domingo, 25 de novembro de 2012

Vinícolas de Mendoza

I - Mendoza, à beira dos Andes

Vinícola Catena - Mendoza

A cidade de Mendoza, situada na borda dos Andes, tem uma combinação ímpar das condições climáticas, terreno, e água para irrigação. Essa combinação que os franceses chamam de `terroir´ aliadas a uma imigração de familias relacionadas com a viticultura fez com que em Mendoza haja hoje mais de 50 vinícolas de qualidade, tornando-se assim a capital do vinho da América do Sul. Mendoza é responsável por quase 80 % da produção de vinho da Argentina.

O solo de Mendoza é de característica desértica, o fluxo de chuvas é muito pequeno, chegando a incríveis 30 mm ao ano.  Com uma exposição diária grande ao Sol e com a disponibilidade de água advinda da liquefação da neve, Mendoza tem todas as características necessárias a produção de vinhos de alta potencia.




A cidade de Mendoza tem cerca de 115.000 habitantes (2010) e além da viticultura e turismo oferece também alternativas de esporte de aventura aos seus visitantes. 

II - Vinícolas


Mendoza possue várias regiões vinícolas, sendo as principais:

a) Mendoza, Maipú, Villa Nueva, Lujan de Cuyo, e Agrelo
b) Tupungato, Tunuyan, Rivadavia, Junin
C) San Rafael



"Os solos de Mendoza são tipicamente bem drenados e não muito férteis. Isso em combinação com chuvas leves, faz o intenso caráter de fruta nos vinhos" (Robert Pepi, Bianchi)



"O gradiente de temperatura elevado entre dia e noite, e a  excelente exposição ao Sol dos  vinhedos, são elementos essenciais para a qualidade do vinho em Mendoza" (José Zuccardi, La Agricola)


A irrigação: 

Toda água de Mendoza se origina da liquefação da neve armazenada na Cordilheira dos Andes e que vai fluindo constantemente em direção ao vale.

Um sistema de canais existe desde a época pré colombiana, quando os incas habitavam a região.

Esse sistema de canais depois é organizado em sistemas de irrigação controlada, onde a quantidade certa de água é colocada em cada parreira.

"O clima desértico de Mendoza, faz da irrigação uma ferramenta de viticultura primordial." (Alejandro Sejanovich - Luca e Tikal)

Os locais de produção e Armazenamento


Vinícola Catena Zapata
Vinícola Catena Zapata


As principais bodegas


Escorihuela Gascon - Godoy cruzLuigi Bosca - Lujan de Cuyo
Familia Zuccardi - MaipúNorton - Luján de Cuyo
Trapiche - MaipúTerrazas - Lujan de Cuyo
Nieto y Senetiner - Lujan de CuyoCatena Zapata - Agrelo, Lujan de Cuyo


Bodegas para Almoçar

Almoço com Churrasco - Familia Zuccardi



Fotos de Familia Zuccardi, Maipu
Familia Zuccardi - cortesia TripAdvisor



A família Zuccardi localizada em Maipú tem um excelente restaurante com capacidade para 80 pessoas, onde servem o churrasco típico da região com três tipos de carne e três tipos de vinho de sua marca. O ambiente é acolhedor e vale a pena o passeio. Tem que reservar com antecedência pois a procura é grande.

Outras opções de bodegas para almoço são Norton, Ruca Malén.


III - As uvas e os vinhos

A uva madura contém um alto teor de açúcar que pode fermentar produzindo álcool. Ela também possui ácidos essenciais que ajudam a balancear a doçura dando ao vinho um sabor refrescante e equilibrado.

III. 1 - O coração da Uva:

A pele é a fonte dos agentes corantes, os taninos, e dos componentes de sabor que dão caráter ao vinho.

A polpa constitui a maior parte da uva e contém água, açúcar e ácidos.

O engaço  contém taninos amargos e raramente é utilizado na vinicultura.  

