segunda-feira, 11 de maio de 2015

Santuário de Fátima - Portugal - "Aparições de Nossa Senhora"

1. - Resumo Histórico


                             Local da quarta aparição de Nossa Senhora em Valinhos

   "Por isto, desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações, porque realizou em mim maravilhas aquele que é poderoso, cujo nome é Santo."


A maioria das pessoas que visitam Fátima experimentam uma sensação diferente. Em algum momento, em algum local,  acabam sendo tocados pela fé, pela sensibilidade de algo especial, pela sensação de estar com Nossa Senhora, pela presença real de Jesus nas Eucaristias ali celebrada. No mínimo são testemunhas da fé que move as pessoas que se dirigem ao santuário, muitas vezes de joelhos. 

Em Fátima, em 1916, aconteceu uma das aparições mais extraordinárias de Nossa Senhora a três humildes pastores e que a Igreja segue hoje junto com os fiéis, honrando e homenageando esse lugar escolhido.

Precedidas por três aparições do anjo, Nossa Senhora apareceu seis vezes aos pastores, sendo que na última, o chamado do "fenômeno do Sol"  foi presenciado por cerca de 70 mil pessoas. 

Estive lá e senti uma grande emoção no local da quarta aparição. Foi como  Nossa Senhora nos dissesse "estou aqui, rezem pelo mundo".

Uma descrição dos fatos e do local está a seguir, retirada de vários sites e artigos, com fotos de domínio público e que foram tomadas da época.

Para os que têm fé, visitem.

 2. - A aparição de Nossa Senhora aos três pastores

a) Os três pastores



Em 1917, Lúcia tinha 10 anos, seu primo Francisco, 9 anos e sua prima Jacinta, 07 anos. Os três viviam com seus pais na localidade de Aljustrel, freguesia de Fátima, parte do "Concelho de Ourém", e tinham a seu encargo a tarefa de pastorear as ovelhas de suas famílias.

Lucia era a mais  nova da família com cinco meninas e um menino.


Em 13 de maio de 1917, os três presenciaram a primeira aparição de Nossa Senhora, na Cova da Iría, a que eles se referenciaram como "... uma senhora mais branca que o Sol".

Lucia via, ouvia e falava com a aparição, Jacinta via e ouvia e Francisco somente via. As aparições continuaram a acontecer sempre no dia 13 de cada mês. Os três tiveram suas vidas modificadas pelas aparições.




Francisco e Jacinta adoeceram  quase ao mesmo tempo em 1919. Francisco logo faleceu e Jacinta  faleceu no ano seguinte. De acordo com eles Nossa Senhora os havia avisado que Francisco e Jacinta logo iriam para o céu e somente Lúcia ficaria com  a missão de divulgar os seus pedidos.




Lucia foi a única que teria de ficar por mais tempo neste mundo, para cumprir a sua missão. A Virgem, na verdade, tinha-a mandado aprender a ler... Sem dúvida, só depois das Aparições ela começou a ir à escola, onde rapidamente, com seu engenho e memória extraordinárias, aprendeu as primeiras letras. Passadas as Aparições, a situação de Lúcia era, naturalmente, a de uma «vidente», com todos os riscos que isso comporta. Era necessário fazer algo mais com ela. Atender à sua educação e subtraí-la aos perigos que poderia sofrer naquele meio ambiente de «milagreira» e de «maravilhosismo», foi uma das primeiras preocupações do recém nomeado primeiro Bispo de Leiria, após a restauração da Diocese. Na manhã de 17 de Junho de 1921 entrava, como educanda, no Colégio das Irmãs Doroteias, em Vilar, hoje integrado na cidade do Porto.


Depois de cumprir seu noviciado, e passar por algumas ordens, atendendo a seu desejo de reclusão, em 25 de Março de 1948, entra para o Carmelo de Santa Teresa, em Coimbra, para levar uma vida de oração e penitência até à morte, ocorrida em 13 de Fevereiro de 2005.
 (Texto retirado da introdução do Livro - "Memórias de Irmã Lucia")

Repercussões:



Inicialmente os três tinham combinado logo após a primeira aparição de Nossa Senhora de não contarem nada a ninguém. Entretanto, Jacinta logo no primeiro dia , não se conteve e contou a sua mãe. O sentimento nas duas famílias era de incredulidade e aborrecimento com a movimentação de pessoas no local e da possibilidade de as crianças estarem inventando uma história premeditada.


