sábado, 16 de março de 2013

Cidade do Porto, Portugal - Berço da resistência lusitana

I - Origens da cidade do Porto


Avenida dos Aliados com vista da Câmara Municipal ao fundo e a estátua de Dom Pedro IV em primeiro plano

Segunda maior cidade de Portugal, e conhecida como "Cidade Invicta", pelo seu passado de resistência, a cidade do Porto tem um importante papel na história do País. Estima-se que cerca de 1.000 anos a.c. mercadores fenícios tenha chegado á foz do Douro em  busca de negócios. Daí pra frente a cidade originou-se de aglomerações de grupos recoletores e caçadores dispersos pela orla marítima. O crescente domínio da agricultura  e do pastoreio acelerou o processo de aglomeração dos grupos. No período romano foram fundadas duas cidades "Portus" e "Cale", uma em cada lado do rio. A união dos dois nomes indicando a região entre os rios Minho e Douro, deu origem ao reino de Portugal. 

Após os romanos terem construído um forte e terem feito  rotas comerciais pelo rio Douro, a cidade do Porto desenvolveu-se rapidamente com o comércio. No século XI, expulsou os mouros e foi um ponto de fornecimento de provisões para os cruzados que se dirigiam à Terra Santa. No período dos descobrimentos a cidade foi beneficiado com o comércio de especiarias. Posteriormente, o comércio de vinhos com a inglaterra substituiu os negócios de especiarias. 





Em 1820 iniciou-se no Porto a Revolução Liberal que teve grandes consequências para a História de Portugal e do Brasil. Nela se exigia a confecção de uma constituição liberal com garantias para a população, a exigência do retorno da corte portuguesa do Brasil para Portugal, e a exclusividade do comércio com o Brasil. 

Em 1834 a cidade foi a base da resistência das forças ligadas a Dom Pedro IV contra seu irmão Dom Miguel na luta pelo poder entre constitucionalistas (Dom Pedro IV) e absolutistas (Dom Miguel). Após uma heroica resistência, os constitucionalistas conseguiram furar o bloqueio e conquistar Lisboa, e como consequência saíram vitoriosos da luta.
             côrtes portuguesas 

Hoje a cidade tornou-se um importante polo industrial, mas o seu centro histórico e a região beira-rio conservam um casario clássico que foi decretado patrimônio da humanidade pela Unesco. 

II - Localização Geográfica


A nascente do rio Douro se localiza na Espanha na província de Sória, nos picos da serra de Urbião a cerca de 2.080 m de altitude. O rio Douro tem 927 km de extensão e atravessa toda a região norte de Portugal. O rio percorre 112 km de fronteira Portugal e Espanha e 213 km em território português.   O Douro é uma importante fonte de riqueza para a região. Em suas margens no "alto douro" se localiza importante região vinícola de Portugal, onde também se produzem os vinhos do Porto. As cidades do Porto e de Vila Nova de Gaia se localizam em margens opostas da foz do rio Douro. 

                  Região de vinícolas no Rio Douro - Fotolia- Henner Danke

III - Principais eventos da cidade do Porto


 027 ac. Durante o governo do Imperador Augusto a peninsula ibérica é dividida em três partes. A provincia central ao sul do rio Douro é chamada de Lusitânia
 200 d.c.   O Cristianismo se estabelece na peninsula
 711 dc - Grande exercito mulçumano conquista a peninsula ibérica
 868 dc Vimara Peres toma o Porto dos mouros
1179 dc O papa reconhece portugal como reino
1387 dc O rei D. João I casa-se, em cerimonia no Porto,  com a princesa inglesa D. Filipa de Lencastre.
Nasce na cidade o infante Dom Henrique, O navegador.
1415 dc A população do Porto oferece aos expedicionários que partem para a conquista de Celta toda a carne disponível, ficando apenas com as tripas para a alimentação. Com  elas foi confeccionado um prato saboroso que hoje é menu obrigatório em qualquer restaurante  "Tripas à moda do Porto".
1809  A cidade sofre com a invasão dos franceses. Em 28 de março de 1809 um grande número de pessoas em fuga e acossadas pelos gauleses se afogam no rio Douro devido à ruína da ponte.
1820 A cidade sedia a Revolução Liberal que exige o retorno da Corte do Brasil para Portugal, e, a promulgação de uma nova constituição mais liberal.
1832 a 1834 O Porto resiste ao cerco das tropas Miguelistas. Durante o cerco as tropas liberais de Dom Pedro IV (Dom Pedro I do Brasil), de cerca de 8000 soldados, resistiram a quase 80.000 sitiantes. Foi por causa dessa resistência heróica que a rainha D.Maria II atribuiu o nome de "Cidade Invicta". 