A pruína, camada cerosa no exterior da pele, contém leveduras naturais.

As sementes contém taninos amargos e são geralmente removidas durante a produção do vinho.

vinhedo em Mendoza

Fonte: Guia Ilustrado Zahar - Vinhos do Mundo Todo


III.2 - As uvas da Região


As uvas mais adaptadas a região de Mendoza são:

a) Malbec: Essa cepa tinta, repleta de sabores condimentadas e de frutas silvestres, é encontrada na França e largamente cultivado na Argentina, principlamente nessa região de Mendoza,onde produz vinhos de cor profunda e taninos potentes.

b) Cabernet  Sauvignon:  Original da margem esquerda de Bordeaux, ali alcança sua expressão máxima. Foi bem sucedida também no Vale do Napa, Califórnia,  no Chile, Maipo, e mais recentemente na Argentina, em Mendoza iniciou-se a produção de vinhos de alta qualidade. 

c) Chardonay: È a cepa branca mais popular do mundo e considerada a melhor em termos de qualidade do vinho produzido. Ela tende a produzir um vinho branco bem encorpado e seco. As de sabor mais intenso vem da California, Chile e Austrália. 

Fonte: Guia Ilustrado Zahar - Vinhos do Mundo Todo

III.3 - Alguns Vinhos Recomendados


Catena Zapata:
Angélica Zapata - Cabernet Sauvignon
Catena Alta - Malbec

Terrazas;
Terrazas Reserva - Cabernet Sauvignon
Terrazas Reserva - Malbec
Afincado - Malbec
Cheval des Andes - mistura bordalesa

Achaval Ferrer
Mendoza Malbec

O. Fournier:
Alfa Crux
Beta Crux

Luigi Bosca:
Cabernet Sauvignon - reserva


IV - A cidade  



Mendoza, propriamente não é uma cidade bonita. Os seus arredores cercados de terreno árido e pedregoso parece decepcionante à primeira vista. O charme de Mendoza reside nas visitas às vinicolas com degustação, e passeios perto da cordilheira. Se você for apreciador de vinhos, não vai se decepcionar. 



Mendoza vista do alto
fonte em Mendoza

zoológico de Mendoza


V - Informações relevantes


a) Como chegar:


  Aéreo - Existem voos diretos para Mendoza a partir do Brasil. Entretanto o mais comum são os voos partindo de Buenos Aires. Pela Aerolineas Argentina temos oito voos diários, com a duração de 01 hora e 50 min, e custa aproximadamente 600 dólares, ida e volta. Pela Edreams é possivel encontrar voos pela LAN a 350 euros. 



Terrestre - Existe uma estrada que liga Santiago a Mendoza cruzando a cordilheira. A estrada é muito sinuosa e no inverno aconselha-se que somente motoristas habituados a transitar nela tomem a iniciativa de dirigir. A estrada tem cerca de 350 Km e de ônibus leva cerca de 06 horas e meia, incluindo 45 min no posto de imigração.



b) Quando ir:

Como Mendoza não é muito quente, nem muito frio, qualquer época é boa para se visitar. No inicio do ano é possível ver e/ou participar da colheita. 

Fiesta Nacional de la Vendimia: A festa da colheita da uva é um evento exclusivo de mendoza e atrai cerca de 50 mil turistas. Ela acontece no primeiro fim de semana de março.


c) O que fazer:


Visitas às Vinícolas:  Como é a atração principal da região recomendamos a visita a cinco vinícolas. Se não for apreciador de vinhos pelo menos três. 

Obs: Todas as vinícolas requerem uma reserva feita com antecedência. Sem a reserva,  corre-se o risco, de ao chegar em uma vinícola não haver mais disponibilidade de participar das visitas em grupo. 


Zoológico: Mendoza tem um  zoológico muito bom. Se tiver filhos pequenos é uma excelente opçaõ.



