moche, Nazcas, Parakas, Recuay, Tiwanaku, Vicús, Wari



Área sul-andina

Argentina Ciénaga, Condorhuasi, La Aguada, Santa María, Tafí

Chile

Chile Chinchorro, Azapa e outros bastante detalhados.

Obs: Apesar do Chile fazer parte da região dos Andes do Sul, foi criado uma área de exposição individual devido a ser o país sede do museu.


IV - Coleções  



Das diversas peças expostas da coleção de cultura pre-colombiana, escolhemos apenas algumas  para ilustrar o que existe no museu. Por ordem cronológica:

a) Cultura de Chorrera - 1800 a 300 a.c. (Intermedia)

A cultura de Chorrera ocupou a costa sul do Equador, que se estende ao longo da bacia do rio Guyas e seus afluentes. Esses rios eram seu local de oferta e corredor de tráfego. O território inclui as províncias de Guayas, Manabi e Esmeraldas.





b) Olmeca - 1200 a 200 a.C. (Mesoamerica)

A cultura olmeca desenvolveu-se nos estados mexicanos de Veracruz e Tabasco, território delimitado pelo Golfo do México e as terras altas do sul do país. Esta área é caracterizada por ter muita água, com rios, lagos e grandes áreas de zonas úmidas. Ela reina sobre uma selva tropical povoada por animais como onças, antas, javalis e macacos. Em seu auge, a influência desta cultura se espalhou por toda Mesoamérica.



Figuras antropomorfas




c) Chavin - 1000 a.c a 400 a.c. (Andes centrais)

A cultura Chavin deriva seu nome do sítio arqueológico de Chavin, localizado em um vale fértil do planalto peruano-central a 315 m de altitude.






d) Cultura de Nazca - 100 a 700 d.c. (Andes centrais)

A cultura Nazca se desenvolveu nos vales e na costa sul do Perú no período de 100 a 700 dC.


As peças mostradas abaixo são garrafa, vaso e gorro do período.





e) Cultura Maya - 600 a 900 d.c.(Meso America)


A cultura maia se desenvolveu ao longo de uma vasta área, a partir do sul, região central do México até a Guatemala e Honduras. Essa área é composta de três diferentes regiões: as montanhas ou terras altas; a selva tropical ou terras baixas; e as terras baixas do Golfo do México e Península de Yucatan;

 Guerreiro Maia / Vasos





f) Cultura Azteca - 1200 a 1520 d.c. (Mesoamerica )

Os astecas ocuparam o planalto central do México, fundando sua capital Tenochititlán nas margens do lago de Texcoco. Em sua fase imperial eles cresceram muito do centro do México, desde a costa atlântica à costa do Pacífico.


Tambor Teponaztli
Período: 1430 a 1600 d.c.

        A música era de vital importância para as características dos festivais religiosos do povo asteca. Estas cerimónias incluíam danças, cantos, discursos e poemas,  os quais eram acompanhados por grupos de músicos que executavam de preferência instrumentos de sopro e percussão. Nesta última categoria pertence cilindro de madeira, teponaztli em Nahuatl, representando um personagem masculino com asas. Obtinha-se dois sons, batendo martelos de borracha cobertos na sua extremidade superior.


g) Incas - 1200 a 1535 d.c. (Andes Centrais)


Tawantisuyu, nome dado pelos incas para seu império, cobriu um território enorme e variado das terras altas do norte do Equador  até o Rio Maipo no Chile, e do Oceano Pacífico até às encostas orientais dos Andes. Nestes vastos domínios, os incas tiveram acesso a diferentes recursos de tais ambientes tão diferentes e contrastantes. Seu centro estava em Cuzco, capital religiosa e secular que irradiava caminhos para as quatro regiões do império; Chinchaysuyu, Kontisuyu, Kollasuyu e Antisuyo.




h) Cultura dos  Mapuches (Chile)


Os mapuches utilizavan estas enormes estatuas de madeira nos  ritos funerários (velório). Uma larga lista de parentes e amigos pronunciava discursos falando do morto e recordando suas realizações. No final do velório a estátua era erigida junto ao túmulo para assinalar o lugar onde oermaneceria o corpo. 








V - Localização



                                   foto do site oficial do museu www.precolombino.cl


O museu funciona em uma das mais importantes construções da cidade. O edifício em estilo neoclássico, foi construído em 1805 para abrigar o Palácio real da Alfândega. 

Localizado a uma quadra da Praça de Armas, o local sempre ocupou um lugar importante na história de Santiago. Em 1555 essa área foi concedida para o primeiro governante de Santiago, Don Juan de Cuevas, instalar a sua residência. Em 1635 os Jesuítas instalaram no local o Colégio / Seminário de São Francisco Xavier. 

Mais tarde, entre 1805 e 1807, o governador Luis Munoz mandou construir o Palácio da Alfandega. 

Em 1968 um grande incêndio destruiu o prédio e os seus arquivos quase que integralmente. A partir de 1980, após a restauração, o prédio foi então destinado ao uso do Museu de Arte Pré-Colombiana.



VI - Referências


Esse blog tem como finalidade divulgar o museu de arte precolombiana de Santiago - Chile, bem como ajudar a divulgar a arte e cultura dos povos americanos. 

Recomendamos a todos que viajarem a Santiago a fazerem uma visita ao Museu e àqueles que não puderem vê-lo pessoalmente que visitem o site www.precolombino.cl

Com exceção da primeira foto que realizei durante minha visita, todas as outras são de propriedade do museu precolombino. O texto é integralmente retirado do site www.precolombino.cl





Nenhum comentário:

Postar um comentário