Figura Histórica - Dom Pedro IV



Após a morte de Dom João VI em Portugal em 1826, a infanta Isabel Maria assumiu de imediato a regência e Dom Pedro I foi reconhecido legítimo herdeiro como Dom Pedro IV, rei de Portugal. Como a constituição do Brasil não permitia que ele assumisse os dois tronos, Dom Pedro IV logo outorgou uma carta constitucional a Portugal, abdicou em prol de sua filha Maria da Glória, e acertou o casamento dela com seu irmão Dom Miguel com o compromisso deste de obedecer a constituição outorgada.

Como Dom Miguel passou a governar como rei absoluto a partir de 1828, Dom Pedro também desgastado politicamente no Brasil, optou por abdicar do trono do Brasil retornando a Europa em 1831 para lutar pela reconquista do reino de Portugal. A luta durou de 1832 a 1834 tendo a cidade do Porto como sede das forças constitucionalistas de Dom Pedro. 

Dom Pedro terminou a guerra acometido de uma tuberculose e morreu logo a seguir em setembro de 1834. 

Dom Pedro é muito amado em Portugal e em especial na cidade do Porto. Ele foi enterrado inicialmente em Lisboa e seu coração foi doado à cidade do Porto por testamento, sendo acomodado na Igreja da Lapa. Os restos mortais de Dom Pedro (exceto seu coração) foram transladados em 1972 para o Museu do Ipiranga em São Paulo onde se encontra.


IV - O Centro Histórico


     Centro Comercial



Andando a pé pela cidade é possível visitar a torre dos clérigos, a universidade, a igreja do carmo, a avenida dos aliados, a estação de trens e a catedral. O centro histórico é considerado patrimônio da Humanidade pela Unesco.




Igreja do Carmo  (foto ao lado)

Um exemplo típico da arquitetura barroca portuguesa, a igreja do Carmos foi construída entre 1750 e 1768, por José Figueiredo Seixas. A parte mais bonita é o painel da azulejos externos que cobre totalmente uma de suas paredes. Desenhado para representar a fundação da Ordem a sua autoria é de Silvestro Silvestri.  




Universidade do Porto





Fundada em 1911, a Universidade do Porto é considerada a melhor universidade do país e está sempre em primeiro ou segundo lugar em tamanho. Ela consta atualmente com cerca de 30.000 alunos, 1920 docentes e 1624 funcionários.


Os cursos de Engenharia Eletrotécnica, Engenharia Civil, Direito, Farmácia, Agricultura, Ciencias do Mar e da Terra são os mais tradicionais.







    Torre dos Clérigos


Cartão postal da cidade, a torre dos clérigos foi construída entre 1754 e 1763, tendo 75 m de altura. Ela possui seis andares, os quais se tem acesso por uma escada de 254 degraus. O conjunto inclue uma igreja do mesmo nome anexa à torre.


Edifício na Av. dos Aliados



Diversos estabelecimentos bancários e comerciais estão instalados na avenida dos aliados conservando a bela arquitetura da época.




     Livraria do Lello

Conhecida internacionalmente a livraria do Lello é considerada uma das mais bonitas do mundo, sendo sua arquitetura interior em estilo néo-gótico.




A Catedral da Sé


A catedral do Porto situa-se na parte alta da cidade e teve sua construção iniciada no século XII seguindo o estilo românico. O seu exterior sofreu modificações nas épocas barroca e gótica. No seu interior destacam-se a sacristia, o claustro e o altar de prata do Santíssimo Sacramento.


Estação Ferroviária

A estação de São Bento, situa-se na Praça de Almeida Garret, e tem o seu átrio revestido com cerca de vinte mil azulejos retratando um pouco da história do país e também do sistema de transportes.