Parque do Aconcágua: O passeio de Alta Montanha dura todo o dia e pode fazer-se em qualquer época do ano. A sensação é única: no início, vê-se uma paisagem semi desértica e depois surgem as primeiras formações rochosas com vista de neve no topo das montanhas. Visita-se Potrerillos, e Uspallata, cidade militar a 1751 m de altitude. Depois visita-se o parque do Aconcágua que tem a montanha mais alta das Américas com 6.962m. 

Para detalhes visite: http://www.mendozaholidays.com/special-tours/Alta-Montanha-e-Vinhos_po.asp




Trekking ou Rafting: Durante o percurso do passeio de Alta Montanha visita-se a localidade de Potrerillos com o dique que embalsa as águas do Rio Mendoza, no qual se podem praticar rafting, kayak e windsurf. 



d) Onde ficar

Mendoza tem uma variedade de hotéis grande. O visitante pode escolher entre  ficar hospedado em uma vinícola ou no próprio centro da cidade. 

Opções de acordo com o tripadvisor: Consulte http://www.tripadvisor.com.br/Hotels-g312781-Mendoza_Province_of_Mendoza_Cuyo-Hotels.html#ACCOM_OVERVIEW

Alguns Hotéis entre R$ 170,00 e R$ 250,00 a diária casal 

-Bohemia Hotel Boutique
-Modigliani art and Design Suites Mendoza 
-Esplendor mendoza
-Executive Hotel Park Suites
-NH Cordillera


e) O que comer

As carnes são a pedida obrigatória em qualquer lugar da Argentina.


quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Istambul / Turquia - História de uma Cidade Mágica.

I - A Magia de Istambul


Istambul Turquia - Estreito do Bósforo
Estreito do Bósforo - Istambul


A magia de Istambul começa com a sua localização. Situada em dois continentes, no encontro da Ásia com a Europa, separada por três mares, e com uma história de múltiplas civilizações, Istambul conserva até hoje esse espírito de caldeirão étnico que foi a sua marca ao longo dos anos.





Exibir mapa ampliado


1. -A fundação da Cidade


Fundada em 350 pelo imperador Constantino,  onde existia a cidade grega de Bizâncio, para ser a nova capital do Império Romano, a cidade de Constantinopla nasceu grande. Em uma localização privilegiada onde o mar já tornava as invasões mais difíceis e com colinas e morros que facilitavam a sua defesa, a cidade era um ponto estratégico de ligação entre a ásia e a europa. Constantino, queria criar a "nova Roma" e portanto não poupou esforços para torná-la grande. 



1.2 - As várias fases da cidade



Podemos então delimitar as fases principais da cidade dos seguintes modos:

a) Cidade Grega de Bizâncio  (600 ac a 165 dc)


Iniciada a sua habitação pelos gregos e partir do reinado de Bizas, em 600 ac, e por isso chamada de Bizancio, essa colonia já tinha uma  importancia comercial devido a sua localização. Foi destruida pelos romanos em 165 dc.


b) Fundação de Constantinopla - capital do Império Romano (330 a 395)


 O império romano desde o governo de Diocleciano, vinha sendo governado por uma tetrarquia de dois Augustos e dois Césares. O pai de Constantino foi nomeado um dos Césares, por Diocleciano em 293, com controle sobre a Gália, Britânia, Germânia e Hispânia. Constantino sucedeu o seu pai em 306 e partir de então começou a suas batalhas e manobras políticas  para a unificação do império em uma única dinastia. 


Em 312, Constantino derrotou Magêncio, o outro imperador de Roma Ocidental. Segundo a tradição, na noite anterior à batalha, Constantino sonhou com uma cruz onde estava escrito em latim "in hoc signo vincis" que significa: "Sob este símbolo vencerás". A partir dessa data Constantino passou a professar o cristianismo e liberou em seguida a prática da religião no império.

No ano de 324, Constantino derrotou o seu cunhado Licínio, imperador romano do oriente e unificou o império romano em uma única dinastia.