Conta Irmã Lucia: "Entretanto, a notícia do acontecimento tinha-se espalhado. Minha mãe começava a afligir-se e queria, a todo o custo, que eu me desdissesse. Um dia, antes que saísse com o rebanho, quis obrigar-me a confessar que tinha mentido."  Entretanto, os três apesar de serem inquiridos por várias vezes pela família, padres, administradores e terem sidos até presos por um pequeno período, tinham em mente que se desdizerem era praticar a mentira e consequentemente pecarem e que não era isso que Nossa Senhora queria deles. Mantiveram-se firmes e fiéis às suas percepções.




a) As aparições de Nossa Senhora


A 13 de Maio de 1917, três crianças apascentavam um pequeno rebanho na Cova da Iria, freguesia de Fátima, concelho de Vila Nova de Ourém, hoje diocese de Leiria-Fátima. Chamavam-se Lúcia de Jesus, de 10 anos, e Francisco e Jacinta Marto, seus primos, de 9 e 7 anos. 


Por volta do meio dia, depois de rezarem o terço, como habitualmente faziam, entretinham-se a construir uma pequena casa de pedras soltas, no local onde hoje se encontra a Basílica. De repente, viram uma luz brilhante; julgando ser um relâmpago, decidiram ir-se embora, mas, logo abaixo, outro clarão iluminou o espaço, e viram em cima de uma pequena azinheira (onde agora se encontra a Capelinha das Aparições), uma "Senhora mais brilhante que o sol", de cujas mãos pendia um terço branco. 


A Senhora disse aos três pastorinhos que era necessário rezar muito e convidou-os a voltarem à Cova da Iria durante mais cinco meses consecutivos, no dia 13 e àquela hora. As crianças assim fizeram, e nos dias 13 de Junho, Julho, Setembro e Outubro, a Senhora voltou a aparecer-lhes e a falar-lhes, na Cova da Iria. A 19 de Agosto, a aparição deu-se no sítio dos Valinhos, a uns 500 metros do lugar de Aljustrel, porque, no dia 13, as crianças tinham sido levadas pelo Administrador do Concelho, para Vila Nova de Ourém. 

O Milagre do Sol


Na última aparição, a 13 de Outubro, estando presentes cerca de 70.000 pessoas, a Senhora disse-lhes que era a "Senhora do Rosário" e que fizessem ali uma capela em Sua honra. Depois da aparição, todos os presentes observaram o milagre prometido às três crianças em Julho e Setembro: o sol, assemelhando-se a um disco de prata, podia fitar-se sem dificuldade e girava sobre si mesmo como uma roda de fogo, parecendo precipitar-se 

na terra.












3.  Aparições do anjo


A Irmã Lucia revelou em 1937, quando escreveu as memórias dos fatos, que durante o ano de 1916,  um Anjo já tinha aparecido aos três videntes por três vezes, duas na Loca do Cabeço e outra junto ao poço do quintal da casa de Lúcia, convidando-os à oração e penitência.




1ª Aparição do Anjo



Em plena de Primavera de 1916, irmã Lucia relata: "andava eu com os meus primos  Francisco e Jacinta a cuidar do rebanho e subimos a encosta em procura dum abrigo a que chamávamos "Loca do Cabeço". Depois de aí merendar e rezar, alguns momentos havia que jogávamos e eis que um vento sacode as árvores e faz-nos levantar a vista para ver o que se passava, pois o dia estava sereno. Então começamos a ver, a alguma distância, sobre as árvores que se estendiam em direção  ao nascente, uma luz mais branca que a neve, com a forma dum jovem, transparente, mais brilhante que um cristal atravessado pelos raios do Sol. À medida que se aproximava, íamos-lhe distinguindo as feições. Estávamos surpreendidos e meios absortos. Não dizíamos palavra. Ao chegar junto de nós, disse:



Não temais! Sou o Anjo da Paz. Orai comigo.
- E ajoelhando em terra curvou a cabeça até ao chão, e nos fez repetir três vezes estas palavras:


Meu Deus! Eu creio, adoro, espero e amo-Vos.  

Peço-Vos perdão para os que não crêem, não adoram, não esperam e não Vos amam”. 


- Depois erguendo-se, disse: Orai assim. Os corações de Jesus  e Maria estão atentos
às vossas súplicas. E desapareceu.



