quarta-feira, 19 de agosto de 2015

História da Espanha - Parte I

I - Pré-História



Foi na Serra de Atapuerca, norte da Espanha, que foram encontrados os fósseis mais antigos de habitantes europeus. Como esses fósseis datam de cerca de 800.000 anos, presume-se que uma população de hominídeos viveu na península há pelo menos 1 milhão de anos. Perto de Gran Dolina foram identificados exemplares do "homem de Heidelberg" que viveu 400.000 anos atrás e em Gibraltar exemplares do homem de Neandertal de cerca de 200.000 anos. Os Homens sapiens sapiens se estabeleceram entre 45.000 e 10.000 anos. O sítio arqueológico mais famoso é o da caverna de Altamira com suas pinturas rupestres.





Iberos e Celtas

Há cerca de 2.200 anos grupos da idade do bronze surgiram na península ibérica. Os cientistas os identificaram como relacionados aos iberos e aos celtas. Os iberos entraram na Espanha pelo norte da África e os celtas vieram pelo norte da Europa. Essas culturas se misturaram com as populações locais dando origem ao que os romanos mais tarde chamariam de "Hispani".

Geografia


Vê-se no mapa que a península ibérica tem limites com  dois mares (Atlântico e Mediterrâneo) e dois continentes (Africa e Europa). Observe-se que entre a Espanha e a França ergue-se a cadeia de montanhas dos Pirineus. 


                                 
Entre o Marrocos e a península ibérica temos o Estreito de Gibraltar, por onde adentraram os Mouros no período da invasão árabe.

                              

II - Romanos   (200 a.c até 400 d.c.)


Os romanos chegaram na região ibérica em 218 a.c. para lutar contra os catargineses na segunda guerra púnica entre os povos que dominavam o mediterrâneo. 

Foi depois dessa vitória que Roma começou a sua expansão. Os romanos tomaram controle do mediterrâneo ocidental, começaram a anexar a península ibérica, e começaram a sua expansão em direção ao Oriente.

Eles ocuparam a região da península ibérica por quase 700 anos, até o início do século V d.c., quando o império romano já fragilizado não conseguiu deter as invasões dos bárbaros e visigodos. 


                                      Anfiteatro romano em Mérida


Mérida


Fundada em 25 a.c. com o nome de Emerita Augusta, a cidade de Mérida, capital da Estremadura, foi durante a ocupação romana uma das mais importantes cidades da península ibérica.  Nesse período Mérida foi a capital da região de Lusitânia que compreendia todo o território de Portugal atual, a região da extremadura espanhola e parte de província de Salamanca.

Contando hoje com cerca de 60.000 habitantes, Mérida conserva vários vestígios de seu passado romanesco como o anfiteatro, aqueduto, ...,.




Provinciaromana-Lusitania-pt.svg
  A Lusitânia é a parte amarela do Império                          Aqueduto romano em Mérida


III - Visigodos (400 d.c até 800 d.c.)



Após a invasão de Roma em 410 d.c., os visigodos, sob o rei Vália, se estabeleceram na província de Aquitânia. Daí, começaram a se expandir em direção à península ibérica, colocando sob sua autoridade as províncias da Hispânia e Lusitânia. 

Para manter uma relação pacífica, o rei Vália firmou um pacto de paz, com o imperador Honório. Por esse pacto eles se ajudariam mutuamente contra outras invasões. 

Foi o início do governo visigodo na região  que duraria até o século VIII.


Localização de Reino Visigótico

Basilica em San Juan de Banos (Palencia)

Igreja de San Pedro de la nave, el campillo,                                         Zamora


Toledo - Capital dos Visigodos


Toledo já era habitada desde o período dos celtas. O primeiro assentamento permanente conhecido na cidade é um conjunto  de fortes / muralhas celtíberas.  Depois de habitada por iberos e romanos, a cidade foi conquistada pelos visigodos em 418 d.c.

No governo de Ágila (549 a 554 d.c.) os visigodos perderam território no sudeste da Espanha para o Império Bizantino.  De sua capital em Toledo, porém, o estado Visigodo se recuperou chegando ao apogeu com Leovigildo no período de 569 d.C. a 586 d.C. 

Na época de Leovigildo, Toledo tornou-se capital do reino e arcebispado hispano-visigodo, até a conquista moura no século VIII. 




Leovigildo, que professava o arianismo, foi sucedido por seu filho Racoredo que em 589 se converteu ao catolicismo.


O reino visigodo chegou ao fim em 711  enfraquecido por guerras internas, o que facilitou a invasão moura.

Após o período mouro, Toledo viria a ser mais tarde a capital do Reino de Castela. 