Para resolver o problema de logística entre a sede do império e as frentes de batalhas e também para ter uma cidade onde reinasse absoluto, Constantino decide reconstruir a cidade de Bizâncio tornando-a a capital do império romano em 330. Constantino chamou-a de "Nova Roma", mas na prática todos a chamavam de Constantinopla, o que acabou tornando-se o seu nome definitivo. 


Após a morte de Constantino,  em 337, o império romano passou por um processo de divisão,  unificação e divisão novamente. Com  Justiniano o Império chegou a ser re-unificado e posteriormente se separou defintivamente.

c) Constantinopla - Capital do Império Romano do Oriente (395 a 1450)

Após a separação dos impérios, Constantinopla passou a ser conhecida como capital do império romano do oriente, chamado então de Império Bizantino, devido às origens de sua capital. O império Bizantino foi bastante duradouro e sua influencia se deu por mais de  1.000 anos, desde 350 a 1450, quando foi então dominado pelos turcos. 


O apogeu do Império Bizantino ocorre no governo de Justiniano (483-565) que, a partir de 527, estabelece a paz com os persas e concentra suas forças na reconquista dos territórios dos bárbaros no Ocidente. Justiniano constrói fortalezas e castelos para firmar as fronteiras e também obras monumentais, como a Catedral de Santa Sofia. Ocupa o norte da África, derrota os vândalos e toma posse da Itália. No sul da Espanha submete os lombardos e os visigodos. Estimula a arte bizantina na produção de mosaicos e o desenvolvimento da arquitetura de igrejas, que combina elementos orientais e romanos.

c.1) A quarta cruzada e o Império Latino do Oriente  (1203 a 1261)


Partindo de Veneza, com o propósito declarado de reconquista de Jerusalém,  cerca de 10 mil cruzados cristãos, após já terem conquistado a cidade de Zara, também cristã, aportaram pela primeira vez, em final de junho de 1203, à vista da capital bizantina. Com  o império passando por várias divisões internas sobre o controle do poder, os venezianos, negociaram a conquista da cidade para colocar no trono Aleixo IV, um soberano fantoche, filho de um ex-imperador destronado antes. Aleixo IV foi logo deposto e um outro soberano foi coroado com Aleixo V. Como os novos soberanos não satisfizeram as exigências dos cruzados, uma rebelião surgiu em 1204 com os cruzados tomando a cidade para si e a saqueando. A devastação produzida na cidade pelos cruzados foi enorme.  O saque durou três dias e três noites. Ao final os cruzados fundaram o Império Latino do Oriente. 

Liderados pelo imperador Miguel VIII Paleólogo, os bizantinos se organizaram e retomaram Constantinopla em 1261.

d) Istambul dos Turcos Otomanos (1450 a 1922)



O povo turco descende das tribos nômades da Ásia Central  e eram conhecidos  como turcomanos. A partir do século X algumas dessas tribos começaram a invadir a Anatólia, governada então pelos Bizantinos. 

A partir de 1131 um grupo dos turcos chamados de Seljúcidas fundam o sultanato de Rum com capital em Konia. 

Em 1223 os mongóis invadiram a região da Anatólia e a governaram até 1335 fazendo dos seljúcidas meros vassalos. 

Os turcomanos rebeldes liderados pelo pequeno emirado de Ertugrul foi que conseguiu por fim expulsar os mongóis. Osman, filho de Ertugrul fundou a dinastia Otomana e criou um dos maiores impérios do mundo. O Império Otomano se consolidou com a tomada de Constantinopla por Mehmet II em 1453.




e) Istambul - capital cultural da república Turca  (1924 a ...)     


Em 1922, após os defechos da I guerra mundial, foi proclamada a república turca sob o comando do general Ataturk, conhecido como o pai do povo.