2ª Aparição do Anjo - verão de 1916

Assim narra a Irmã Lúcia: "Fomos, pois passar as horas da sesta à sombra das árvores que cercavam o poço já vário vezes mencionado. De repente, vimos o mesmo  Anjo junto de nós que disse:


- “Que fazeis? Orai! Orai muito! Os Corações de Jesus e Maria têm sobre vós desígnios de misericórdia. Oferecei constantemente ao Altíssimo orações e sacrifícios.”
–  Como nos havemos de sacrificar? – perguntei.   
– “De tudo que puderdes, oferecei um sacrifício em ato de reparação pelos pecados com que Ele é ofendido e de súplica pela conversão dos pecadores. Atraí, assim, sobre a vossa Pátria, a paz. Eu sou o Anjo da sua guarda, o Anjo de Portugal. Sobretudo, aceitai e suportai com submissão o sofrimento que o Senhor vos enviar”. E desapareceu. 



3ª Aparição do Anjo



Ocorreu no fim do Verão ou princípio de Outono de 1916, na Loca do Cabeço, no mesmo lugar da primeira aparição, como descreve Lúcia: "Rezamos aí o terço e a oração que na primeira aparição nos tinha ensinado. Estando, pois, aí, apareceu-nos pela terceira vez, trazendo na mão um cálice e sobre ele uma Hóstia, da qual caíam, dentro do cálice, algumas gotas de sangue. Deixando o cálice e a Hóstia suspensos no ar, prostrou-se em terra e repetiu três vezes a oração:

– “Santíssima Trindade, Padre, Filho, Espírito Santo, adoro-Vos profundamente e ofereço-Vos o preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo, presente em todos os sacrários da terra, em reparação dos ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que Ele mesmo é ofendido. E pelos méritos infinitos do Seu Santíssimo Coração e do Coração Imaculado de Maria, peço-Vos a conversão dos pobres pecadores”.

Depois, levantando-se, tomou de novo na mão o cálice e a Hóstia e deu a Hóstia a mim e o que continha o cálice deu-o a beber à Jacinta e ao Francisco, dizendo, ao mesmo tempo:

– “Tomai e bebei o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo horrivelmente ultrajado pelos homens ingratos. Reparai os seus crimes e consolai o vosso Deus”.

De novo prostrou-se em terra e repetiu conosco mais três vezes a mesma oração: – 
Santíssima Trindade… etc. E desapareceu. 





4. - O Santuário de Fátima atualmente 





Mapa do site www.viajenet.com.br


Dedicado às aparições de Nossa Senhora ocorridas no início do século, o santuário de Fátima é composto de várias instalações; A basílica principal, os locais da aparição do anjo e da quarta aparição de Nossa Senhora em Valinhos, capela no local da aparição de Nossa Senhora com o Sol, Auditório João Paulo II, Pátio dos fiéis, ...,.


Basílica de Nossa Senhora do Rosário


Em 13 de Maio de 1928 foi benzida a primeira pedra pelo arcebispo de Évora, D. Manuel da Conceição Santos. A sagração foi a 7 de Outubro de 1953. O título de "Basílica" foi-lhe concedido por Pio XII, no breve "Luce Superna", de Novembro de 1954.

O edifício, que mede 70,5 metros de comprimento e 37 de largura, foi construído totalmente com pedra da região (lugar do Moimento) e os altares são de mármore de Estremoz, de Pero Pinheiro e de Fátima.


                                                                 Basílica 

À entrada da Basílica, por cima da porta principal, encontra-se um mosaico que representa a Santíssima Trindade a coroar Nossa Senhora. Foi executado nas oficinas do Vaticano e ali benzido pelo então Secretário de Estado, Cardeal Eugénio Paccelli, futuro Papa Pio XII, o "Papa de Fátima".

No dia 13 de Maio de 1958, foi inaugurada uma grande estátua do Imaculado Coração de Maria, esculpida pelo Padre Thomas McGlynn, O.P., sob indicação da Irmã Lúcia, e colocada no nicho da fachada da Basílica no dia 13 de Junho de 1959.

Esta imagem, oferta dos católicos americanos, evoca o conteúdo da mensagem referente à devoção ao Imaculado Coração de Maria, a que Nossa Senhora aludiu nas três primeiras aparições da Cova da Iria e nas aparições de Pontevedra: a devoção dos cinco primeiros sábados, a consagração da Rússia e o triunfo do seu Imaculado Coração. 

A estátua do Imaculado Coração de Maria no nicho da torre tem 4,73 metros e pesa 14 toneladas.  (Texto extraído do site; www.fatima.pt)




A capela das aparições

Cova da Íria

No lugar das aparições construiu-se uma capela que foi sendo modificada ao longo dos anos. Lá são rezadas missas constantemente.







