segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Belém e o Mercado do Ver-o-Peso

1. - Belém


A bela e exótica cidade de Belém foi fundada em 1616, na época do Brasil colônia, como uma porta de circulação de mercadorias da região Amazônica. Na época, os portugueses somente tinham colonizado a capitania do Maranhão, a qual já tinha sido alvo de invasão e domínio pelos franceses. Temendo um  ataque na inexplorada  amazônia, os portugueses enviaram uma missão capitaneada por Francisco Caldeira Castelo Branco e mais 150 homens com o objetivo de ocupar a região.

Tudo começou com a fundação, na baía do Guajará, do Forte do Presépio. A localidade que se criou ao seu redor ficou sendo conhecida como Feliz Lusitânia. O seu nome ainda mudou para Santa Maria do Grão Pará, depois para Santa Maria de Belém do Grão Pará, até chegar ao atual Belém.

A baía de Guajará, onde também está o mercado do Ver-o-Peso, é o encontro da foz do rio Guamá com a foz do rio Acará. Belém  é ainda banhada pelos rio Amazonas e Maguari. Quando chegaram os portugueses, essa área era habitada pelos índios Tupinambás..

belem mercado do ver o peso


2. - O Porto do Ver o Peso


Devido a grande circulação de mercadoria o  governo criou no ano de 1688 um posto de arrecadação alfandegária que tributava pelo peso dos produtos. Daí surgiu o nome do Porto do Ver-o-Peso. O posto funcionou normalmente até meados de 1839, quando então o seu prédio foi cedido para o funcionamento do mercado central de peixes.

Belem porto do ver o peso

Devido as características geográficas da região, os meios de transporte mais usados na ligação de Belém com as outras cidades são os barcos. Eles transportam tanto mercadorias como pessoas. Os mais comuns são os barcos de médio porte como os vistos na figura ao lado.


3. - Mercado do Ver-o-Peso


Como era natural, desde muito cedo, na região do porto, criou-se um feira onde  se comercializava de tudo, mas principalmente alimentos, vestuários e cerâmicas. Entretanto, foi  na "era da borracha" que investimentos em urbanização  deram ao mercado a sua forma atual.  No ano de 1899  foram construídos o Mercado de Carne e o Mercado de Peixes, utilizando os padrões arquitetônicos europeus da época, onde o ferro tinha uma grande predominância 

O complexo do Ver-o-Peso atualmente compreende uma área de 26.500 m2 e é compreendido por diversos setores como Mercado de Peixes, Mercado de Carne, Feira Livre (frutas  e legumes, área dedicada às extratos e  chás, área para farinhas, grãos e temperos e ainda área de alimentos preparados). Em anexo temos ainda a Feira do Açaí, que devido ao seu grande volume é comercializado separadamente das demais frutas. 

No setor de feiras estão montadas cerca de 1000 barracas estando atualmente todas elas padronizadas. 

O Ver-o-Peso é conhecido internacionalmente e é considerado o maior mercado ao ar livre da América Latina.

Área I - Mercado de Peixes 


O mercado de peixes é construído em estrutura metálica, do lado exterior e interior, ” Tem estrutura toda em ferro trazida da Europa onde a cobertura principal é do tipo ‘marselha’ e as torres  do tipo ‘art-noveau’, possuem cobertura em escamas de zinco, sistema ‘Vieille-Montagne’ ” (site  "thegreenclub.com.br" / Documentos da Fundação Belém). O mercado foi inaugurado em 1901.
mercado de peixes - ver o peso
Mercado de peixes no Ver o peso

mercado de peixes ver o peso

O peixe "Filhote" (Piraíba):

Considerado o maior peixe de água doce do Brasil, o Filhote é um dos mais saborosos. Ele é bom para se preparar tanto assado como cozido, pois a sua carne é ao mesmo tempo tenra e consistente. Esse peixe pode pesar até 300 Kg. Até o peso de 60 kg ele é chamado de Filhote, acima disso é conhecido pelo nome de Piraíba e já não é mais indicado para se comer pois sua carne começa a ficar dura.

Outros peixes típicos da região são a pescada amarela, tucunaré e pirarucú.

mercado de peixes - belem ver o peso

Pirarucú

Como o Filhote, O pirarucú também é um peixe de grandes dimensões e, pode chegar a 3 m de comprimento e pesar até 200 kg. É  muito vendido já salgado e, devido a semelhança de sabores,  é chamado de "Bacalhau da Amazônia".