2 - A Arte Bizantina  

  Com a proclamação do cristianismo como religião oficial do império, a arte cristã primitiva que era popular e simples foi substituída na região por uma arte cristã de caráter majestoso, que exprimia o poder e a riqueza do império. 
   Uma das características da arte bizantina era a expressão da autoridade do imperador como o representante de Deus, com poderes temporais e espirituais. Uma das convenções adotadas foi a da representação sempre frontal das figuras para que o observador se sinta protegido pelos representados. A maior parte das expressões de arte no período acontecem na forma dos mosaicos.

mosaicos

 O mosaico consiste na colocação, lado a lado,  de pequenos pedaços de pedras de cores diferentes sobre uma superfície de gesso ou argamassa. Essas pedrinhas coloridas são dispostas de acordo com um desenho previamente definido. A seguir, a superfície recebe uma solução de cal, areia e óleo que preenche os espaços vazios, aderindo melhor os pedacinhos de pedra. Como resultado obtém-se uma obra semelhante à pintura. 

ícones

Historia de Istambul Turquia - Ícone Bizantino
Além de trabalhar nos mosaicos, os artistas bizantinos criaram os ícones, que são quadros que representam figuras sagradas. Em geral, os artistas revestiam a superfície de madeira ou da placa de metal com uma camada dourada, sobre a qual pintavam a imagem. Para fazer as dobras das vestimentas e os bordados, retiravam com um estilete a película de tinta da pintura. Essas áreas, adquiriam então a cor de ouro do fundo.









OBS: textos acima retirados do livro "História da Arte" de Graça Proença.

afrescos

Istambul Turquia - AfrescosOs afrescos são técnicas de pintura mural, executada sobre uma base de gesso ou nata de cal ainda úmida - por isso o nome derivado da expressão italiana fresco - na qual o artista deve aplicar pigmentos puros diluídos somente em água. Dessa forma, as cores penetram no revestimento e, ao secarem, passam a integrar a superfície em que foram aplicadas.
(fonte: Wikipedia - afrescos)



Essa técnica já era conhecida e utilizada pelos gregos e romanos desde o  século V a.c.,. Nós a incluímos na arte bizantina, devido aos maravilhosos afrescos da igreja de São Salvador in Chora (Chora Church).




2.1 - A Catedral de Santa Sofia ("Hagia Sophia")



   A igreja da "Santa Sabedoria" foi concluída e consagrada pelo Imperador Justiniano em  27 de dezembro de 537, e permaneceu como a maior Catedral do mundo por cerca de 1000 anos, até que a Catedral de Sevilla tivesse sido concluída em 1520. Duas igrejas do período bizantino já haviam sido destruídas pelo fogo, nesse mesmo local, antes da construção da atual basílica.


Istambul Turquia - Basilica de Santa Sofia
Basílica de Hagia Sophia



Para a sua construção, o imperador contratou dois homens treinados em Ciências e Matemática, Anthemius de Tralles (matemático e físico)  e Elder Isidore de Miletus (professor de Geometria e Mecânica). Os dois projetaram um domo de 31 metros sobre um espaço quadrado aberto. O domo após concluído trincou e foi destruído no terremoto de 558. Foi então reconstruído com material mais leve eteve sua altura elevada em cerca de 6 metros atingindo a sua altura altual de 55,6 metros.


Basilica Santa Sofia Istambul - Virgem e o Menino
A virgem e o menino - cúpula principal
Istambul Turquia - Virgem, Menino e Imperadores
A virgem e o menino com os Imperadores


As imagens da Virgem com o imperador João II e a imperatiz, a do Cristo pantocrático e o mosaico central da Virgem com o Menino Jesus  no colo, são os melhores exemplos dessa arte.



interior basilica de Santa Sofia - Istambul
Interior da Basílica de Santa Sofia




Projetado para ser um reflexo do céu na terra, o interior de Santa Sofia, devido a sua imensa amplitude, consegue transmitir uma sensação de paz e conforto indescritível. Os destaques artísticos ficam por conta dos diversos mosaicos figurativos, resquícios da arte bizantina do século IX.