IV. - Espanha Muçulmana (século VIII a século XV)


A expansão muçulmana para a península ibérica, deu-se a partir de 711, através da movimentação de tropas islâmicas  vindas do norte da África que cruzaram o estreito de Gibraltar e venceram o último rei visigodo da Hispânia, na batalha de Guadalete.


Observe-se que a primeira onda de árabes veio praticamente a convite, pois com a morte do rei Vitiza em 710, os visigodos se dividiram em duas facções: O grupo de Ágila II e o de Rodrigo que viria a ser o útimo rei de Toledo. Os partidários de Ágila II solicitaram apoio ao governador muçulmano da África, Muça Ibne Noçair, abrindo-lhe as portas de Ceuta. 



A partir dessa primeira investida os árabes continuaram a invadir e conquistar o território ibérico denominando a toda a região de "Al-Shantala". 


A conquista dos muçulmanos teve algumas características especiais; Os Mouros somente lutavam quando era necessário, sempre que possível eram feitos acordos com a população da região. Os muçulmanos aceitavam as outras religiões que fossem monoteístas, como o judaísmo e o cristianismo, desde que eles pagassem um imposto adicional e não submetessem nenhum mouro sob o seu domínio.

Os muçulmanos tentaram expandir os seus domínios para a França, mas foram contidos em Tours e Poitiers. Com dificuldades de arregimentação de novos soldados e não querendo enfrentar guerras longas, os muçulmanos se recolheram e se mantiveram na península iberica.

A principal cidade de "Al-Shantala", e capital do reino mouro era a cidade de Córdoba. Na época, Córdoba chegou a ser a maior cidade de toda Europa.

Córdoba - capital Muçulmana


O povoado que viria a dar origem à cidade de Córdoba, ganhou importancia no ano de 206 a.c., quando foi conquistado pelos romanos. Dessa época subsiste a ponte romana com 16 arcos que liga a parte central da cidade ao "campo de la verdad" no outro lado do rio Guadalquivir, a qual foi reconstruída pelos mouros. 


                                                     ponte romana em Córdoba
                           
No início do século VII, quando começou a invasão muçulmana da peninsula ibérica, Córdoba foi sede de um califado. Em meados do século IX, Córdoba era uma das cidades mais povoadas do mundo, tendo sido uma das primeiras a ter iluminação pública. 




A Mesquita de Córdoba







V. - O Período da Reconquista  (século VIII a século XV)


A Reconquista é a designação historiográfica para o movimento de recuperação pelos cristão ibéricos das terras perdidas para os invasores muçulmanos durante as invasões mouras do século VIII. Embora o movimento tenha se iniciado logo após as primeiras invasões ele somente se completaria em 1492 com a tomada de Granada pelos reis católicos. 

Pelayo - Os muçulmanos após dominarem a maior parte da peninsula iberica, não deram muita atenção para a região norte, pois ela era pobre e pouco habitada. Foi aí que um nobre visigodo chamado Pelayo, iniciou as lutas pela reconquista. Chamando a região de reino das Astúrias, ele começou a lutar no ano de 900.

VI. - Os Reis Católicos e a Era dos Descobrimentos (século XV)



Reis Católicos, é o nome como ficou conhecido o casal composto pela Rainha Isabel I de Castela e pelo Rei Fernando II de Aragão.

Unidos pelo matrimônio em 1469, Isabel e Fernando deram continuidade nas lutas dso reinos pela reconquista de suas posses das mãos dos mouros. Tendo sido vitoriosos já  em muitas frentes, a última batalha foi a reconquista de Granada em 1492.


Após a expulsão dos mouros, Isabel e Fernando unificaram os reinos da região sob o título de Ispagna e deram inicio a um movimento de construção de identidade nacional.


Esse movimento deu origem a busca de um só idioma, uma só religião, abrindo espaço para a instauração do período de inquisição espanhola.


Com os mouros expulsos, os judeus passaram a ser a bola da vez. Eles foram intimados a se converterem ou deixarem o reino. 




Era dos Descobrimentos

O reino de Aragão e Castela esteve durante muito tempo envolvido nas guerras contra os mouros. Colombo que não teve seus planos aprovados em Portugal se dirigiu aos reis católicos pedindo o seu patrocínio. Somente após o final da guerra contra Granada foi possível a Isabel e Fernando darem o seu de acordo a Colombo com um pequeno financiamento da Coroa Espanhola e a quase totalidade ficando por conta da iniciativa privada. 



Colombo chegou nas ilhas do caribe, acreditando estar no oriente, em 1492. 

Continua no próximo post.

XIV - Referências


Historia Concisa da Espanha - William Phillips e Carla Rahn Phillips
Wikipedia - Historia da Espanha
Fotografias de fotolia.com