Obs: Com esse link temos acesso ao que está acontecendo ao vivo na Capelinha:
http://www.fatima.pt/portal/index.php?id=14924

Mensagens de Fátima





Centro Pastoral Joao Paulo II








        Igreja da Santíssima  Trindade

Esta Basílica, dedicada à Santíssima Trindade, com 8.633 lugares sentados e 40.000 m2, é o quarto maior templo católico do mundo em capacidade e  foi totalmente pago com as doações dos peregrinos. 
A Basílica foi inaugurada em 12 de outubro de 2007 pelo Secretário de Estado do Vaticano, Cardeal Tarcisio Bertone, por ocasião do 90o aniversário das aparições.
 A decoração é inspirada na arte bizantina e ortodoxa. A planta é circular por fora e quadrangular por dentro, existindo 12 portas laterais (uma dedicada a cada um dos Apóstolos) e uma grande porta central, a Porta de Cristo.



5. - Informações Adicionais


O Santuário de Fátima fica a uma distância de 110 Km de Lisboa e 185 Km do Porto. É perfeitamente possível fazer uma visita a Fátima saindo de Lisboa e voltando no mesmo dia. Outra possibilidade é fazer a visita como parte do trajeto entre Lisboa e Porto. 



6. - Transmissão ao Vivo - 



7. - Referências:


- Livro "Memórias da Irmã Lucia" - Disponível para download
- www.santuario-fatima.pt - 
- www.fatima.pt - 
- www.wikipedia.org - Aparições de Fátima
- Notas de Viagem



terça-feira, 5 de maio de 2015

Budapeste - Uma Cidade Imperial

I - Budapeste - A grandeza do Império Húngaro


O que surpreende quem visita Budapeste é a grandiosidade de suas ruas, castelos, prédios públicos, igrejas e monumentos. Retratando um período em que a Hungria se constituiu por si só em um grande reino e logo depois com a Áustria tornou-se a segunda capital do poderoso Império Austro-Húngaro, Budapeste às margens do rio Danúbio é uma cidade surpreendentemente agradável de visitar.



II - O reino da Hungria


(896 dc a 1526) - Tribos Magyares e Reino da Hungria

A região atual da Hungria, habitada inicialmente por grupos celtas, começou a ser ocupada por grupos da tribo Magyar, até então nômades, a partir de 896. Sob a liderança do Príncipe Arpad, as tribos se fixaram na região. A partir de 955, o príncipe Geza, inicia um aproximação com as nações vizinhas, todas praticamente estados cristãos. 

O príncipe Geza adere ao cristianismo e o seu filho Vajk é batizado com o nome de Istvan (Estevão) o qual já foi educado para ser um  monarca Cristão. Estevão casa-se com Gisela, filha mais velha do rei Henrique II da Baviera. 


Estevão passou para a história como um grande homem e estadista. Ele unificou 9 tribos que eram todas rivais e formou então o povo húngaro. No ano  1000, Estevão é coroado rei com uma coroa de ouro presenteada pelo Papa Silvestre II em reconhecimento pelos esforços em defesa da fé cristã e consolida o reinado iniciado por seu pai. 

Estevão fundou muitos mosteiros e construiu igrejas por todo o reino. Caridoso e generoso fundou também hospitais, asilos e creches. Com seu exemplo, Estevão transformou o povo húngaro em um dos mais fervorosos seguidores da Igreja Católica (Ed. Paulinas)



(1526 - 1699) - Divisão entre Império Otomano e Império Austríaco


O império húngaro vivia sendo atacado constantemente em sua fronteira oriental pelo império Otomano sedento pela sua expansão. Em 1526, na batalha de Mohács, os húngaros não resistiram ao ataque realizado pelos otomanos, liderados por Solimão o magnífico, o que decretou o término da independência húngara. Como os turcos se retiraram do local algum tempo após a guerra, os Austríacos da casa dos Habsburgos reivindicaram parte da região. 

A região ficou então dividida entre austríacos e otomanos.






(1699 dc a 1867) - Domínio Austríaco - Casa dos Habsburgos



Em 1699, após anos de guerras e disputas entre os reinos, o Tratado de Karlowitz (entre Otomanos, Áustria, Russia e Veneza) coloca a Hungria integralmente sob o reinado dos Habsburgos.