No século XV os Otomanos a transformaram em mesquita. Nesse período foram adicionados minaretes, túmulos e fontes, além de grandes painéis redondos com inscrições mulçumanas cobrindo imagens e motivos cristãos.



2.2 - A Igreja de São Salvador in Chora - "Chora Church"


afresco em Chora Church - Istambul
Afresco em Chora Church

Uma das mais belas igrejas do período bizantino, a Igreja de São Salvador in Chora, foi construída originalmente no início do século V e fazia parte de um mosteiro que ficava fora dos muros da cidade. O nome "chora" significa exatamente isso; "no campo", ou seja fora dos muros da cidade. Entretanto, quando no  Teodósio II construiu suas paredes de terra nos anos de 408-409, a igreja  foi incorporada pelas defesas da cidade, mas manteve o nome de "Chora". A maior parte das estruturas da construção atual datam do período enter 1077 e 1081. No início do século XII a igreja foi abalada por um terremoto e embora parcialmente restaurada, somente dois séculos depois (1315-1321), a igreja viria a assumir todas as características da atual construção. Foi Theodore Metochites, homem de grandes posses e posição influente na corte,  que patrocinou a magnífica decoração do interior da igreja.


afresco em Chora Church - Istambul Turquia
afresco em Chora Church
historia de istambul - exterior de Chora Church
Vista externa de Chora Church


O mosteiro Chora tinha também uma biblioteca fabulosa que infelizmente foi danificada e perdeu-se em torno de 1300. 


3. - O período Otomano - Palácios e Mesquitas


3.1 - Palácio Topkapi




O palácio Topkapi foi construído entre 1460 e 1468, pelo Sultão Mehmed II, o conquistador de Constantinopla. O palácio foi depois expandido pelos seus sucessores. O palácio além de servir de residencia dos Sultões Otomanos, ele servia também como centro administrativo e educacional do estado. No início da década de 1850,  quando o palácio já se apresentava pequeno para as cerimônias os sultões se mudaram para o Dolmabahçe Palace construído as margens do Bósforo. Apesar desse movimento, o tesouro real, as relíquias do profeta Maomé, e os arquivos imperiais, continuaram a ser preservados no Topkapi. Em 1924, após o fim do império otomano em 1922, o Topkapi foi convertido em museu, por ordem do então Presidente Mustafa Kemal Ataturk.

O complexo do Palácio Topkapi

Dentro do complexo do palácio estão contidos os três portões principais (Portão Imperial, Portão de Saudações, e o Portão da Felicidade), quatro pátios, o harém, o jardim real (hoje conhecido como jardim rosado), e vários outros jardins.


historia de istambul - palacio topkapi historia de istambul - palacio topkapi

historia de istambul turquia - palacio topkapi historia de istambul turquia - palacio topkapi


3.2 - O Dolmabahce Palace

O palácio Dolmabahce foi construído em 1856 pelo sultão Abdul Mecit. Apesar da opulência, o palácio foi construído quando o império otomano já estava em declínio e suas finanças também não estavam muito bem. Apesar disso, escadaria de cristal Bacarat, banheiros do mais fino alabastro egípcio com torneiras de prata maciça, salão cerimonial para 2.500 pessoas com o lustre mais pesado do mundo, são alguns exemplos das extravagâncias desse palácio.  

Dolmabahce Palace - Istambul
Dolmabahce Palace - Istambul


Dolmabahce Palace - Istambul
Dolmabahce Palace

As visitas ao palácio são guiadas, e não é permitido tirar fotos no seu interior.