Área II - Mercado de Carne


 Inaugurado em 1908, e todo feito de ferro trazido diretamente da Inglaterra, o  "Mercado de Carne"  é de uma riqueza de detalhes surpreendente. Nesse mercado a carne era vendida ao ar livre e sem refrigeração. O Mercado está, agora em 2011,  em fase final de um processo de restauração completa, onde toda estrutura de ferro foi tratada e pintada. A parte de alvenaria foi completamente modificada no seu interior, com a construção de grandes salas, com troca da madeira do piso e teto, que certamente irão abrigar alguns orgãos governamentais. 

mercado de carne - belem mercado do ver o peso



Área III - Feira Livre


Ao lado do mercado de peixes e em frente ao mercado de carnes temos a "Feira Livre", que vende hortaliças, frutas típicas da região, farinhas e ervas medicinais, que prometem a cura para toda espécie de doença.


vendedor de pupunha - belem mercado do ver o peso
Vendedor de pupunha - mercado do ver o peso;


Frutas típicas
Belém é muito conhecida pela grande variedade de frutas típicas somente encontradas nessa região. As mais conhecidas são: Açaí, Cupuaçu, Bacuri, Sapoti, ...,.

Cupuaçu: Com sabor forte o cupuaçu é muito usado para sucos, sorvetes, doces e recheios. O cupuaçu se dá bem em clima tropical com terra fértil e boa retenção de água.

 Açaí: Desde a época dos indígenas, o açaí é considerado uma importante fonte de alimentação. Além de ter poder nutritivo e  ser uma fonte energética,  ele era considerado principalmente uma planta medicinal. O seu uso variava desde o combate as doenças infecciosas até a proteção para doenças cardíacas.  Tradicionalmente servido em cuias e misturado com tapioca, açúcar e/ou mel hoje em dia as suas propriedades energizantes e anti-oxidantes o tornaram muito popular em todo o Brasil. Atualmente se consome principalmente na forma de sucos ou doces.

O açaí é um arbusto perene e nativo da região com frutas pequenas e escuras.


Área de Extratos e Produtos


Na área dos extratos, encontramos de tudo. Xaropes e chás que curam dor nos rins, unha encravada, e até problema de queda de cabelo. Tem ainda porções mágicas que fazem o amor voltar e até o viagra natural.

Área de Alimentação:

Ao lado da feira livre temos um aglomerado de barracas que vendem comidas prontas e iguarias típicas da região na forma do famoso "pf" (prato feito). Aqui é muito encontrado o peixe frito, o arroz de jambu e os sucos de cupuaçu, açaí e bacuri.


peixe frito com arroz de jambu - mercado do ver o peso
Peixe frito com arroz de jambu

barracas padronizadas - mercado do ver o peso Belem
Barracas Padronizadas















Área IV - Feira livre de peixe (área descuidada)



Os peixes não comercializados no mercado central e que estão perto de "passar do ponto", são levados para as calçadas ao lado do mercado e comercializados a um preço menor. Nesse ponto a higiene do local deixa a desejar devido a restos de peixes que são jogadas na baía e atraem urubu que posam e ocupam a área da praia. Diariamente, a prefeitura passa no meio da manhã com caminhões pipas fazendo a limpeza, mas não é suficiente. Observa-se que mesmo no mercado central de peixes, não há câmaras frigoríficas, os peixes são conservados em caixas de isopor com gelo.


area descuidada - mercado do ver o pesoarea descuidada - mercado do ver o peso
















Área V - Feira do Açaí


Mais popular e na praça em frente  ao mercado do ver-o-peso temos uma região dedicada ao  comercio do Açaí. Nesse lugar é comum a venda em atacado. O Açaí é tão famoso que existe até bares e restaurantes do Açaí conforme a foto abaixo.

mercado do açaí - mercado do ver o peso
mercado do açaí - Belem ver o peso



Observação: O mercado do ver-o-peso deve ser apreciado a luz das condições e passado da região. A sua variedade de frutas e iguarias é o que é mais interessante.


4. - Cais das Docas


Nem só de passado porém vive Belém. Seguindo uma tradição de modernização de áreas portuárias, como feito em Puerto Madero, Buenos Aires, uma reforma completa foi feita em alguns galpões ao lado do mercado,  criando um centro de gastronomia, artesanato e passeios turísticos. Nessa área está instalada uma excelente cervejaria  e também uma fábrica de sorvetes..

c ais das docas Belemcais das docas Belem


5. - Pratos Típicos da Região


Belém conta com uma culinária de altíssimo padrão e tem vários restaurantes de excelente categoria. É comum  também vários chefes de cozinha famosos em São Paulo, usarem alimentos da região experimentando sabores para seus pratos. Alex Atala (DOM) e Helena Rizzo (Maní) são dois dos mais conhecidos que promovem a cozinha brasileira com temperos da região.