V - A zona ribeirinha


Margem esquerda - Vila Nova de Gaia
Margem direita - Cidade do Porto

Pontes

Ponte D.Maria Pia - construída em 1887
Ponte D.Luís I - construída em 1886

Os Barcos Rabelo


O barco rabelo é uma embarcação portuguesa, típica do Rio Douro, que tradicionalmente transportava os barris de vinho do Porto do Alto Douro até Vila Nova de Gaia, onde era armazenado para envelhecimento, engarrafamento e comercialização.




A sua construção utiliza técnicas nórdicas, mediterrâneas e orientais e  tradicionalmente mede entre 19 e 23 metros. O barco era tripulado por 6 ou 7 homens e utilizava um remo longo na popa para dar a sua direção. Eles deixaram de ser utilizados em 1961.

VI - Importância Comercial da Área Portuária - Palácio da Bolsa



Palácio da bolsa - salão árabe - foto wikimedia
O Palácio da Bolsa é sede e propriedade da Associação Comercial do Porto, fundada em 1834 e refletindo a prosperidade e ilustração da comunidade de negócios local. Com uma imponente fachada o Palácio da Bolsa é um dos locais mais atrativos da cidade. O salão árabe e o pátio das nações são exemplos belíssimos de uma época áurea de prosperidade.

VII - A culinária do Porto

Sanduíche "A Francesinha"







Modo de preparo:      .
Fazer um sanduiche com os ingredientes, da seguinte forma: no prato coloca-se uma fatia de pao de forma, por cima 1 fatia de queijo+ 1 de presunto+o bife frito/grelhado+ 1 salsicha cortada ao meio na vertical+ 1 fatia de queijo e por último 1 fatia de pao de forma. Cobrir com 4 fatias de queijo, pondo cada fatia na lateral do sanduíche, cobrindo todo ele.

Preparação do molho: Dissolver bem a  maizena com o leite juntar os  ingredientes restantes e com a varinha mágica triturar, levar ao lume até ferver e engrossar um pouco mexendo para não pegar


Colocar no centro de um prato e regar com o molho, e levar ao forno a gratinar.  Servir com batatas fritas 

ao redor do prato.

Bacalhau à Moda do Porto
Ingredientes:
1kg de bacalhau dessalgado em postas
500g de batatas cortadas em pedaços grandes
2 cebolas cortadas em cubos
500ml de azeite de oliva
azeitonas pretas
Modo de Preparo
Numa assadeira, disponha as postas de bacalhau e as batatas(procure colocar as batatas entre as postas paegar o sabor do peixe. Em seguida, distribua as cebolas e regue com azeite de oliva. Leve ao forno preaquecido por cerca de 40 minutos. Retire do forno, adicione as azeitonas e sirva.


    fonte: www.receitaspreferidasdamamae.com


Tripas à Moda do Porto

Ingredientes: 
-1,5 kg de tripas, folhos e favos (dobrada) 
-1 chouriço -200 gr de presunto
-1 orelha de porco -1 mão de vitela 
- meio frango / 2 cebolas
-1 kg de feijão-branco
-1 tira de entremeada
-3 cenouras / -1 folha de louro
-100 gr de banha (usei azeite)
-1 ramo de salsa /sal, pimenta e cominhos




Modo de preparo


Preparam-se as tripas (dobrada) muito bem e esfregando-as muito bem com sal e sumo de limão.  Põem-se num alguidar com água e rodelas de limão, até ficarem brancas. Cozem-se todas as carnes separadamente e o feijão como habitualmente. Num tacho, leva-se a alourar na banha, a cebola e a folha de louro. Juntam-se as tripas (dobrada) e o resto das carnes cortadas aos bocados, o feijão, as cenouras cozidas e um pouco de caldo de carne; (o caldo foi onde foi cozidas as ditas carnes) tempera-se com sal, pimenta e cominhos. Ferve durante 25 minutos.  Serve-se polvilhada com salsa picada...Notas: ter em atenção ao sal, porque vai utilizar o caldo da cozedura das carnes e nesse caldo foi cozido o presunto,chouriço e no meu caso a entremeada e orelha previamente salgadas. 
Read more at http://pt.petitchef.com/receitas/tripas-a-moda-do-porto-fid-424316#ltStw2kUj5bd8XH4.99 






VIII - Os Vinhos do Porto


Os vinhos do Porto são produzidos a partir de uva da região do Douro, situada a cerca de 100 km  do Porto e armazenadas nas caves de Vila Nova de Gaia. Eles ficaram conhecidos como vinhos do Porto por serem exportados dessa cidade para o resto do mundo.