(1867 a 1918) - Império Austro- Húngaro


A partir do Congresso de Viena de 1815, o império austríaco liderou a política europeia até 1848, defendendo a monarquia absoluta e o Antigo Regime contra o liberalismo e o nacionalismo cada vez mais em voga. Simultaneamente, tentou impedir uma reunificação alemã, impondo a sua vontade à Confederação Germânica através da manipulação política das dinastias locais. Porém, a partir de 1848, a Prússia afastou a Áustria dos destinos alemães, derrotando-a mesmo em Sadowa em 1866. Por outro lado, o império austríaco confrontou-se com rebeliões internas de checos e húngaros.Perante esta situação conturbada, o imperador Francisco José (que reinou de 1848 a 1916), numa perspetiva absolutista, centralizadora e clericalista, assumiu, em 1867, o compromisso austro-húngaro, pelo qual estes dois povos formaram uma monarquia dualista, fundando o império com o mesmo nome. Dois estados iguais, com capitais e sistemas políticos próprios, mas com elementos em comum, como a figura do imperador e os ministérios da Marinha, Finanças, Guerra e Negócios Estrangeiros. Existiam também duas delegações, com alternância da sede de governo entre as duas capitais. A Constituição de 1867 definiu, para além de um poder executivo (o imperador), uma Câmara dos Nobres e outra de Deputados, designados pelas assembleias provinciais (dietas). Também as minorias tinham assembleias próprias. (Fonte Infopedia)

1918 - República da Hungria


Com o fim da primeira guerra mundial o Império Austro Húngaro foi dissolvido e foi então criado separadamente a República da Hungria pelo Tratado de Trianon. Com esse tratado a Hungria perdeu 71% de seu território, 66% de sua população, grande parte das suas reservas de matéria prima e seu único porto marítimo para os países vizinhos.

Após a segunda guerra mundial a Hungria passou a fazer parte do bloco Pacto de Varsóvia sob controle russo. Em 1956 os húngaros tentaram a separação mas foram sufocados pelos soviéticos. Apenas no final da década de 1980 a Hungria conseguiu ser um dos primeiros países a sair do controle soviético e evoluir para  uma democracia pluripartidária.

III - Origens de Budapeste


Impulsionada em 1873 com a unificação das cidades de Buda, Obuda (margem esquerda) e Peste (margem direita) situadas nas margens opostas do Danúbio, e centro principal da nação húngara, Budapeste tem hoje cerca de 1,650 milhões de habitantes.

Segundo o site "www.hungriabonita.com", o nome de Buda e de Peste não tem nenhuma ligação com os significados das palavras para nós na atualidade. Buda vem de uma derivação da palavra "vadá" que significa água e Peste significa forno ardente para fabricação de ladrilhos.

Budapeste tem uma grande variedade de fontes termais como consequência de que sua terra é de origem vulcânica originando um sistema de grutas, lagos subterrãneos e fontes com temperaturas que variam de 40 a 76 graus Celsius. Nas termas a águas tem chegado entre 30 a 40  graus e são largamente utilizadas pela população devido àos seus benefícios no auxílio ao tratamento de reumatismos, melhorias na circulação, ...,.


Margens do Danúbio, Buda e Peste

As antigas áreas de Buda e Obuda se situam na margem esquerda do Danúbio, na região mais montanhosa onde se encontra o Castelo. Hoje em dia é uma zona mais residencial.

A antiga área de Peste, é uma região plana na margem direita do rio e é onde está situado o Parlamento, os grandes edifícios e a zona comercial e de prédios públicos.

O rio Danúbio é o segundo rio mais longo da Europa com cerca de 2.845 Km e certamente o mais importante. O rio passa por diversas capitais da Europa e se constitui em fronteira natural de 10 países. O rio corta Viena, Linz, Bratislava, Budapeste, entre outras.
No verão diversos navios fazem cruzeiros através do Danúbio.





IV - Locais Principais


IV.1 - Igreja de Santo Estevão


A maior igreja de Budapeste, com capacidade para 8.000 pessoas, é a Igreja de Santo Estevão. A Igreja foi construída no século XIV no estilo neoclássico e junto com o parlamento formam os dois edifícios mais altos da capital com 96 m de altura.

A Igreja conserva os restos mortais e a sagrada mão direita de Santo Estevão.