3.3 - A Mesquita Azul

A Mesquita Azul foi construida entre 1609 e 1616 pelo Sultão Ahmet I. Ela é a única mesquita de seis minaretes em Istambul. No início, devido a sua suntuosidade ela provocou estranheza pois parecia rivalizar com a arquitetura de Meca. 

mesquita azul - Istambul turquia
Mesquita Azul - Entrada
mesquita azul - Istambul turquia
Mesquita Azul  - Interior


4. - As Belezas Naturais - O Estreito do Bósforo

Um dos passeios imperdíveis em Istambul é um cruzeiro pelo Bósforo. Existem opções de meio dia e dia completo. Nesse passeio é possível apreciar o crescimento da cidade ao longo das águas, com seus palacetes e castelos construído a suas margens. Na frente da torre de gálata, devido ao seu formato, a região do estreito do bósforo é chamado de chifre de ouro.

palácio às margens do bósfor
ilhota no estreito do bósforo






5. - Os Mercados



 5.1 - O Gran Bazar

O Gran Bazar é uma área extremamente tradicional de Istambul, sendo constituído de várias ruas internas cobertas, repleta de lojas que vendem de tudo. Os produtos mais comuns entretanto são tapetes, luminárias, roupas e bolsas populares. 


Gran Bazar

5.2 - O Mercado de Especiarias (Mercado Egipcio)


Mais interessante que o Gran Bazar é o mercado de especiarias. Dedicado para a comercialização de temperos, ervas e doces, o mercado de especiarias é uma experiencia dos sentidos de olfato, visão e paladar. 

Mercado de Especiarias

5.3 Tapetes na Turquia

Não tem como visitar Istambul e não ter vontade de comprar um tapete. As lojas estão por toda a parte e os modelos e os preços são os mais variados. Além disso como todo preço pedido inicialmente é apenas um início de negociação, nunca sabemos se os preços são justos ou não. Sugerimos que pesquisem bem antes que tipo  de tapete desejam, seda ou rustico, qual o tamanho  e tenham uma referencia do preço no Brasil. 





6. - Religião na Turquia


A Turquia  é um estado laico onde os cidadãos teoricamente tem a liberdade de escolha de seu culto religioso. Como hoje em dia cerca de 98 a 99 % dos habitantes são adeptos do islamismo, qualquer outra prática não é vista com bons olhos. Apesar disso, as forças políticas do país são laicas e os costumes de trajes e comportamentos são mais liberais do que em todos os outros estados de maioria islâmica. O uso de  burcas não é pratica comum nas mulheres e em espaços de trabalho as vestimentas são fortemente ocidentalizadas. 



As mesquitas estão presente em toda parte e do alto do minarete o chamado para as orações nos horários determinados se faz ouvir em toda parte de Istambul. Nesses horários a população faz a pausa  para suas orações.



Em 1923, após o fim da primeira guerra, da proclamação da República da Turquia, e de uma série conflitos entre turcos e gregos, foi assinado o Tratado de Laussane, com o reconhecimento internacional da República da Turquia como sucessora do Império Otomano. A partir daí deu-se a troca de população entre os dois países envolvendo cerca de dois milhões de pessoas de acordo com seus costumes religiosos. Cerca de 1,6 milhões de gregos católicos ortodoxos retornaram a Grécia e cerca de 400 mil muçulmanos que habitavam a Grécia foram enviados a Turquia.  


7. - Istambul atual e seus bairros 

Istambul é hoje a quinta maior cidade do mundo com cerca de treze milhões de habitantes na sua área metropolitana. Com um trânsito ligeiramente caótico, assim mesmo oferece  bastante facilidades de locomoção devido ao seu trem de superfície (tram). Locomovendo-se com velocidade baixa, mas constante, através de toda cidade, é um meio de trasnporte eficiente e barato que serve de modelo para todas as cidades grandes.

 Apesar de ter sido por quase mil anos capital do império bizantino, de religião cristã ortodoxa, hoje Istambul tem mais de 90% da população muçulmana, do grupo sunita. Com a proclamação da república, e a subsequente separação/expatriação  da população grega, apenas uma parte muito pequena da população ainda é católica. 