Uma das características do vinho do porto é o fato de sua fermentação não ser finalizada devido à adição de uma aguardente vínica neutra. O Vinho do Porto é mais doce e mais forte que os vinhos tradicionais.






Uvas utlizadas no Vinho do Porto e seu processo de fabricação:

O vinho do Porto é feito a partir de uma ampla variedade de castas tradicionais, a maioria delas nativas da região do Douro. Raramente encontradas noutros lugares, estas castas são perfeitamente adaptadas às condições quentes e áridas do Douro, sendo a origem de grande parte do caráter único e distinto do vinho do Porto. As castas tintas mais conhecidas incluem a Touriga Francesa, a Touriga Nacional, a Tinta Roriz, a Tinta Barroca, a Tinta Amarela e a Tinta Cão, mas no total existem cerca de trinta variedades de uva de vinho do Porto. A maioria destas castas produz cachos de bagos relativamente pequenos e de pele grossa, que produzem o denso e concentrado mosto (sumo de uva) necessário para fazer o vinho do Porto.


Pesquisas realizadas pela equipa de enologia da Taylor´s demonstraram que, apesar de dispendiosa e laboriosa, a pisa a pé continua a ser a melhor forma de alcançar uma extração suave mas, ao mesmo tempo, total, produzindo vinhos com estrutura, profundidade de sabor e equilíbrio. 



O vinho do Porto, por ser fortificado e ter notável potencial de envelhecimento e longevidade, pode permanecer em madeira por muito mais tempo do que a maioria dos outros vinhos.



Existem três tipos de vinho do porto: Branco, Rubi e Tawny. Os vinhos do Porto Rubi e Tawni são vinhos tinto. A diferença é o maior tempo de envelhecimento em barricas do vinho Tawny, o que lhe confere um maior sabor de carvalho.



fonte: Adega Taylor (http://taylor.pt/pt/o-que-e-o-vinho-do-porto/como-e-feito-o-vinho-do-porto)



Vinhos do Porto Tradicionais

Os vinhos Taylor, Sandemans, Ferreirinha estão entre os mais conhecidos e de melhor relação custo x benefício. 

IX - Dicas Úteis


a) Como ir


A distância entre Lisboa e Porto é de cerca de 310 km. As melhores maneiras de se viajar de uma para outra são:

a) Alugar um carro e  fazer paradas em Óbidos e no Santuário de Fátima. O tempo em cada uma vai depender da disponibilidade, mas é tranquilo fazer em um dia. 


b) Tomar um trem, que em Portugal é "comboio", da Alfa Pendular. A viagem leva cerca de  2 horas e 40 minutos e custa cerca de 30 euros na 2a classe e 40 euros na primeira. Para mais informações consulte www.cp.pt


b) Onde ficar



Uma boa dica de hospedagem é o Apart Hotel Vitória Village, situado bem no coração da cidade velha.

É um hotel muito charmoso, onde se entra com o carro no pátio do hotel dentro de um elevador. Os quartos são muito amplos e com decoração nova.




c) O que fazer


- Visitar o centro antigo começado pela Torre dos Clérigos, Universidade, Livraria do Lello, Convento do Carmo e Avenida dos Aliados. 

- No segundo período visitar a estação central, Catedral do Porto e adjacências



- Visitar a zona ribeirinha, fazer Um passeio de barco pelo rio Douro e terminar com visita e degustação em uma adega das vinícolas na margem de Vila Nova de Gaia.





d) O que e onde comer


Uma boa opção para quem está no centro é o restaurante "A tasquinha". Comida saborosa, preços em conta e frequentada pelas pessoas locais. 





e) Quando ir


No verão em julho, apesar de em Lisboa ser muito quente, a temperatura no Porto é extremamente agradável.

X - Referências


- Porto e Norte de Portugal - Viagens e Histórias - Editora Objeto Anônimo

- Guia Visual da Folha

- Wikipedia - Cidade do Porto

- Adega Taylor



2 comentários:

  1. O trem partindo de Lisboa é rápido, confrtável e dispõe de diversos horários....recomendo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão Luciana. O trem é uma ótima opção para ir direto de Lisboa a cidade do Porto, vou ajustar.

      Excluir