Pratos e Temperos
Moqueca de Filhote - Belem
Moqueca de Filhote com Molho de Tucupi


Tucupi é um molho preparado a base do  sumo da mandioca brava. O molho, que é de cor amarela, precisa permanecer um tempo em  para que haja a separação do amido do líquido. Devido a presença do ácido cianídrico o molho é inicialmente venenoso e por isso precisa ser cozido por várias horas para poder ser usado como tempero.




Tacacá é uma espécie de caldo preparado com tucupi, goma de tapioca, camarão seco e jambu. O jambu é uma folha parecido com agrião porém tem a propriedade de deixar a boca um pouco "anestesiada" principalmente se o tempo de cozimento for pequeno. 

Além do tacacá, o jambu é utilizado nas moquecas de peixe, no pato no tucupi e também em preparos como o arroz de jambu.



Maniçoba - Belem
Maniçoba
Maniçoba

A Maniçoba é um prato de origem indigena com sabor bem acentuado e que lembra um pouco a feijoada. Ela é feita a base de folhas de mandioca moídas e cozidas por cerca de uma semana para a retirada do ácido cianídrico. A esse preparo é acrescentada carne de porco, carne bovina e outros ingredientes sempre defumados e salgados.

                       

pato no tucupi - Belem
Pato com molho de tucupi e folha de jambu
Pato no Tucupi                   

O pato no tucupi, como o nome já diz, é preparado com o molho de tucupi, folhas de jambu e cozido por várias horas até que o pato fique bem macio e o jambu perca praticamente seu efeito anestésico. O pato no tucupi é o prato principal a ser comido no almoço no dia da festa do Círio de Nazaré.

6. - Artesanato e Lenda Amazônica - O Muiraquitã


Segundo a crença popular, o muiraquitã era um amuleto fabricado pelas Icamiabas, ou Amazonas, uma comunidade de mulheres guerreiras. Como em suas aldeias não havia homens, uma vez por ano estas mulheres procuravam índios de aldeias vizinhas para perpetuar sua espécie. Conta a lenda que, na noite anterior ao encontro, as Icamiabas festejavam a deusa Iaci (a lua). Dirigiam-se em procissão para um lago onde mergulhavam e traziam do fundo uma espécie de barro verde que modelavam de formas variadas: cilindricas, antropormofas e zoomorfas. Depois davam esses amuletos aos índios com quem acasalavam.

7.  - Cidade das Mangueiras - A chuva


Belém também é chamada de "cidade das mangueiras" devido ao grande numero dessas árvores plantadas em todo lugar. Essa ambundância de árvores traz bastante sombra para as ruas da cidade.


mangueira na praça da catedral da Sé - Belem
Mangueira na Praça da Catedral

Chuva

Devido a alta umidade da região, onde é comum chover todos os dias, diz-se que antigamente se marcavam os encontros tendo como referencia o horário da chuva no final da tarde. "Antes" ou "depois da chuva" eram os termos usados.


8. - Outros Locais Históricos e de  interesse em Belém


Basilica de Nazaré - Belémvitoria regia - Belem

Além do Mercado do Ver-o-Peso, a cidade de Belém é dona de um imenso patrimônio histórico e cultural. Reconhecendo o imenso potencial turístico da cidade, grandes investimentos tem sido  feito pelos orgãos governamentais na recuperação de sedes do governo, igrejas e museus. 

- Catedral Metropolitana
- Teatro da Paz
- Forte do Presépio
- Casa das onze janelas
- Cais das docas
- Mangal das Garças
- Museu Emilio Goelb

9. - Referências:


1. - Pará - "L'Amazonie à Nancy" - Publicação bilingue da Secretaria de Cultura do Estado
2. - Blog: AromaseSabores.com
3. - Mercados a Céu Aberto - Deville Star Club
4. - 384 anos de história do Ver-o-Peso -Thegreenclub.com
5. - Wikipedia - Artigos: Ver-o-peso, Filhote, Cupuaçu

7 comentários:

  1. Paulo, vc tem algum telefone para contato? como posso conseguir essas fotos que vc usou?
    bjos Isabel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isabel, as fotos do blog são de minha autoria quando estive em Belém em 2011. Na realidade nasci em Belém mas não a conhecia. Para que finalidade você gostaria de utilizar e que fotos você desejaria ?

      Excluir
  2. VISITE MEU BLOG E AJUDE NA DIVULGAÇÃO DE NOSSO ESTADO E MUNICIPIOS http://conhecendoopara.blogspot.com/ SE PUDER ME AJUDE COM FOTOS,PARA DIVULGAÇÃO . AGUARDO RESPOSTA, OBRIGADO.

    ResponderExcluir
  3. a maior feira livre do brasil vc so encontra em belém.

    ResponderExcluir
  4. Amo meu Pará e tudo que tem nele ...
    falta apenas pessoas para cuidar melhor

    ResponderExcluir