Interior da Igreja de Santo Estevão



            Vista frontal da Basílica                   Altar lateral - pintura St.Estevão            Vitral de Santo André

A foto do vitral de  Santo André é de GUERRAZ François cc@guerraz.net  no Wikipedia.com


IV.2 - Parlamento


Em 1880, sete anos depois da união das cidades de Buda, OBuda e Peste, a Assembleia Nacional publicou o edital para a construção do edifício do Parlamento com a finalidade de servir para as reuniões do colegiado, e que fosse símbolo da soberania da nação. O projeto ganhador foi o de Imre Steindl. A construção teve início em 1885, foi inaugurado em 1896 como parte das comemorações de aniversário de 1000 anos de fundação do país, e finalmente concluído em 1904.






Passeio de Barco Noturno

Um dos passeios mais bonitos de Budapeste é o de barco pelo Danúbio à noite. As imagens do Castelo de Buda,  e do Parlamento iluminados e também refletindo na água são imperdíveis. Quem compra o ticket do Hop-on / Hop off, tem direito a um passeio gratuito. É bom chegar cedo para o passeio pois as filas são imensas e tem um número limitado de vagas.





IV.3 - Thermas de Gellert



Dentre as várias termas existentes em Budapeste, a mais famosa é a de Gellert. O seu edifício é imponente e ele funciona também como hotel. A utilização das piscinas e saunas é aberto a toda população e visitantes mediante o pagamento de uma taxa. è preciso pagar uma taxa de utilização do lugar, para utilização de toalhas e caução para touca de banho se for usar as piscinas. Um dos costumes frequentes dos homens é de jogar xadrez enquanto se banham. Existem piscinas cobertas e abertas que funcionam no verão. 












IV.3 - Igreja de São Matias


Situada na colina e antigamente a Igreja principal de Buda, o prédio de estilo gótico foi construído no século XIII como igreja consagrada a Nossa Santíssima Senhora. A igreja foi destruída em 1241 e foi reerguida entre 1255 e 1269. No século V o rei Mathias construiu uma torre e ampliou a igreja. A fase final da restauração ocorreu entre 1873 e 1896.

O telhado original foi destruído durante um bombardeio dos soviéticos no cerco a cidade de  Buda na II guerra (1944 a 1945). Na reconstrução foi adicionado o belíssimo telhado multicolorido.

A Igreja foi  lugar de importantes coroações como a de Franz Joseph e Elizabeth, a imperatriz Sissi, em 1867, como reis da Hungria, e ainda do último rei Húngaro Karl IV em 1916.








IV.4 - Castelo em Buda



O castelo de Buda é o castelo tradicional dos reis da Hungria. A parte mais antiga do castelo ainda hoje existente é do século XIV e foi construída pelo príncipe Estevão, duque da Eslavônia.

Durante a invasão Otomana, o castelo não foi destruído mas foi saqueado. Todas as estatuas de bronze foram levadas para Constantinopla pelo Sultão Solimão.

O palácio medieval foi destruído durante o grande cerco de 1686 quando Buda foi capturada pelas forças cristãs aliadas. A partir de 1715 o palácio foi sucessivamente reconstruído e melhorado.


IV.5 - Outros Atrativos




Ópera Nacional Húngara

Construída entre 1875 e 1884, a ópera tem um estilo neo-renascentista e é ricamente decorado em seu interior.   

Em frente do edifício estão as estatuas de Ferenc Erkel e Franz Liszt que é o compositorepianista hungaro mais conhecido. Erkel é o compositor do hino nacional húngaro e foi o primeiro diretor musical da Ópera; Ele também foi o fundador da Orquestra Filarmónica de Budapeste.



 Museu Nacional

Fundado em 1802, o museu mais fascinante de Budapesteabriga um elogiado acervo de obras de arte, objetos e fotografias e documentos relacionados com a história do País.










Sinagoga de Budapeste


A sinagoga de Budapeste é uma das maiores do mundo. É a maior e a mais monumental da Europa. Foi construída entre os anos 1854 e 1859 e é capaz de abrigar mais de três mil pessoas. 




Ruas de Budapeste




Café New York

Conhecido como um dos Cafés mais bonitos do mundo, o New York Café de Budapeste faz parte hoje em dia do luxuoso Hotel Boscoli.

O seu teto é decorado com afrescos maravilhosos por Gustav Manheimer e Ferenc Eisenhut e data de meados do século XIX. Lustres venezianos suntuosos produzem uma luz mágica, e trabalhos em estuque dourado cobrem as colunas retorcidas: O efeito é encantador.

V - Referências


- Guia visua Folha de São Paulo
- site www.hungriabonita.com.br
- Wikipedia - História da Hungria, Budapeste.