Os bairros mais conhecidos de Istambul são:

Sulthanahmet: Centro histórico onde estão a maioria dos pontos turísticos mais importantes. Lá estão a Igreja de Santa Sofia, o palácio Topkapi, A cisterna, a Mesquita Azul, o gran bazar e o bazar de especiárias entre outros. A maior parte dos hotéis turísticos também fica localizado nessas região. 



Sirkesi


Praticamente colado a Sulthanahmet, fica ao lado do palácio Topkapi e bem perto do porto, onde se pode pegar os barcos / navios para os mais diversos lugares. Tem também uma variedade de restaurantes e hotéis como opção de hospedagem para quem quer visitar Sultanhahmet.





Beyoglu: Bairro onde fica a maior parte das lojas da cidade, região de embaixadas, bares e restaurantes. Nesse bairro fica a Avenida Istiklal ou "Istiklal Caddesi" em turco, a avenida mais movimentada de Istambul que em alguns dias mais movimentados recebe a visita de mais de três milhões de pessoas.





Em uma das extremidades da Istiklal kadesi, encontra-se a praça de Taksim, onde temos uma parada do trem, e onde tem início o grande afluxo de pessoas. Na outra extremidade temos a localização das maiorias das embaixadas bem como de lojas de instrumentos musicais.






Praça Taksim - Aqui começam todos os movimentos populares


8. - A comida


A comida turca é baseada em vegetais como beringela, alface, rúcula, ...,. Na parte de carne eles usam muito o frango e o carneiro, principalmente na forma de espetinhos, chamados de  kebab. Uma forma especial é o doner kebab que é o sanduíche conhecido por nós como o sanduíche grego. 

Mezes: Tradicionalmente as refeições turcas começam com várias entradas ou tira gostos, que são chamada de mezes. Normalmente elas são compostas de legume frios, saladas de tipos variados e pastas de queijo. Elas são saboreadas com o tradicional pão turco.



Variedade de saladas 



beringelas recheadas
kebab de frango
doces turcos: baclava e outros

Baclavas: De tudo que se vê e come em Istambul, nada se compara aos doces, com destaque especial para as baclavas que são feitos de massa folhada com mel e recheio de nozes ou pistache. 

sites com receitas de culinária turca:


9. Lugares adicionais


Além dos lugares já mencionados, outros ponto de interesse são:

9.1 - Cisternas



9.2 - Torre de Gálata


A torre de Gálata tem 60 m de altura e foi construída no século VI para orientar a navegação no "chifre de ouro". Quando os otomanos conquistaram a cidade em 1453, transformaram a torre em prisão e depósito naval. Atualmente a torre é aberta a visitação. Durante o dia é possível contemplar toda a diversidade de Istambul através do seu terraço panoramico, e a noite no  9o andar funcionam  restaurante e boate.





Torre de Gálata


10. - Informações Importantes

10.1 - Como chegar:

Os vôos do Brasil sempre tem uma conexão na europa. Pela Lufthansa ha conexões em Frankfurt ou Munique. Há voos diretos com a Turkish Airlines. 

10.2 - Onde ficar

Sulthanahmet: Hotel Millenium
Sirkesi: Faros Hotel

10.3 - Onde comer


- Faros restaurante - Sirkesi; Comida turca e internacional com ambiente moderno;

- Asitane - ao lado de Chora church -Restaurante Tradicional que serve receitas dos Sultões; 


- Vogue -    ; Comida internacional e turca moderna com explendida vista para o Bósforo;


11. - Referências

- História da Arte - Graça Proença - Editora Atica
- Notas de Viagem
- Guia Visual da Folha de São Paulo
- Wikipedia - Istambul
- site do museu de chora church - www.choramuseum.com 

Outros blogs:
http://www.passeiosemistambul.com/tapetes-turcos-de-onde-tem-que-comprar/
http://www.cumbicao.com.br/2012/12/dicas-da-turquia-viii-istambul-bazares.html